FANDOM


" Falando sério, eu poderia enquadrar qualquer um de vocês em um canto escuro, e capturar a pessoa em um momento de desespero. "

— Mark Jefferson em "Chrysalis"


Mark Jefferson (nascido em 11 de abril de 1975) é professor de fotografia na Academia Blackwell e o principal antagonista de Life is Strange. Atualmente um fotógrafo famoso e artista reconhecido em toda a América, ele ganhou popularidade nos anos 90. Apresentado como um professor gentil e legal que é bastante admirado por seus alunos, incluindo Max Caulfield, ele mais tarde vem a ser o principal vilão de Life is Strange. Ao longo do jogo, Jefferson foi direta ou indiretamente responsável pelas mortes (potenciais) de um total de sete personagens.

Para a galeria de Imagens, clique aqui. Para visitar o bunker do Jefferson, clique aqui.

Personalidade

Jefferson é a encarnação de um psicopata.

Aparentemente, Jefferson é um homem carismático e charmoso, um fotógrafo apaixonado e um professor dedicado. Ele parece se importar com o trabalho de seus alunos, certificando-se que todos se inscrevam na Competição Heróis do Cotidiano com um lembrete gentil no final de sua aula de fotografia, para que todos eles tenham a chance de progredir em suas carreiras artísticas. Porém, sua indiferença com os problemas de Kate após ela pedir ajuda a ele em "Out of Time", já mostra seu lado mais insensível nessa situação.

Jefferson parece ser mais cuidadoso com a paixonite de sua aluna Victoria Chase. Apesar das inúmeras tentativas dela em flertar com ele, ele não a corresponde; especialmente quando ela torna suas intenções explícitas em "Chaos Theory". O motivo poderia ser a valorização que ele tem pela inocência.

Na realidade, Jefferson é um indivíduo frio que não se importa com os outros, com uma obsessão sombria em capturar a "inocência" dos outros. Ele é obcecado com a ideia de "capturar a inocência no momento em que ela se corrompe", e está preparado para matar quem ele considerar uma ameaça à ele ou a seus planos, fazendo de tudo para alcançar seus objetivos. Ele está disposto a manipular os outros em sua vantagem enquanto se certifica que eles continuem em silêncio. Jefferson parece planejar várias situações com antecedência, e isso combinado à sua alta inteligência e astúcia extrema é o que vem permitindo que ele continue fazendo suas sessões perturbadoras sem ser pego.

Aparência

Mark Jefferson é um homem alto levemente robusto de 38 anos. Ele tem cabelos e olhos castanhos. Como professor de artes, Mark tem um estilo mais moderno e descontraído. Seu cabelo é repicado e um pouco bagunçado, e a barba clara e despojada. Suas roupas são informais mas elegantes; ele usa sapatos sociais pretos, calças jeans azuis e uma blusa branca com os primeiros botões desabotoados sob um blazer preto. Ele também usa um óculos preto e branco.

Biografia

A seguir o que a Max escreveu sobre Mark em seu diário:

Panfleto

Introdução sobre o Jefferson no panfleto da Academia Blackwell

"Mark Jefferson não é apenas um dos melhores fotógrafos do mundo, é também meu professor. E uma das razões por que vim para a Blackwell. Com que frequência você é orientado por uma de suas inspirações? Sempre adorei suas decorações e seu estilo gótico, e ele é muito versátil com trabalhos de propaganda e impressão. Mesmo assim, ele pode ser um pouco transigente. É bem legal para a idade, mas um pouco desinteressado, e às vezes, pretensioso. Sempre dá um sorriso convencido quando acha que tem razão...

Mas eu acho que ele está nos preparando para a vida complicada de "artista". Ele age como se entendesse meu trabalho e obsessão por imagens analógicas.

Ele quer muito que eu mande uma foto para a competição "Heróis do Cotidiano", mas tenho conseguido evitar isso. O vencedor vai para São Francisco representar a Blackwell para todo o país. Eu gostaria de achar que meu trabalho poderia ser bom o suficiente para vencer e me sinto honrada que o Jefferson me encha por isso."

Sobre

Jefferson Sala

Aula de fotografia do Jefferson.

Jefferson nasceu em Arcadia Bay e, em algum momento de sua vida, desenvolveu um grande interesse por arte e fotografia quando estudava. Ele estudou na Academia Americana de Artes em Chicago, provavelmente para estudar fotografia. É provável que ele tenha se formado com muitas honras. Eventualmente, o trabalho de Jefferson ficou conhecido mundialmente durante os anos 90 e isso o levou a se tornar um fotógrafo muito bem sucedido, com seu trabalho mais popular sendo suas fotos em preto e branco. Seu trabalho é especificamente focado em retratos em preto e branco e fotos envolvendo modelos do sexo feminino em posições sexualizadas, embora seu portfólio seja bem diversificado. Suas fotos foram publicadas nas capas de várias revistas de moda e ele também tem seu próprio livro publicado, que fala sobre como tirar a fotografia perfeita.

Parece que Jefferson é muito rigoroso em relação à arte e fotografia e está apto a criticar a visão e opinião de outros artistas em estilos fotográficos específicos, como em seus primeiros comentários sobre a famosa fotógrafa Diane Arbus. Ele acredita fortemente que a beleza e a inocência devem ser preservadas na arte, tanto que acredita que a beleza verdadeira é quase impossível de se obter "sem um pouco de esforço".

No final dos anos 2000, Jefferson resolveu viajar pelo país para dar aulas, inevitavelmente acabando em uma posição permanente na Academia Blackwell. Quando ofereceram a ele uma posição de professor na Academia de volta em Arcadia Bay, Jefferson aceitou trabalhar lá como professor de artes. Isso levou a um enorme aumento na popularidade da Blackwell, pois um grande número de alunos de todo o país se inscreveram na academia apenas para conseguir um lugar na sala de aula de Jefferson, incluindo Victoria Chase e Max Caulfield, com esta última ganhando uma bolsa. A maioria de seu trabalho é exibido ao redor do campus da Blackwell, especialmente na frente do prédio principal, em outdoors de larga escala. Porém, Jefferson usou sua posição como professor de artes para encontrar e seduzir modelos que achava apropriadas para suas sessões fotográficas ilegais ocorridas na Sala Escura, um bunker na posse da família Prescott.
Sala Escura

Sala escura do Jefferson.

