FANDOM


RoteiroEpisódio

Este artigo é um roteiro do Episódio 1: Chrysalis.

Pesadelo Editar

Há uma tempestade muito forte. A floresta e o farol são brevemente iluminados pelos relâmpagos. Max está deitada no chão com os olhos fechados. Ela lentamente abre os olhos e olha ao seu redor.

Max (pensando): Onde estou? O que está acontecendo? (levantando) Estou presa em uma tempestade? Como cheguei aqui? E onde exatamente é "aqui"?

Max avista o farol ao longe.

Max (pensando): Espere... lá está o farol! Ficarei segura se conseguir chegar até lá... Espero eu... Por favor, deixe-me chegar até lá...

Max levanta o braço esquerdo para se proteger da tempestade e começa a caminhar.

Max (pensando): Vamos, Max, você consegue...

Max alcança o farol e vê o tornado se aproximando de Arcadia Bay.

Max: Puta merda.

Um barco de pesca é levantado pelo tornado e bate no farol, partindo-o ao meio. A parte de cima do farol começa a cair em cima de Max.

Max: Uou! Não!

Blackwell Editar

Aula de Fotografia Editar

Max acorda na sala de aula e observa as pessoas ao seu redor.

Max (pensando): Uou! Isso foi tão surreal.

Sr. Jefferson: Alfred Hitchcock disse que os filmes eram "pequenas partes do tempo". Mas ele poderia estar falando de fotografia, o que provavelmente era o caso.

Max (pensando): Certo... estou na aula...

A caneta de Stella cai no chão e ela se abaixa para pegar.

Max (pensando): Está tudo bem... eu estou bem...

Sr. Jefferson: Essas partes do tempo podem nos mostrar em nossa glória e nossa tristeza; da luz às sombras; das cores ao chiaroescuro.

Taylor joga uma bola de papel em Kate.

Sr. Jefferson: Agora, vocês podem me dar um exemplo de um fotógrafo que capturou perfeitamente a condição humana em preto e branco?

O celular da Victoria vibra.

Max (pensando): Eu não dormi, e... isso com certeza não pareceu um sonho... estranho.

Max olha para sua foto em cima da mesa e volta a prestar atenção na aula.

Sr. Jefferson: Alguém? Bueller?

Victoria: (levantando a mão) Diane Arbus.

Sr. Jefferson: Isso aí, Victoria! Por que a Arbus?

Victoria: Por causa das imagens de rostos sem esperança dela. Você se sente completamente aterrorizado pelos olhos tristes daquelas mães com seus filhos.

Sr. Jefferson: Ela via a humanidade torturada, certo? E, sinceramente, isso é besteira. Shh, não contem isso pra ninguém. Mas falando sério, eu poderia enquadrar qualquer um de vocês em um canto escuro e capturar a pessoa em um momento de desespero. E qualquer um de vocês poderia fazer isso comigo. Não é fácil demais? Óbvio demais? E se a Arbus tivesse escolhido capturar as pessoas no auge de sua beleza ou inocência? Ela tinha um ótimo olho, então poderia ter escolhido outra abordagem.

Victoria: Tenho que admitir, não sou muito fã do trabalho dela. Eu prefiro... o Robert Frank.

Sr. Jefferson: Eu também, Victoria. Ele capturou a essência do período pós-guerra dos EUA. E houve honestidade quanto às condições econômicas da era, mas uma beleza na luta. Você não consegue beleza sem esforço. O que explica por que o Frank foi a inspiração fotográfica de Kerouac e ambos foram grandes cronistas nos anos 50. Bem... todos já vimos a fotografia icônica de Kerouac na varanda — e, se vocês não viram, é uma pena — capturando a solidão urbana romântica do poeta do século XX. Entenderam? Agora, comparem a Americana perfeccionista de Frank com as fotografias surrealistas do Salvador Dalí. Como Cocteau, ele foi um verdadeiro homem renascentista, e seus famosos autorretratos são exemplos pioneiros daquela palavra horrorosa que vocês moleques tanto amam, a "selfie". É uma grande tradição e eu, de coração, luto pelo direito da autoexpressão. Ou autorretratação. Hah, foi mal, eu sei. Então, se alguém quiser questionar o retrato como narcisismo moderno, poderiam voltar centenas de anos atrás para culpar a sociedade. Falando em questionar, aposto que vocês acharam que eu falaria até o sinal tocar. É a vez de vocês darem continuidade à aula. Agora, com base nos capítulos que não tenho dúvidas de que vocês memorizaram, quem pode me dizer o nome do processo que levou à origem do autorretrato?... Alguém? Isso não parece bom.... Apenas se manifestem com uma resposta... Isso estava nos capítulos que vocês leram... Vocês leram os capítulos, né?... O silêncio de vocês é ensurdecedor... Se isso fosse uma fotografia, eu chamaria de "natureza morta".

Max tira uma foto com sua câmera.