Não se sabe quando exatamente Jefferson se envolveu com os Prescotts. É muito provável que eles tiveram algum tipo de conexão antes de Jefferson voltar à Arcadia Bay para dar aulas. Também é provável que eles tiveram envolvimento nas sessões criminosas de Jefferson por um certo tempo. Após a volta dele, eles teriam permitido a Jefferson acesso total ao bunker, à sala escura e a fortuna deles. Em troca, Jefferson orientaria Nathan e deixaria que ele fotografasse suas modelos na sala escura, mas na realidade, Jefferson apenas manipulou Nathan.

Before the Storm

Jefferson é brevemente mencionado durante uma entrevista para rádio no Episódio 2: Admirável Mundo Novo, sendo um candidato a lecionar aulas de fotografia na Academia Blackwell.

Episódio Um - "Chrysalis"

JeffersonVictoria&Max

Sr. Jefferson falando com Max sobre a foto para a competição.

Max inicialmente acorda de sua visão no meio da aula de fotografia do Jefferson. Ele quer que todos os alunos inscrevam uma foto para a competição "Heróis do Cotidiano". Max tenta mudar de assunto, mas Jefferson diz que ela precisa ter coragem para compartilhar seu trabalho com os outros. Max pode voltar no tempo algumas vezes para impressionar Jefferson; especificamente para roubar a resposta de Victoria sobre o processo daguerreótipo e citar uma frase de John Lennon.[2]

Após explorar a sala de aula, podemos ver que ele tirou uma foto de seus alunos na primeira semana do semestre, e também algumas de suas fotos nas capas de revistas de moda, seu equipamento fotográfico altamente caro e vários livros de arte/fotografia.

Após falar com Stella Hill, Max fica sabendo de um rumor que diz que Mark e Rachel Amber estiveram sexualmente envolvidos antes de ela desaparecer.

Quando começa a nevar no final do episódio, Jefferson aparece mexendo em seu computador dentro de sua sala de aula sozinho. Ele percebe a neve pela janela da sala e lentamente se vira para presenciar o evento.

Episódio Dois - "Out of Time"

Kate e Jefferson

Kate pedindo ajuda à Jefferson com sua situação.

Ele é visto conversando com a Kate sobre os problemas dela, ignorando suas preocupações e citando Hamlet, "talvez ela proteste demais". Ela pede ajuda, mas fica frustrada e sai da escola. A insensibilidade dele contribui muito para a tentativa de suicídio da Kate. Quando Max faz uma comparação entre Kate e Rachel Amber, Jefferson comenta que "Rachel não era nada parecida com Kate" e acrescenta que sente sua falta. Quando Max tenta descobrir mais sobre a conversa deles, Jefferson se afasta para atender uma ligação. Depois, ele dá inicio à aula sobre fotografias em preto e branco, mas é interrompido pela comoção que se forma ao Kate tentar pular do telhado do Dormitório Prescott.

No escritório do Diretor Wells após o incidente com a Kate, Max pode escolher culpar Jefferson pelo que aconteceu. Wells deixa claro que ele deveria estar mais atento às necessidades de seus alunos.

Culpar o Jefferson=
Se Max culpar Jefferson por não ter sido atencioso com Kate e ignorar seu pedido de ajuda, Wells suspende Jefferson da competição "Heróis do Cotidiano", dizendo que ele não é mais um bom representante para a escola depois de mostrar não ter muita consideração pelo bem-estar de seus alunos; especialmente considerando que Jefferson conhecia bem Kate, já que ela o ajudou em suas aulas ocasionalmente.

Culpar o Nathan ou David=
Jefferson não sofrerá nenhuma consequência e não sairá suspenso do escritório.

No final do episódio, Wells e Jefferson podem ser vistos discutindo antes de Jefferson sair do estacionamento em seu carro.

Episódio Três - "Chaos Theory"

Se Max culpou o Jefferson=
Se Jefferson por suspenso por seu envolvimento no suicídio (ou tentativa) da Kate, uma página na internet será criada por seus alunos em apoio a ele. Victoria deixará um comentário na página, dizendo, "O principal motivo de eu vir estudar na Blackwell era o Mark Jefferson."

Victoria&Jefferson

Victoria tentando flertar com Jefferson.

Perto do começo do episódio, Max e Chloe ouvem escondidas uma conversa entre Jefferson e Victoria. Ele ficou ajudando ela a avaliar seu portfólio após o término das aulas. Ela flerta com ele e tenta ameaçá-lo a escolher a foto dela como ganhadora da competição "Heróis do Cotidiano". Ele não corresponde às investidas explícitas dela, e a aconselha a voltar para seu dormitório. Ele parece não ter interesse em tentar algo com ela, e opta por uma abordagem mais profissional.

Episódio Quatro - "Dark Room"

Quando Max e Chloe entram no campus da Blackwell para investigar o quarto de Nathan a fim de encontrar provas de seu envolvimento no desaparecimento de Rachel e no sequestro de Kate, elas encontram Jefferson. Ele puxa conversa com elas, e pergunta por que alguém tão descolada como a Chloe não está estudando na Blackwell. As garotas parecem felizes com a rápida conversa, pois Chloe comenta que Jefferson é "gostoso para um professor", envergonhando Max, e provoca Max dizendo que ela tem Jefferson só pra ela agora que Chloe não estuda na Blackwell.

JeffersonDiscurso

Jefferson se preparando para anunciar o vencedor da competição Heróis do Cotidiano.

Após Max falar com Victoria na seção VIP da Festa do Fim do Mundo, Jefferson aparece e tem outra breve conversa com Max e Chloe. Ele parece feliz por elas terem ido à festa, e não age de forma suspeita se Max perguntar sobre Nathan. Ele pede licença, subindo no palco para fazer um discurso sobre o vencedor da competição "Heróis do Cotidiano", que vem a ser a Victoria.
Jefferson-ep4

Jefferson revelando ser o vilão.

Após receber uma mensagem de Nathan, Max e Chloe correm para o lixão para impedir que o corpo de Rachel seja tirado de lá. Após elas desenterrarem o corpo novamente, Max pede que Chloe faça silêncio, e acaba sendo atacada por trás. Jefferson dopa Max cravando uma seringa em seu pescoço, e dá um tiro na testa de Chloe. Max não consegue usar seu poder por causa das drogas e falha em salvar Chloe.

Episódio Cinco - "Polarized"

Jefferson&Max Sala Escura

Jefferson fotografando a Max

No começo do episódio, Max acorda na Sala Escura, amarrada à uma poltrona enquanto Jefferson não pode ser visto nem ouvido. Após viajar no tempo usando uma fotografia que Jefferson tirou dela e está largada em uma bandeja ali perto, Max se encontra amarrada no chão, enquanto Jefferson fotografa ela de diferentes ângulos. Ele elogia a inocência e beleza de Max, mas fica rapidamente frustrado e bravo quando Max choraminga e tenta se mexer, arruinando suas fotos no processo.

Jefferson diz que Max é especial e chega a colocá-la acima de Rachel Amber. Ele menciona Nathan e sua incapacidade de capturar certos estilos e temas, mas reconhece que ele tinha um bom olho para sombras e um bom olho para "várias outras coisas, como sua família de elite descobrirá junto com Arcadia Bay". Jefferson repreende Max por ser intrometida e explica que a Sala Escura era vigiada 24 horas por dia, e foi como ele descobriu a visita de Max e Chloe antes de mandar uma mensagem para elas com o celular de Nathan. Ele diz à Max que ela deveria ter focado em seus deveres na escola e que "sente muito" por ter matado a Chloe em o que ele chama de legítima defesa, mencionando que ela tinha um histórico problemático e que ninguém se importará com sua morte--mas afirma que as pessoas irão se importar com a morte de Max, mencionando o "dom" dela mais uma vez. Ele se aproxima para tirar mais fotos mas fica frustrado com Max tentando se mexer e resolve dar outra dose para que ela se acalme. Em protesto, Max chuta o carrinho com as drogas e seu fichário, fazendo com que o conteúdo dos frascos caia em cima das fotos. Jefferson fica irritado e grita com Max por nunca escutar e diz que se ela tivesse prestado atenção às aulas dele, saberia que isso tudo aconteceria. Ele fala que ficou de olho nela e percebeu que ela andou agindo de forma destemida naquela semana mais do que em sua vida inteira. Quando Max começa a se mexer de novo, Jefferson diz para ela lembrar da primeira regra dele, "nunca perca o momento", antes de dopá-la com mais drogas. Max perde a consciência e volta para o presente (agora alterado).

Jefferson SalaEscura

Jefferson explicando seus motivos.

Ao voltar para o presente alterado, Max encontra outra foto na mesma bandeja, pois ao chutar o carrinho e fazer com que as drogas caíssem sobre o fichário, Jefferson foi obrigado a tirar as fotos do arquivo. Ela focaliza na foto e volta no tempo mais uma vez, desta vez ela está amarrada em uma poltrona enquanto Jefferson tira fotos à distância. Ele comenta que Victoria mataria para estar no lugar dela. Porém, ela não entendia a conexão entre ele e Max. Ele considera Max a vencedora, escolhendo o retrato dela e de mais ninguém. Max pergunta à Jefferson por que ele está fazendo tudo isso. Jefferson, feliz por ela ter perguntado isso, explica que é obcecado com a ideia de capturar a inocência e a transação entre cores. Ele explica também que a maioria das modelos são muito cínicas e arrogantes, o que resulta na perda do potencial artístico delas. Por outro lado, algumas alunas da Blackwell possuem este potencial, e estas poucas garotas são escolhidas por Jefferson para serem seus temas.

Max o chama de psicopata e o avisa que esta é sua última sessão. Jefferson responde dizendo que é tão são que ninguém suspeita dele neste momento. Ele menciona Chloe, dizendo para que Max não comece a falar dela de novo e que já está de saco cheio dessas garotas punks desde sua época em Seattle, e alegando que atirou nela em legítima defesa. Jefferson também menciona Kate e diz que ela poderia ter sido sua obra-prima se as coisas tivessem sido diferentes. Ele revela seu plano de usar Nathan como cobertura para seus crimes e que viu em Nathan a chance de ter total acesso à fortuna da família Prescott e à sala escura, mas foi inteligente o suficiente para não contar tudo à Nathan. A verdade sobre a morte de Rachel Amber vem à tona quando Jefferson revela que Nathan foi incapaz de aprender com ele e que eventualmente acabou caindo em tentação pela Rachel. Na tentativa de seguir os passos de Jefferson e tirar suas próprias fotografias, Nathan acabou dando uma overdose à Rachel. Quando Max pergunta onde Nathan está, Jefferson revela que já matou e enterrou Nathan. Max menospreza Jefferson dizendo que ele não conseguirá se safar dessa, embora Jefferson não esteja se preocupando com isso e promete se certificar que não sobre mais nada de Max. Com isso, Jefferson coloca uma música para tocar e vai para seu computador imprimir as fotos. Max nota que seu diário está no outro lado da sala e volta no tempo para pedir que Jefferson o dê a ela. Max então focaliza na selfie que tirou durante a aula de Jefferson e volta para aquele momento.

Max&Jefferson Sala

Max entregando sua foto para Jefferson.