Sr. Jefferson: Shh, acho que a Max tirou o que vocês jovens chamam de "selfie"... Uma palavra idiota para uma tradição fotográfica incrível. E a Max... tem um dom. É claro, como todos sabem, o retrato fotográfico é popular desde o início de 1800. A geração de vocês não foi a primeira a usar imagens para se expressar com "selfies". Foi mal. Não pude resistir. O fato é que, o retrato sempre foi um aspecto essencial da arte e da fotografia, desde o seu surgimento. Agora, Max, como você capturou nosso interesse e claramente quer participar da conversa, pode por favor nos dizer o nome do processo que deu origem aos primeiros autorretratos?

Está perguntando pra mim?
Max: Essa pergunta é pra mim? Me deixe pensar... Hm...

Eu sabia...
Max: Eu sabia! ...Mas meio que esqueci.

Sr. Jefferson: Ou você sabe, ou não, Max. Tem alguém aqui que sabe a resposta certa?

Victoria: Louis Daguerre foi um pintor francês que criou o "daguerreótipo", um processo que deu aos autorretratos um estilo refletivo, como um espelho. (virando para Max) Agora você está completamente presa na zona retrô. Que triste.

Taylor ri.

Sr. Jefferson: Muito bem, Victoria. O processo daguerreótipo trouxe mais detalhes aos rostos das pessoas, tornando-os extremamente populares a partir de 1800. O primeiro autorretrato daguerreótipo americano foi feito por Robert Cornelius. Vocês podem descobrir tudo sobre ele... no livro escolar. Ou até mesmo... na internet.

O sinal toca e os alunos começam a se levantar.

Sr. Jefferson: E, pessoal, não se esqueçam do prazo para mandar uma fotografia para a competição "Heróis do Cotidiano". Eu viajarei com o vencedor para São Francisco, onde ele será presenteado com o mundo da arte. É uma ótima exposição e pode dar início à uma grande carreira fotográfica. Então, Stella e Alyssa, se organizem. Taylor, não se esconda, ainda estou esperando a sua participação também. E, sim, Max, estou vendo você fingir que não me vê.

Os alunos saem e Victoria vai falar com Jefferson na mesa dele.

Max (pensando): A Victoria não desperdiça um segundo babando ovo...


Conversa de Jefferson e Victoria Editar

Sr. Jefferson: Sim, Victoria, você ainda tem que fazer seu dever de casa essa semana, mesmo enviando sua foto para a competição. Todos na turma estão enviando uma foto, então, pode ver o dilema?

Victoria: Eu sei, Sr. Jefferson. Mas é que eu trabalhei tanto nessa fotografia e tenho certeza de que você sabe como é estar consumido por seu trabalho. Eu só acho que a competição Heróis do Cotidiano é um evento cultural muito importante e quero representar a Academia Blackwell.

Sr. Jefferson: Você já está só por ter participado, mostrando-se para o mundo afora. Bem, não importa o vencedor, isso é só uma parte do que está por vir. Não quero que ninguém se sinta excluído desse processo. Mas também quero que todos saibam que esse mundo da fotografia não é pra qualquer um. Tive meu momento com a câmera e todos devem ter a mesma chance, correto?

Victoria: Ah, com certeza. Eu só quero compartilhar todos os dons que eu tenho com o mundo...


Conversa Opcional com a Kate Editar

Max: Olá, Kate.

Kate: Ah, olá, Max.

Espero não ter constrangido você...
Max: Kate, espero não ter constrangido você com minha resposta horrível.

Kate: É uma merda ser o centro das atenções.

Max: A menos que você seja a Victoria.

Kate: Ela não chega a seus pés, Max. Bem, é melhor eu ir embora.

Max: É, eu também. Falamos depois.

Kate: Claro.

Você parece quieta hoje.
Max: Você parece quieta hoje.

Kate: Só estou pensando demais...

A Victoria já venceu...
Max: Acho que a Victoria já venceu a competição... Como sempre.

Kate: Ela não chega a seus pés, Max. Bem, é melhor eu ir embora.

Max: É, eu também. Falamos depois.

Kate: Claro.

Que tal uma xícara de chá?
Max: Entendo. Quer tomar uma xícara de chá e reclamar da vida?

Kate: Obrigada, mas hoje não. Tenho que fazer o dever de casa.

Max: Sem problemas. Nos encontramos depois.

Kate: Claro.


Conversa com o Jefferson Editar

Max: Com licença, Sr. Jefferson, posso falar com você por um segundo?

Victoria: Sim, dá licença.

Sr. Jefferson: Não, Victoria, dá licença você. Eu jamais deixaria uma das futuras estrelas da fotografia não entregar sua foto.

Tenho mesmo que fazer isso?
Max: Tenho mesmo que fazer isso? É que eu acho que não é algo muito importante.

Não tive tempo...
Max: Não tive tempo suficiente... Muito dever de casa.

Sr. Jefferson: Max, você é melhor fotógrafa que mentirosa... Eu sei que é um saco ter de ouvir um velho dando aula, mas a vida não espera você tomar alguma atitude. Você é jovem, o mundo é seu, blá blá blá, entende? Mas você realmente tem um dom. Tem a capacidade de fotografar e enquadrar o mundo de uma maneira que só você enxerga. Agora, tudo que você precisa é de coragem para compartilhar esse dom com os outros. É isso que separa os artistas dos amadores.