Após ganhar uma nova chance de levar Jefferson à justiça, Max não dá tanta importância à pergunta dele sobre o processo daguerreótipo, deixando ele bastante confuso sobre seu comportamento. No término da aula, ela manda uma mensagem para David Madsen revelando tudo sobre Jefferson e a sala escura. Quando Max se aproxima para falar com Jefferson, ele pergunta se está tudo bem mas Max o ignora e vai direto ao ponto entregando sua foto para a competição. Jefferson comenta o quão fácil foi fazer isso e Max responde que não foi nem um pouco fácil. Feliz por ela ter entregado sua foto, Jefferson diz à Max que talvez os dois embarquem juntos para São Francisco, dizendo que tudo pode acontecer em uma semana. Max encerra a conversa dizendo à Jefferson que ele mesmo irá descobrir isso.

Assim, Max cria outra linha do tempo onde ela vence a competição Heróis do Cotidiano e está em um avião à caminho de São Francisco junto com o Diretor Wells, após Jefferson e Nathan serem presos. Na galeria Zeltgeist, vários convidados expressam raiva e decepção pela ausência de Jefferson, acreditando que ele iria estar presente na exposição. Após receber uma ligação de Chloe em Arcadia Bay, dizendo que a tempestade está destruindo a cidade, Max volta no tempo mais uma vez usando a foto que está exposta na galeria. Ela volta para o momento em que tirou a foto e destrói ela, voltando para a linha do tempo em que ela não vence a competição e acaba na Sala Escura mais uma vez.

Jefferson&Max2

Jefferson revelando à Max seus planos de matá-la.

De volta na Sala Escura, Max fica chocada ao ver que Jefferson está livre e ela está presa no bunker com ele novamente. Tendo feito uma pergunta e não recebendo uma resposta de Max, Jefferson comenta que ela parece estar na sua aula, pois continua viajando. Ele pede que ela responda sua pergunta mas Max responde com um insulto, o que deixa Jefferson bastante contente. Ele percebe que o nariz dela está sangrando e supõe que deu uma dose muito forte para ela, mas comenta que um sangramento nasal deveria ser a última de suas preocupações, pois ele pretende matá-la muito em breve. Ele comenta sobre o desperdício de talento de Max e revela que queimou seu diário quando descobriu que ela havia destruído a foto que inscreveria na competição Heróis do Cotidiano. Ele menciona que notou a transformação dela de nerd a heroína e considera isto muito estranho, fazendo uma referência à tempestade do lado de fora e comentando mais uma vez que isto é bem estranho.

Jefferson considera Max seu melhor tema, dizendo que foi uma "honra" trabalhar com ela durante suas sessões finais. Ele espera que um dia as fotos dela sejam apreciados pelo que realmente capturam, "a perda da juventude". E com isso, Jefferson decide dar um fim à vida de Max. Ela tenta convencer Jefferson dizendo que ele não entende o que está acontecendo, mas ele simplesmente a ignora. Logo quando Jefferson está prestes a aplicar nela sua última dose, David Madsen aparece. Após várias tentativas de Max ajudar David usando sua habilidade, ele finalmente nocauteia Jefferson e o amarra no chão, indo libertar Max logo depois. Após uma conversa entre os dois, David exige saber onde está Chloe.

Contar a Verdade
Max revela à David que Jefferson matou Chloe. Após saber disso, David fica muito violento e perturbado. Em um ato de raiva, ele pega sua arma e atira na cabeça de Jefferson, matando ele. David pede desculpas à Max, lamentando por ela ter visto isso, e se senta no chão sofrendo com a morte de Chloe.

Esconder a Verdade
Max fala à David que Chloe escapou de Jefferson indo para outro lugar "se medicar". David, aliviado, diz que por uma vez na vida está feliz pela Chloe ser maconheira. Ele então fala para Max sair, pois já passou muito tempo neste lugar. Quando Max se dirige à saída, David vai investigar o computador de Jefferson e deixa o mesmo vivo, com a intenção de mantê-lo na prisão para sempre.

JeffersonPreso SalaEscura

David e a polícia prendendo Jefferson

Porém, estas escolhas não possuem consequências futuras, pois Max volta no tempo mais uma vez para evitar que Chloe vá à festa do Fim do Mundo. Este ato evita que os seguintes eventos aconteçam: a morte de Chloe, o sequestro de Max e a morte potencial de Jefferson. Em vez de irem à festa, elas revelam tudo o que descobriram para David. Assim, Chloe permanece viva e Jefferson é enfim preso por seus crimes.

Jefferson faz algumas aparições no pesadelo da Max, primeiro sendo visto na sala de aula onde pergunta à Max se ela gostaria de passar o resto de sua vida com ele na sala escura. Max é obrigada a concordar com uma resposta adequada, o que deixa Jefferson contente. Mais tarde ele aparece de novo, como uma das primeiras pessoas que aparecem perseguindo Max no labirinto enquanto ela tenta escapar. Ele terá falas diferentes dependendo das escolhas que Max fez envolvendo ele anteriormente.

Sacrificar Arcadia Bay
Não se sabe o que acontece com Jefferson no final em que Arcadia Bay é sacrificada, mas presume-se que ele morre em meio a tempestade. Porém, também há a possibilidade de ele ter sobrevivido, pois ele pode ter sido levado para um presídio fora de Arcadia Bay, escapando da morte por pouco se for o caso.

Sacrificar a Chloe
JeffersonPreso

Jefferson sendo preso na Blackwell.

Se a linha do tempo for reconstruída e a Chloe terminar morta por Nathan na Blackwell, Nathan é preso e interrogado pela polícia. Durante o interrogatório, Nathan entrega os crimes de Jefferson e ele é preso também.

Realidade Alternativa

Embora nós não encontremos diretamente com ele na realidade alternativa, suas fotografias ainda se encontram expostas ao redor do campus da Blackwell. Isso levanta dúvidas se a Max alternativa voltou para Arcadia Bay por causa de seu professor como a Max original fez. Porém, Rachel Amber ainda está desaparecida, o que significa que o envolvimento de Jefferson com seu sequestro e assassinato ainda pode ser possível nessa linha do tempo.

Mortes

Mark Jefferson pode ser morto por:

  • Max Caulfield (Indiretamente, Determinante) ou (Possivelmente, Determinante) - Se Max revela à David que Jefferson matou Chloe, ele ficará furioso e perderá o controle. Em um ato de raiva, ele aponta uma arma para Jefferson e atira em sua cabeça, com Max sendo testemunha do crime. Ou ela pode indiretamente levar Jefferson à morte se escolher sacrificar Arcadia Bay no lugar de Chloe.
  • David Madsen (Diretamente) - Como dito acima, David matará Jefferson à sangue frio se ficar sabendo que ele matou sua enteada.

Mortes Associadas

  • Kate Marsh - (Diretamente/Intencionalmente, Determinante) Jefferson tem culpa na tentativa de suicídio da Kate, pois não levou à sério sua confissão preocupada à respeito de sua situação. Também é possível que ele tenha drogado ou ajudado drogar a Kate na festa do Clube Vortex em que ela estava. Se Max conseguir impedir o suicídio de Kate, mais tarde Jefferson irá sugerir à Max que tem planos de ir atrás dela e matá-la.
  • Rachel Amber - (Provável/Envolvido) Jefferson provavelmente estava junto de Nathan na overdose dada a ela, na sessão de fotos e no enterro do corpo de Rachel no lixão. Também é possível que o próprio Jefferson tenha matado Rachel e apenas jogou a culpa em cima de Nathan, como fez com a morte de Chloe.
  • Chloe Price - (Diretamente) Jefferson deu um tiro na testa de Chloe após sedar Max com uma injeção, deixando-a impossibilitada de voltar no tempo.
  • Nathan Prescott - (Diretamente) Mark informa Max no último episódio que Nathan era um grande risco e que não poderia "mantê-lo como protegido" por muito mais tempo após a overdose de Rachel. Como dito pelo próprio Jefferson, Nathan já estava "morto e enterrado" naquele ponto.
  • Victoria Chase - (Diretamente, Determinante) Se Max conseguiu avisar Victoria sobre a Sala Escura na festa, Victoria irá ingenuamente pedir socorro à Jefferson, indo parar na sala escura junto de Max. Após Max voltar da linha do tempo em que Jefferson é preso e ela ganha a competição "Heróis do Cotidiano", Jefferson informa ela que "teve de deixar Victoria ir", deixando em aberto o destino dela até acabar com as esperanças de Max em Victoria estar viva dizendo, "Não seja idiota, tá bom? Ela está exatamente onde merece estar."
  • Maxine Caulfield - (Diretamente, Potencialmente) Jefferson pretendia matar Max após ter terminado de fotografar ela na Sala Escura. Se Max avisar David muito cedo, Jefferson irá atingir ela com um tripé, obrigando ela a voltar no tempo.
  • David Madsen - (Diretamente, Potencialmente) Assim que David chega na Sala Escura para verificar se há alguma vítima sobrevivente (Max) e prender Jefferson, Jefferson tenta matá-lo. Na primeira sequência de eventos sem Max voltando no tempo e fazendo um último pedido à Jefferson, ele nocauteará ou matará David (não se sabe ao certo) com um tripé. Se David conseguir atingi-lo com um soco e fazer ele derrubar o tripé, Jefferson irá pegar uma arma e atirar em David. Com a ajuda da habilidade de Max, após várias possíveis falhas, David irá finalmente nocautear Jefferson. David também pode ficar com uma cicatriz na testa após a briga com Jefferson.

Relacionamentos

Amigos

  • Diretor Wells - Durante todo o jogo, Wells e Jefferson pareciam se dar muito bem. Mas na realidade, Jefferson só via Wells como um diretor bêbado e imbecil, como revelado por ele em "Polarized".[3]
  • Sean Prescott - A profundidade do relacionamento de Jefferson com a família Prescott é desconhecida. Parece haver, até certo ponto, muita confiança da parte dos Prescotts com Jefferson, permitindo que ele guiasse Nathan e dando-lhe total acesso à sua fortuna. Jefferson também tinha posse de algumas informações valiosas à respeito dos Prescotts e seu histórico. Apesar disso, Jefferson não parece ter muita consideração pela família Prescott e vê eles principalmente como uma ferramenta para conseguir o que quer. O Diretor Wells revela em "Polarized" que Sean foi quem deu à Jefferson um cargo na Blackwell.
  • Nathan Prescott - Jefferson era seu mentor e uma figura paterna para ele. No começo de sua relação "aluno-professor", Jefferson achava isso um pouco tocante mas eventualmente ficou irritado com a incompetência de Nathan. Depois que Nathan, de acordo com Jefferson, deu uma overdose à Rachel Amber e provavelmente prejudicou o sequestro de Kate Marsh dando doses muito baixas para ela, Jefferson decidiu se livrar dele e começou a planejar sua morte. Esta poderia ser apenas uma desculpa para eliminá-lo, considerando que Nathan sabia de muita coisa sobre a Sala Escura; além de Nathan ser conhecido por seu comportamento bastante imprevisível e isto aumentaria as chances de Jefferson ser pego. Se Max alega ter se importado mais com Nathan que Jefferson, ele ficará furioso e negará isso. Isso pode sugerir que ele realmente se importava com Nathan.