Max sai da sala de fotografia.


Corredor Editar

Max (pensando): Bem-vinda ao mundo real...

Vários alunos começam a caminhar pelo corredor.

Max (pensando): Preciso muito de um tempo no banheiro. Jogar água no rosto e garantir que não estou parecendo uma idiota.

Max se encosta na parede e coloca seus fones de ouvido. Ela põe uma música para tocar e se desencosta da parede.


Conversa de Juliet e Zachary Editar

Juliet: Você não disse o quanto estou bonita ainda.

Zachary: Eu já ia dizer. Você está sempre bonita.

Juliet: Só bonita?

Zachary: Sexy.

Juliet: Então, talvez eu te mande uma fotinho especial durante a aula.

Zachary: Não pense em me provocar.

Juliet: Você sabe que eu não provoco.

Zachary: Odeio aquela aula de ciências com aqueles nerds.

Juliet: O que isso tem a ver?

Zachary: Hã, porque se você me mandar uma foto não vou ficar entediado.

Juliet: Você é um idiota.


Conversa de Courtney e Taylor Editar

Courtney: Por que alguém iria querer andar por aí com uma câmera analógica ridícula?

Taylor: Porque a Max quer que todos vejam como ela é descolada.

Courtney: Até parece. Ela é toda tímida.

Taylor: Ela é tímida pra caralho, tira selfies com uma câmera gigante.


Conversa de Justin e Dana Editar

Justin: Tô falando sério. Eu não conseguia nem sair do sofá.

Dana: E quando é que você consegue?

Justin: Quando tenho que me medicar. E te ver.

Dana: Você devia parar de fumar.

Justin: Eu parei, Dana. Eu não fumo desde... Desde que acordei às sete.

Dana: De que adianta vir pra aula quando está chapado?

Justin: De que adianta vir pra aula?

Dana: Tá bom, rebelde.

Justin: Além do mais, pra que você acha que serve a hora do lanche?

Dana: Você é tão bobo que nunca consigo ficar brava com você.

Justin: Quer um pouco do meu Fire OG?


Conversa de Logan, seu amigo e Daniel Editar

Logan: Ei Daniel, tá lembrado que hoje é dia de pagar?

Amigo: É, de pagar...

Logan: Eu sei que você não se esqueceu que nos deve dinheiro.

Daniel: Eu esqueci o porquê.

Logan: Pra garantir que ninguém te dê uma surra.

Amigo: É, uma surra.

Daniel: Logan, sério, me deixa em paz.

Logan: Você não manda em mim, mano.

Amigo: Não manda, mano.

Daniel: Não, eu só tô... Só tô tentando ir pra aula.


Comentários da Brooke jogando no celular Editar

Brooke: Vamos lá, aguenta aí... Vira nessa curva... Ahhh, merda! Foi mal, fazendeiros. Vai, levanta! Ferrari, sai da minha frente, valeu? Quase lá... Terceiro lugar? Besteira! Tão roubando!


Comentários do Samuel varrendo o chão Editar

Samuel: Eu não me importo de varrer o chão, mas vocês não podem limpar seus malditos pés? Estão deixando sujeira em todo o lugar. Porém, esse esfregão é ótimo. Eu deixo tudo limpo. Me sinto como um fantasma pra esses meninos. Eles mal olham para mim. Pobre garota. Ninguém deveria desaparecer desse jeito...


Banheiro Editar

Max (pensando):(tirando os fones) Vazio. Ótimo. Ninguém vai poder ver minha crise. A não ser eu mesma.

Max respira fundo e lava o rosto usando uma das pias, e depois tira do bolso uma foto sua.

Max (pensando): Relaxa. Pare de se torturar. você tem "um dom".

Max: Foda-se.

Max rasga a foto. Uma borboleta aparece e Max se aproxima dela.

Max (pensando): Quando uma porta se fecha, uma janela se abre... Ou algo do tipo.

A borboleta pousa em um balde no canto.

Max (pensando): Ok, garota, você não tem uma oportunidade fotográfica dessas todos os dias...

Max vai até a borboleta e tira uma foto dela. A borboleta voa e pousa em uma das pias. Nathan entra no banheiro e fecha a porta. Max ouve o barulho e se vira.


Conversa de Nathan e Chloe Editar

Nathan: Relaxa, Nathan... Não se estressa... Você tá bem, cara, só... conta até três... Não tenha medo... Você é o dono da escola... Se eu quisesse, poderia explodi-la... Você é quem manda...

Chloe entra.

Nathan: Então, o que você quer?

Chloe (abrindo as outras portas): Espero que tenha verificado o perímetro, como o idiota do meu padrasto falaria. Agora, vamos falar de negócios.

Nathan: Não tenho nada pra você.

Chloe: Errado. Você tem muita grana.

Nathan: É a minha família quem tem, não eu.

Chloe: Ah, bú, bú... coitado do riquinho. Eu sei que você tem vendido drogas e outras merdas pra alguns garotos aqui... Aposto que sua família respeitável me ajudaria se eu fosse até eles. Cara, já consigo ver as manchetes...

Nathan: Deixa eles fora disso, vadia.