Alunos

  • Victoria Chase - Victoria tinha uma queda bem explícita por Jefferson, que também parecia ciente disso mas sempre ignorava as investidas dela toda vez que ela tentava flertar com ele. Ele revela para Max que via ela como uma pirralha mimada e decidirá matá-la se Max conseguir avisar Victoria sobre o Nathan. Apesar de tudo isso, Jefferson ainda deu m pouco de seu tempo e dedicação para Victoria como professor, ajudando-a a arrumar seu portfólio.
  • Max Caulfield - Desde o começo, Jefferson viu algo "especial" em Max. O porquê de ele a considerar única e dizer que ela tem um "dom" comparada aos outros alunos nunca é realmente revelado, mas é possível que ele tenha visto ela como a mais inocente do grupo. A partir deste ponto, ele tentou repetidamente convencê-la a entregar uma foto para a competição Heróis do Cotidiano, para que ele escolhesse ela como vencedora e eles pudessem passar um tempo juntos em São Francisco, muito provavelmente para atraí-la para a Sala Escura. Tendo ela presa na Sala Escura, ele elogia sua inocência e beleza e explica que sempre foi atraído por suas selfies perfeitas. Pelo menos a partir deste ponto, fica claro que Jefferson sempre teve uma obsessão doentia com Max. Max admirava muito o trabalho de Jefferson, tanto que se matriculou na Academia Blackwell especialmente por suas aulas de fotografia. Ele era certamente uma figura muito influente em sua vida e ela tinha muito respeito por ele. Ela o admirava e nunca suspeitou dele em nenhum momento ao longo do jogo até que finalmente descobriu sua verdadeira identidade: um psicopata doentio e manipulador que usa a arte e a paixão para seduzir pessoas, após Jefferson assassinar sem piedade sua melhor amiga, Chloe, sequestrar Max e tirar fotos dela dopada, e mais tarde chegar ao ponto de tentar assassinar a própria Max.
  • Kate Marsh - Kate Marsh foi uma das vítimas de Jefferson, pois ela era pura, inocente e ingênua, correspondendo com os "requisitos" dele. Ele conta à Max que Kate poderia ter sido sua obra-prima. Em algum momento durante o semestre, Kate se tornou assistente de Jefferson na sala de aula e parece que ela confiou o suficiente nele para pedir ajuda no Episódio 2; mas ele a ignora dando a entender que ela estava sendo muito dramática, muito provavelmente com a intenção de se livrar dela para não correr risco de ter a Sala Escura descoberta. Se Max salvou a Kate, ela dirá que Kate viverá mais que Jefferson, e ele ficará irritado e dirá que após terminar com Max, ele fará uma nova visita à Kate para matá-la.

Interesses Amorosos

  • Rachel Amber - Embora agora esteja claro que Rachel estava apaixonada por Jefferson e que eles estavam tendo relações sexuais, não se sabe se ele correspondia aos sentimentos dela ou se apenas tirou vantagem do amor dela por ele para conseguir tirar fotos dela[4]. Jefferson parecia saber sobre Frank e Chloe, enquanto os dois não faziam ideia dos relacionamentos que ambos tinham com Rachel e nem do relacionamento que ela tinha com Jefferson, o que leva à interessante questão de Rachel confiar em Jefferson mais do que ninguém. Independente disso, ao explicar o que aconteceu com ela para Max, Jefferson não parece nem um pouco sentimental o que sugere que ele realmente nunca se importou com ela.

Espírito Animal e Simbolismo

Cores Simbólicas

Jefferson é bastante associado às cores preto e branco, considerando suas roupas e seu estilo fotográfico. Estas cores foram bastante associadas à morte no jogo, resultando em teorias sobre Jefferson estar envolvido no desaparecimento de Rachel Amber. A partir do Episódio 4, estas teorias foram confirmadas.

Espírito Animal

É altamente provável que o espírito animal de Jefferson seja a coruja. O animal aparece duas vezes no Episódio 4, podendo significar a associação de Jefferson com as áreas em que a coruja é mostrada; o celeiro, o qual ele está claramente associado devido à Sala Escura estar em um bunker subterrâneo ali; e no lixão, logo antes de Jefferson aparecer e imobilizar as garotas. A coruja poderia estar prenunciando o que viria; algo ideal nesta situação em particular, considerando o simbolismo que a coruja carrega.

A coruja representa bastante a sabedoria e mudança, assim como a habilidade de olhar além do comum e tirar inspiração de coisas que a maioria das pessoas não pode ver. Isso faz sentido considerando a profissão de Jefferson como fotógrafo; encontrando inspiração nos mínimos detalhes ao seu redor para tirar boas fotos. Sua inspiração pessoal tirada da beleza da inocência, vulnerabilidade e desespero poderia estar relacionada à este espírito animal. Mais importante, o símbolo mais tradicionalmente associado à coruja é a aproximação da morte, criando mudanças. Isso obviamente se aplica muito à Jefferson após seu encontro com as garotas no lixão, e seu envolvimento na morte de Rachel.

Frases Marcantes

"Considerando o seu hábito com as selfies, tenho certeza de que você já tem umas mil fotos."
— Jefferson para Max em "Chrysalis"
"A modelo levemente inconsciente é geralmente a mais aberta e honesta, sem vaidade nem poses, apenas... pura expressão."
— Jefferson para Max em "Polarized"
"Lembre-se da minha regra número um. Nunca perca o momento."
— Jefferson para Max em "Polarized"
"Elas estão fodendo no céu agora. É isso que você quer ouvir?"
— Jefferson falando sobre Rachel e Chloe para Max em "Polarized"
"Comece a me ouvir, puta retardada!"
— Jefferson para Max em "Polarized"

Teorias

Teorias Discutidas

Nota: Essas teorias foram desenvolvidas antes do lançamento do Episódio 5: Polarized.

Sala Escura

Haviam algumas teorias sobre Jefferson ser de alguma forma responsável pelo desaparecimento de Rachel Amber, e possivelmente pelo sequestro de Kate Marsh antes de ele ser oficialmente confirmado como a mente por trás dos crimes da Sala Escura. Suas fotografias em preto e branco têm como tema principal mulheres jovens em poses sexualizadas no auge de sua inocência; algo bastante suspeito. Seu trabalho é focado na inocência, mas é semelhante às imagens em preto e branco sobre tortura no quarto de Nathan, assim como as presentes no bunker dos Prescott. Suas palavras ditas no Episódio 1, "Falando sério, eu poderia enquadrar qualquer um de vocês em um canto escuro, e capturar a pessoa em um momento de desespero," também parecem ser um claro prenúncio de ele estar envolvido nos crimes ocorridos na Sala Escura.

A associação de sua profissão com "salas escuras", usadas para revelar fotos, alimentou a teoria de que o desenho de Nathan sobre "Rachel na sala escura" encontrado em "Chaos Theory", está ligado à Jefferson de alguma forma. Isto combinado com o rumor de Jefferson e Rachel terem tido relações sexuais, levam Jefferson a estar envolvido nos incidentes suspeitos que ocorrem na Blackwell. Também foi especulado que sentimentos românticos não correspondidos poderiam estar envolvidos.

Após ficar claro que Kate foi dopada e levada para um bunker com um estúdio fotográfico, a fim de ser fotografada sem seu consentimento em posições comprometedoras e vulneráveis, foi altamente sugerido que Jefferson teve responsabilidade nisso; e também sugeriu-se que ele teria sido o responsável por fotografar muitas outras vítimas, incluindo as fotos e a morte de Rachel Amber. Esta teoria foi sustentada por seu comportamento com Kate quando ela foi chorando até ele lhe pedir ajuda, e ele ignorou suas súplicas e deu a entender que ela era culpada pelo que aconteceu. Há rumores de que ele dormiu com Rachel, e ele também afirmou que "Kate não era nada parecida com Rachel" de maneira vagamente sinistra ao falar com Max.

Também havia uma forte possibilidade de ele estar associado à Nathan Prescott, devido à ligação de Nathan com as drogas e seu envolvimento público nas festas do Clube Vortex. O bunker foi claramente pago por Sean Prescott, o que liga a família às vítimas e também à Jefferson.

A partir do final do Episódio 4, Jefferson já era o mais provável responsável pelo sequestro de Rachel e Kate, juntamente com o de várias outras alunas que estão registradas em seus fichários. Não foi totalmente confirmado se ele e Nathan estavam trabalhando em equipe ou não, embora o fato de todos esses crimes acontecerem em um bunker possuído pela família Prescott tenha fortalecido essa probabilidade.

Enquanto Jefferson foi revelado como o criminoso por trás da sala escura, muitos fãs ainda especulavam seus verdadeiros motivos. Muitos simplesmente acreditavam que ele estava usando garotas jovens para suas fotografias em um acordo feito com os Prescotts. Já outros acreditavam que ele tinha um papel muito mais complexo e delicado no jogo e que nem tudo era o que parecia ser. Muitos fãs apontaram algumas informações que não parecem bater com o que Jefferson fazia na sala escura, como por exemplo:

  • O porquê de ele ter mantido Kate Marsh viva e a libertado;
  • O porquê de ele ter recusado investidas feitas por algumas alunas (especialmente a Victoria)
  • O porquê de ele ter uma grande quantidade de comida e bebida estocada na Sala Escura.

As teorias variaram de ele estar ciente da destruição da cidade e estar se preparando, até ser um assassino em série e psicopata.


Pai de Nathan

Uma teoria sem muitas sustenções era de que Jefferson era na verdade Sean Prescott, o pai de Nathan. Há dois fatos cruciais que derrubam esta teoria. O primeiro é uma foto de Nathan quando criança ao lado de seu pai Sean, que pode ser encontrada no quarto de Nathan. O segundo é que durante a Festa do Fim do Mundo, Luke Parker menciona que viu o pai de Nathan uma vez e o descreveu como um "idiota malvado" - se o pai de Nathan fosse realmente Jefferson, Luke iria obviamente reconhecê-lo.


Associação com Viagem no Tempo

Outra famosa teoria era a possibilidade de Jefferson, assim como a Max, ter o poder de controlar o tempo e/ou ter conhecimento das habilidades de Max; sendo este o motivo de ele escolher sedá-la para impedir que ela usasse seus poderes para voltar no tempo no final do Episódio 4. Esta teoria também foi considerada uma explicação para como ele conseguiu chegar no lixão tão rápido no final do episódio, pois quando Chloe e Max saíram da festa Jefferson ainda estava falando no palco (esta lógica não se sustenta, no entanto, pois se ele pudesse voltar no tempo e não fazer seu discurso, Max não poderia ouvir o discurso como ouviu), embora isso tenha sido explicado apenas por Jefferson estar dirigindo um veículo mais rápido que o de Chloe. Além da Chloe, Jefferson foi o único outro personagem que deu dicas ao longo do jogo de saber sobre os poderes da Max. A primeira fala de Jefferson no Episódio 1 faz uma conexão distinta entre o tempo e a fotografia, mencionando a fala de Alfred Hitchcock sobre "pequenas partes do tempo". Sua menção constante sobre o "dom" de Max no Episódio 1 pode ter sugerido que ele, de alguma forma, sabia sobre as habilidades dela, mas deu apenas um prenúncio sobre Max ter estas habilidades especiais. Além disso, foi especulado que ele tinha como alvo especialmente garotas com poderes de voltar no tempo, e como Rachel também poderia ter tido estes poderes, ele matou ela e agora estaria tentando matar Max.


Teorias Atuais

Ligação para Jefferson

Houve muito debate sobre quem ligou para Jefferson no Episódio 2, mas isto nunca foi revelado. Durante uma live de caridade feita pela Square Enix, quando os fãs perguntaram a identidade da pessoa em questão, a DONTNOD não respondeu. A pessoa mais provável é o pai de Nathan, Sean Prescott, considerando que os dois tinham "negócios" em comum à respeito da Sala Escura, e Sean poderia estar ligando para Jefferson para falar sobre Nathan, visto que suas crises estavam supostamente se tornando cada vez mais perigosas.