Chloe: Posso dizer pra todo mundo que o Nathan Prescott não passa de um retardado que implora feito uma menininha e fala sozinho...

Nathan pega sua arma e aponta para Chloe.

Nathan: Você não faz ideia de quem eu sou com quem está se metendo!

Chloe: De onde você tirou isso? O que tá fazendo? Qual é, abaixa essa coisa!

Nathan: NUNCA me diga o que fazer. Estou FARTO de pessoas tentando me controlar!

Chloe: Você vai ter muito mais problemas por isso do que pelas drogas.

Nathan: Ninguém nunca ia sentir falta de uma retardada como você, ia?

Chloe: Tira essa arma de perto de mim, seu psicopata!

Chloe empurra Nathan e ele puxa o gatilho, acertando ela no estômago. Max grita e ergue sua mão direita. A arma e Chloe caem no chão em câmera lenta. Segundos depois, a sequência reverte rapidamente e Max acorda de novo na aula.


Aula do Jefferson Editar

Max (pensando): Nossa! Que porra é essa...? Como? Como assim? Eu estava no banheiro... Ele atirou naquela pobre garota... Eu levantei a mão... e aí voltei pra cá.

Jefferson repete a aula ao fundo. A caneta da Stella cai no chão.

Max (pensando): Eu já assisti à essa aula...

Taylor joga uma bola de papel na Kate.

Max (pensando): Agora a Kate está sendo incomodada de novo... E, se o celular da Victoria tocar... a parada é séria.

O celular da Victoria vibra. Max derruba sua câmera acidentalmente e acaba quebrando-a.

Max (pensando): Merda! Cara, não acredito nisso... Certo, se estou maluca, é melhor ir até o final... Eu consigo mesmo voltar no tempo?

Max ergue sua mão direita e volta no tempo. A câmera é consertada e retorna à sua posição original.

Max (pensando) (olhando para a mão) Eu consegui... Eu consegui mesmo! Sou uma máquina do tempo humana...

Max (pensando): Max, não enlouqueça. Não ainda. Mantenha a calma, Max. Quando tirei a minha selfie, o Jefferson me fez uma pergunta. Se ele fizer de novo, saberei que isso é sério.

Max tira uma selfie.

Sr. Jefferson: Shh, acho que a Max tirou o que vocês jovens chamam de "selfie"... Uma palavra idiota para uma tradição fotográfica incrível. E a Max... tem um dom.

Max (pensando): Eu sei que não estou sonhando. É de verdade. Tenho certeza.

Sr. Jefferson: É claro, como todos sabem, o retrato fotográfico é popular desde o início de 1800. A geração de vocês não foi a primeira a usar imagens para se expressar com "selfies". Foi mal. Não pude resistir.

Max (pensando): Então eu consigo voltar no tempo... E se aquela garota ainda estiver viva? Será que posso salvá-la?

Sr. Jefferson: O fato é que, o retrato sempre foi um aspecto essencial da arte e da fotografia, desde o seu surgimento.

Max (pensando): Preciso ir rápido ao banheiro pra descobrir!

Sr. Jefferson: Agora, Max, como você capturou nosso interesse e claramente quer participar da conversa, pode por favor nos dizer o nome do processo que deu origem aos primeiros autorretratos?

Estou passando mal.
Max: Desculpe, estou passando mal. Pode me dar licença?

Tenho que usar o banheiro.
Max: Desculpe, mas eu preciso muito usar o banheiro.

Sr. Jefferson: Boa tentativa, Max. Mas você não vai se safar tão fácil assim. Podemos conversar mais depois da aula.

Max (pensando): (balançando a cabeça) Merda, o Jefferson quer que eu fique aqui depois da aula. E eu preciso de tempo pra salvar aquela garota...

Sr. Jefferson: Tem alguém aqui que sabe a resposta certa?

Victoria: Louis Daguerre foi um pintor francês que criou o "daguerreótipo", um processo que deu aos autorretratos um estilo refletivo, como um espelho. (virando para Max) Agora você está completamente presa na zona retrô. Que triste.

Sr. Jefferson: Muito bem, Victoria.

Max (pensando): E se eu voltar no tempo de novo e der a resposta certa pra ele?

Max volta no tempo.

Sr. Jefferson: Agora, Max, como você capturou nosso interesse e claramente quer participar da conversa, pode por favor nos dizer o nome do processo que deu origem aos primeiros autorretratos?

Max: O processo daguerreótipo. Inventado por um pintor francês chamado... Louis Daguerre. Nos meados de 1830.

Sr. Jefferson: Alguém andou lendo além de posar. Bom trabalho, Max.

Victoria bufa para Max e se vira para ela.

Sr. Jefferson: O processo daguerreótipo tornou o retrato bastante popular, principalmente porque trouxe uma imagem clara e definida aos temas. Vocês poderão aprender mais quando terminarem de ler os capítulos mencionados. A Max, até agora, está bem à frente de todos.

O sinal toca.