Curiosidades

  • O signo de Jefferson é Áries.
  • Logo no começo, o papel de Jefferson como antagonista principal da história é prenunciado em sua aula sobre fotografias em preto e branco que capturam a inocência, assim como sua frase mais marcante, "Falando sério, eu poderia enquadrar qualquer um de vocês em um canto escuro, e capturar a pessoa em um momento de desespero." Além disso, as menções à Hitchcock e Diane Arbus não são apenas Referências, tanto o diretor como a fotógrafa já foram acusados de manipular pessoas em seus ambientes de trabalho.
  • Em "Dark Room", a Dontnod despista os jogadores de maneira esperta, dando a eles uma imagem positiva de Jefferson com as conversas animadas e úteis que ele tem com Max e Chloe durante o episódio.
  • A placa do carro de Jefferson é TPFTHLK, uma referência à série Top of the Lake, que gira em torno de um detetive investigando o caso de uma garota desaparecida.
  • Em "Out of Time", Jefferson diz, em relação à Kate, que "talvez ela proteste demais," uma referência à frase "a mulher protesta demais, penso eu" da peça "Hamlet" de William Shakespeare.
  • Durante o Episódio 3, Max pode ver uma página na internet criada em apoio a Jefferson, que só aparece se ela causou a suspensão dele no episódio anterior. A página diz que seu aniversário é em 11 de abril de 1967 e que ele estudou na Academia Americana de Artes de Chicago.
  • O papel de parede de seu computador na Sala Escura é uma das fotos que ele tirou de Kate drogada.
  • Durante a cena do quadro de provas em "Dark Room", as pistas de David incluem uma foto e coordenadas do carro de Jefferson. Se cruzarmos a hora em que Kate foi sequestrada com as coordenadas dos veículos de Nathan e Jefferson, veremos que os dois estavam no mesmo local e na mesma hora, na noite de 4 de outubro.
  • Em "Dark Room", um bilhete endereçado à Nathan pode ser encontrado fixado na tela do computador no bunker, e enquanto Max supõe que seja do pai de Nathan, é muito provável que Jefferson tenha a escrito. O bilhete sugere que a relação que Jefferson tem com Nathan é de guia e tutor.
  • Em "Polarized", durante a sequência do pesadelo de Max, ela pode ver um mapa do dormitório feminino de quando Rachel Amber ainda estudava na Blackwell. Uma garota chamada Kelly Davis aparece ocupando o quarto 217, possivelmente a "Kelly" identificada em um dos fichários vermelhos de Jefferson na Sala Escura.
  • Parece que Jefferson gosta de jazz e blues, como mostrado por sua seleção de músicas na Sala Escura, e também tem um apreço por mangá japonês, possuindo uma ilustração original autografada.
  • De acordo com o mapa da Academia Blackwell, Jefferson tem um escritório maior que o do diretor. Isto é algo incomum em uma escola pequena como esta, e mostra o quão importante Jefferson é para a Blackwell. Este escritório maior pode na realidade fazer parte do contrato que convenceu Jefferson a vir para a Academia Blackwell dar aulas (junto com a exposição de seu trabalho no campus).
  • A câmera de Jefferson é uma versão modificada do formato médio de uma câmera digital Hasselblad, provavelmente baseada na linha DSLR (modelos H2D, H3D, H4D ou H5D). O jogador pode encontrar o mesmo modelo Hasselblad na Sala Escura.
  • O nome de Jefferson pode ter sido inspirado em um geógrafo e cartógrafo americano, ou em um jogador de cricket neozelandês, pois os dois se chamam Mark Jefferson.
  • Após uma atualização em 19 de janeiro de 2016, a data de nascimento de Jefferson, mostrada no computador da Max no Episódio 3, foi mudada de 11 de abril de 1967 para 11 de abril de 1975, o que deixa ele 8 anos mais novo.

Criação do Personagem e Conceitos

O personagem único de Jefferson e seu papel bastante significativo como antagonista trouxe vários temas sombrios para Life is Strange, o que contribuiu para o forte desenvolvimento da história e os relacionamentos entre outros personagens. Quando questionados pelos fãs durante a live da Square Enix de Life is Strange, os desenvolvedores revelaram que basicamente tinham o personagem de Jefferson definido desde o início. Eles queriam que ele tivesse a imagem de "professor descolado" e receberam muitos comentários positivos dos fãs durante os primeiros episódios, dizendo que gostavam muito de Jefferson, mas logo adquiriram muita raiva por ele após jogarem o Episódio 4.

Em uma clara demonstração de sua natureza e personalidade duvidosas, eles apontaram como a verdadeira face malvada de Jefferson apareceu na Sala Escura durante o Episódio 5. Os desenvolvedores também revelaram em uma conversa que Rachel Amber estava de fato apaixonada por Jefferson antes de sua morte e que a carta escrita por ela à Chloe (que pode ser encontrada no lixão no Episódio 2) fazia referências à Jefferson. Mark nunca foi uma figura suspeita para a maioria das pessoas pois usava sua profissão como cobertura, criando assim a imagem "perfeita".

Fred Augis, o artista conceitual que projetou Jefferson, explicou em uma entrevista que, "Jefferson devia parecer um veterano do mundo artístico, mas também devia ser bonito e fácil de conversar. Nós queríamos que ele parecesse alguém que gosta quando as pessoas prestam atenção no que está dizendo, ou quando estão admirando seu trabalho em uma exposição artística."[5]

Referências

  1. Esta informação pode ser encontrada em um site aberto no computador da Max no Episódio 3, criado em apoio ao Jefferson se ele foi suspenso da competição no episódio anterior. Originalmente, a data de nascimento do Jefferson era 11 de abril de 1967, mas foi mudada em uma atualização de 15 de janeiro de 2016.
  2. "A vida é o que acontece enquanto você está ocupado fazendo outros planos."
  3. Se você culpou Jefferson no episódio 2, ao terem uma conversa sobre a Kate, ele dirá para Max: "Quando você contou ao diretor que eu fiz a Kate chorar, achei que tivesse me pegado. Ainda bem que o nosso honrado diretor Wells é como a maioria dos administradores: um cachaceiro."
  4. Durante uma live de Life is Strange, os desenvolvedores confirmaram que Rachel estava de fato apaixonada por Jefferson, e que na carta para Chloe encontrada no esconderijo Rachel estava se referindo à ele.
  5. Fred Augis fala o que faz um bom personagem (inglês) (28 de agosto de 2016)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.