Sr. Jefferson: E, pessoal, não se esqueçam do prazo para mandar uma fotografia para a competição "Heróis do Cotidiano". Eu viajarei com o vencedor para São Francisco, onde ele será presenteado com o mundo da arte. É uma ótima exposição e pode dar início à uma grande carreira fotográfica. Então, Stella e Alyssa, se organizem. Taylor, não se esconda, ainda estou esperando a sua participação também. E, sim, Max, estou vendo você fingir que não me vê.

Max (pensando): Max, você não está louca e nem está sonhando. Está na hora de ser uma heroína do cotidiano.


Conversa Opcional com a Kate Editar

Kate: Boa resposta, Max. Você está bem? Parece pálida.

Max: Kate, hm, nós já nos falamos hoje?

Kate: Essa é a primeira vez. Qual é o problema?

Max: Desculpa, estou viajando. Muito estresse.

Kate: Sei como é.

Tenho que ir.
Max: Tenho que ir... Muita coisa acontecendo agora.

Kate: Claro.

Queria que não fosse assim.
Max: Queria que não fosse assim. Eu tenho que ir agora, mas podemos conversar mais tarde, se quiser.

Kate: Vou ver como estarei. Obrigada, Max.


Max tenta sair da sala de aula, mas é parada por Jefferson.

Sr. Jefferson: Estou te vendo, Max Caulfield. Nem pense em sair daqui até conversamos sobre sua participação.

Max vai até Jefferson.


Conversa de Jefferson e Max Editar

Sr. Jefferson: Eu jamais deixaria uma das futuras estrelas da fotografia não entregar sua foto.

Não estou evitando.
Max: Não estou evitando, só estou...

Sr. Jefferson: Ganhando tempo, esperando o ilusório "momento certo"?

Max: Exatamente.

Não sei se tenho.
Max: Ah, é, não sei se tenho uma.

Sr. Jefferson: Considerando o seu hábito com as selfies, tenho certeza de que você já tem umas mil fotos.

Max: Vai demorar muito tempo até eu achar uma boa.

Sr. Jefferson: Max, não espere demais. O John Lennon disse uma vez que "A vida é aquilo que acontece enquanto você está ocupado fazendo outros planos." Pode ir, não me deixe detê-la.

Max volta no tempo.

Max: Com licença, Sr. Jefferson, posso falar com você por um segundo?

Victoria: Sim, dá licença.

Sr. Jefferson: Não, Victoria, dá licença você. Eu jamais deixaria uma das futuras estrelas da fotografia não entregar sua foto.

Max: Estou cuidando disso. Acho que o John Lennon disse uma vez que, "A vida é aquilo que acontece enquanto você está ocupado fazendo outros planos."

Sr. Jefferson: Max, você está com tudo hoje. Todas as respostas certas. Ótimo. Tente terminar de trabalhar nisso hoje. Tenho fé em você.

Max sai da sala de aula.


Corredor Editar

Max (pensando): Espero ter tempo suficiente pra chegar no banheiro... por favor... por favor... Não posso contar a ninguém... vão achar que sou maluca!

Max entra no banheiro.


Banheiro Editar

Max (pensando): Certo, Max, refaça cada passo... (se aproxima da pia) Eu lavei o rosto... (lava o rosto) Rasguei minha foto... (rasga a foto) Depois... a borboleta entrou... E eu tirei uma foto...

Max tira uma foto da borboleta. Ela espera escondida no canto Nathan e Chloe aparecerem.

Nathan: ...Deixa eles fora disso, vadia.

Chloe: Posso dizer pra todo mundo que o Nathan Prescott não passa de um retardado que implora feito uma menininha e fala sozinho...

Nathan: Você não faz ideia de quem eu sou com quem está se metendo!

Chloe: De onde você tirou isso? O que tá fazendo? Qual é, abaixa essa coisa!

Max (pensando): Caramba, tá acontecendo de novo. (olha para o alarme de incêndio) Preciso de um martelo pra quebrar o vidro!

Nathan: NUNCA me diga o que fazer. Estou FARTO de pessoas tentando me controlar!

Chloe: Você vai ter muito mais problemas por isso do que pelas drogas.

Nathan: Ninguém nunca ia sentir falta de uma retardada como você, ia?

Chloe: Tira essa arma de perto de mim, seu psicopata!

Nathan atira em Chloe.

Nathan: Ah.. Merda! Não, não, não, não...

Ele deixa a arma cair no chão. Ele começa a sacudir a Chloe e caminhar pelo banheiro bastante nervoso.

Max (pensando): Puta merda, não posso deixar isso acontecer... Se eu puder voltar no tempo de novo, vou conseguir ajudá-la.

Max volta no tempo.

Nathan: NUNCA me diga o que fazer. Estou FARTO de pessoas tentando me controlar!

Chloe: Você vai ter muito mais problemas por isso do que pelas drogas.

Nathan: Ninguém nunca ia sentir falta de uma retardada como você, ia?

Max empurra um carrinho e encontra um martelo no chão. Ela pega o martelo, quebra o vidro e dispara o alarme.

Nathan (olhando para trás): Sem essa...

Chloe: NUNCA mais encoste em mim, aberração!

Chloe empurra Nathan e ele cai no chão. Ela sai do banheiro e Nathan pega sua arma e esbarra nos pedaços da foto de Max no chão.

Nathan: Outro dia de merda...

Nathan sai do banheiro.

Max (pensando): Isso não aconteceu! Não pode ser verdade! Acabei de ver uma garota ser baleada e, em seguida, a salvei! Que porra é essa que tá acontecendo? Não. Pire. De. Vez.

Max sai do banheiro.


Corredor Editar

Conversa com o David Editar

David: Ei, você ouviu o alarme de incêndio? Significa que você deveria estar lá fora.

Max: Eu tive que usar o banheiro...

David: Garotas sempre usam essa desculpa.

Max: Desculpa pra o quê?

David: Pra seja lá o que você está planejando. Seu rosto está coberto de culpa.

Max: O alarme me assustou.

David: Então vaza daqui, mocinha. Ou está escondendo algo? Hein?

Diretor Wells: Obrigado, Sr. Madsen, a situação está sob controle. Não há nenhuma emergência aqui. Deixe a senhorita Caulfield em paz e por favor desligue o alarme, já que é este o seu trabalho.

David vai embora.


Conversa com o Diretor Wells Editar

Max vai sair do prédio, mas Wells a interrompe.

Wells: Espere, Max. Volte aqui. Você parece um pouco estressada. Está tudo bem?

Max: Eu... só estou um pouco preocupada... com o meu futuro.

Wells: Você está suando. É só isso que está acontecendo? Você pode sempre ser honesta comigo, Max. Ou você fez algo errado... é isso? Hein, Max? Fale para mim.

DEDURAR O NATHAN
Max: Acabei de ver o Nathan Prescott com uma arma... no banheiro feminino.

Wells: Nathan Prescott? Tem certeza?

Max: Sim. Ele estava no banheiro falando sozinho, com uma arma. Eu vi tudo! Ele estava gaguejando que nem um maluco...

Wells: Ok, acalme-se, acalme-se. Então você viu isso... sem ele ver você?

Max: Eu estava escondida no canto. Eu tenho todo o direito de estar lá. É o banheiro feminino...

Wells: Eu sei, eu sei. Só queria saber exatamente o que aconteceu. Acontece que o Sr. Prescott é da família mais respeitada da cidade. E um dos alunos mais importantes da Blackwell. Portanto, é difícil acreditar que ele estava portando uma arma no banheiro feminino. E o que aconteceu depois?

Max: Depois... depois ele foi embora. Eu corri até aqui pensando no que fazer. Você vai suspender ele?

Wells: Essa é uma acusação muito séria. Vou averiguar o assunto pessoalmente. Obrigado por trazê-lo para mim.

Max: Só isso? Depois de tudo que lhe falei...

Wells: Continuaremos essa conversa mais tarde, no meu escritório... Agora por favor vá lá para fora com o resto da turma, senhorita Caulfield.

Max (pensando): É claro que esse robô acadêmico não vai fazer nada, já que a família Prescott manda na Blackwell agora. Será que eu deveria voltar no tempo e mudar a minha história?

ESCONDER A VERDADE
Max: Eu só passei mal na aula... Hm, problemas de mulheres...

Wells: Exceto que você estava perambulando por aí feito um zumbi. E você acha que essa é a primeira vez que uma aluna tenta usar esse truque comigo?

Max: É verdade. Eu senti tontura na aula do Sr. Jefferson...

Wells: Apenas me diga o que está escondendo. Você pode confiar em mim.

Max: Não tenho nada a esconder. Eu passei mal. Acontece, sabe...

Wells: De novo com essa atitude de adolescente. Quer saber, já ouvi o bastante. Não pense que eu não sei o que acontece por aqui. Você está aqui há apenas três semanas e já está causando conflito. Não acho que seus pais aprovarão isso quando descobrirem. Agora vá lá para fora com a turma. Por favor.

Max (pensando): Não, ele não acreditou em nada. Eu provavelmente acabei de jogar minha bolsa no lixo... Sim, eu poderia voltar no tempo e dizer à ele toda a verdade...

Max sai do prédio.


Campus Principal Editar

DEDUROU O NATHAN
'Diretor Wells (alto-falantes): Nathan Prescott, por gentileza, compareça ao escritório do diretor. Obrigado.

Conversa Opcional com a Srta. Grant Editar

Max: Olá, Srta. Grant.

Michelle: Com licença, Max? Eu sei que todos adoram que alguém peça para que assinem um abaixo-assinado, mas você faria um grande favor à Srta. Grant de me escutar?

Claro.
Max: Claro, eu sempre tenho tempo pra você. Sobre o que é esse abaixo-assinado?

Michelle: David Madsen, nosso chefe de segurança, quer colocar câmeras de vigilância em todo o campus. Corredores, salas de aula, ginásios, quartos dos dormitórios, etc. A Academia Blackwell deveria ser um colégio, e não uma prisão de segurança máxima.

David Madsen.
Max: O David Madsen não precisa de outra desculpa pra importunar os alunos por aqui...

Michelle: Max, isso não se trata de personalidades, isso se trata de proteger os direitos civis e o legado de liberdade da nossa escola.

Isso é loucura.
Max: Isso é loucura. Entendo por que as escolas deveriam estar em alerta hoje em dia, mas câmeras nos quartos dos dormitórios?

Michelle: É uma bola de neve. E cabe a você e seus colegas impedirem isso.

Isso poderia ter ajudado a Rachel.
Max: Acho que as câmeras poderiam ter ajudado a Rachel. Entendo os dois lados.

Michelle: Você é muito justa, Max. E todos nós rezamos para que a Rachel seja encontrada sã e salva, e que a alma dela seja abençoada. No entanto, esse abaixo-assinado não é sobre ela.

Michelle: A Academia Blackwell tem uma nobre herança, desde os nativo-americanos que fundaram esta terra até os pioneiros que a dividiram em paz, sem medo nem violência.

Os nativo-americanos?
Max: Os nativo-americanos?

Michelle: As tribos que estavam aqui primeiro e deram boas-vindas aos colonizadores. Ambas culturas descobriram uma simbiose mútua e passaram a prosperar juntas.

A Blackwell é tão antiga assim?
Max: A Blackwell é tão antiga assim? Isso é incrível.

Michelle: Você deveria aprender um pouco da história de sua escola. Vai descobrir vários fatos fascinantes. Há muito poder nesta região. Acho que isso ajuda a criatividade a fluir por aqui.

Você sabe bastante.
Max: Você sabe bastante sobre a Blackwell pra ser a professora de ciências.

Michelle: Ciência é história, Max. E eu tenho um desejo secreto de dar aulas sobre histórias e lendas locais. Há muitos fatos únicos desta região que você poderia gostar muito de aprender.

Michelle: Agora antes que eu te passe um dever de casa sobre esta matéria, você poderia assinar o abaixo-assinado para impedir que o nosso campus volte para 1984?

Assinar.
Max: Com certeza. Eu não me importo com segurança, mas... pura vigilância é outra coisa.

Michelle: Eu sabia que você era minha nova aluna favorita na Blackwell por um bom motivo.

Não assinar.
Max: Srta. Grant, eu respeito muito sua paixão e conhecimento, mas algumas câmeras de segurança por aqui fariam eu me sentir um pouco mais segura.

Michelle: Não sou contra a segurança, Max. Todos nós deveríamos nos preocupar quando o espaço privado se torna público. A sua geração foi induzida a pensar que tudo deve ser registrado.

Não.
Max: Bom, estou com um pouco de pressa agora, não tenho tempo para isso...

Michelle: É uma pena. Coisas muito sérias estão acontecendo na Blackwell e elas afetam principalmente você. Volte para me ver quando estiver com tempo, promete?


Conversa Opcional com a Brooke Editar

Max: Olá, Brooke.

Brooke: Deixa eu adivinhar... Você quer pilotar o meu drone?

Eu adoraria.
Max: Eu adoraria! Adoro aviões, balões e...

Brooke: Nenhuma das opções. Você sabe mesmo o que é um drone?

Max: Uma arma, certo?

Brooke: Hm, você lê muitos sites de conspiração. Isso pode ser complicado demais pra você. Engraçado, o Warren disse que você era esperta. Por favor, se afasta.

Isso não é ilegal.
Max: Ele é seu mesmo? Isso não é ilegal?

Brooke: É claro. Ninguém sabe dele ainda.

Max: Isso não é considerado uma arma de guerra?

Brooke: Hm, você lê muitos sites de conspiração. Isso pode ser complicado demais pra você. Engraçado, o Warren disse que você era esperta. Por favor, se afasta.

Esse é um drone Hi-Fi. (após voltar no tempo)
Max: Parece um drone Hi-Fi, modelo... B400 EVO? Isso que é tecnologia.

Brooke: Você é uma caixa de surpresas. Como sabe disso?

Max: Eu amo fotografias aéreas. Drones são perfeitos pra isso, especialmente os de longo alcance. É uma nova era de imagens.

Brooke: Muito impressionante, Max. O Warren disse que você tinha muitas facetas. Aqui, dê uma volta no campus com o drone.


Conversa Opcional com o Hayden Editar

Max: E aí, Hayden.

Hayden: Aí está ela, a mestra das selfies retrô.

Max: A própria. Você parece relaxado como sempre, Hayden.

Hayden: É uma habilidade que se cultiva na Blackwell. Especialmente quando se representa o Clube Vortex. Sem ostentar.

Clube Vortex.
Max: O que diabos é o Clube Vortex, afinal de contas? Parece ser tão elitista...

Hayden: Apenas se você não for legal o suficiente pra entrar. E não mancha seu currículo.

Max: Se você diz...

Hayden: Digo sim. Mas você podia sair com a gente alguma noite. Aí acho que você não ficaria fofocando tanto.

Sair com o Clube Vortex?
Max: Sair com o Clube Vortex? Parece uma armação pra uma pegadinha horrível...

Hayden: Relaxa, paranoica. Não somos tão desesperados por diversão. Sabemos nos divertir por conta própria.

Acho que não.
Max: Acho que não. Não sou muito festeira.

Hayden: Isso porque você nunca foi à uma festa com a gente. Ou até mesmo com a Victoria, que é bem engraçada quando tá doidona.

Max: É tão estranho pensar em festas com todos esses cartazes da Rachel Amber por aí...

Hayden: Você tá louca. A Rachel também saía com a gente. Ela era demais. Inteligente, não vadia como... você sabe.

Nathan Prescott.
Max: Você quer mesmo que o Nathan Prescott "represente"?

Hayden: Ah, por favor. O Nathan é tipo o boneco de vodu de todos. "Matem o riquinho!" Ele não tem nenhum problema, é legal sair com ele. Que se fodam os incomodados.

Ele parece instável.
Max: Ele parece bastante instável pra mim.

Hayden: O Nate tem seus momentos extremos, mas... todos nós temos, não?

Max: Não sei ainda, Hayden.

Justo.
Max: Justo, mas eu ainda assim não vou à uma festa com ele.

Hayden: Não sabe o que está perdendo. O cara é hilário pra cacete quando tá chapado. E ele sempre tem a melhor parada.

Rachel. (disponível após escolher a opção Clube Vortex)
Max: Então, você conhecia a Rachel Amber?

Hayden: Eu sabia que ela gostava de festas. Haha, legal de andar junto. Ah, sim, e ela era gostosa.

O que aconteceu com ela?
Max: O que acha que aconteceu com ela?

Hayden: Ah, seja lá o que acontece com as pessoas que desaparecem sem deixar rastros.

A Victoria gostava da Rachel?
Max: A Victoria gostava da Rachel? Ela parece ser do tipo invejosa.

Hayden: Não pense que você conhece a Victoria tão bem assim. Ela respeitava a Rachel, mesmo que não agisse dessa forma.

A Rachel fazia parte do Clube Vortex?
Max: A Rachel era mesmo membro do Clube Vortex?

Hayden: Não. A Rachel era seu próprio clube. Ela era legal demais para nós. E eu sempre vou negar que disse isso.

Estou mais confusa, vamos conversar depois.
Max: Estou mais confusa que antes... Isso é tão misterioso. Vamos conversar depois, Hayden.

Hayden: Falou e disse, Max. Agora tenho que pegar meus livros de química e estudar. Temos que dar um jeito de você e a Dana saírem alguma noite...

Vamos conversar depois.
Max: Vamos conversar depois, Hayden.

Hayden: Tchau, Max. Agora tenho que pegar meus livros de química e estudar. Temos que dar um jeito de você e a Dana saírem alguma noite...


Conversa Opcional com a Stella Editar

Max: E aí, Stella.

Stella: Ei, eu conheço você! Você é a garota nova quieta da turma do Jefferson. Ele não é incrível?

Acho que sim.
Max: Acho que sim. Temos sorte de ter um professor tão famoso como ele. E eu realmente amo seu trabalho...

Stella: Eu também. A era urbana dele em Nova York é ótima, mas estou feliz por ele ter voltado às origens em Oregon. Que se dane a elite da costa leste. As galerias pretensiosas devem odiar o fato de Mark Jefferson estar dando aulas de fotografia para nós, caipiras da Blackwell...além disso, ele é bem gato pra um cara mais velho. Se a Victoria não estivesse tão em cima dele, eu com certeza faria algo.

Ele é distante.
Max: Ele é meio distante...Ele parece estar sempre um nível acima de você, não de maneira esnobe, mas como se você nunca soubesse o que se passa na cabeça dele.

Stella: Talvez. O Sr. Jefferson só tem seu próprio estilo. Se a Victoria não estivesse tão em cima dele, eu com certeza faria algo.

Não sei ainda.
Max: Não sei ainda, quero dizer, ele é claramente um gênio. Mas não concordo com tudo o que ele diz.

Stella: Ele é um pouco pretensioso às vezes, mas tem paixão pelo o que faz e só diz o que pensa. Se a Victoria não estivesse tão em cima dele, eu com certeza faria algo.

Victoria?
Max: A Victoria é bastante óbvia. Acho que o Jefferson não gosta dela.

Stella: Não acho que ela tenha conseguido algo. Mas ela não é a única jogadora...

Max: Como sabe disso?

Agora que disse.
Max: Agora que disse, ele não parece corresponder às investidas da Victoria. Significa que ele tem bom gosto.

De jeito nenhum.
Max: De jeito nenhum. Você pode fazer ele ser demitido. E ele não sairia com uma aluna.

Stella: Isso é o que você pensa.

Max: Como sabe disso?

Stella: Você tem muito o que aprender aqui na Blackwell. A Rachel Amber com certeza transou com ele. Bem... ouvi isso de uma fonte segura.

Você conhecia a Rachel?
Max: Então você conhecia a Rachel?

Stella: Na verdade, não. Eu via ela saindo com pessoas mais legais como a Victoria. Não é meu tipo de grupo. Mas ouvi histórias insanas sobre a Rachel...

Interessante.
Max: Interessante. Tá vendo, você aprende algo novo todos os dias na escola.

Stella: Como eu disse, você tem muito o que aprender, Max. Te vejo na aula.


Conversa Opcional com o Justin Editar

Max: E aí, Justin.

Justin: Olha só a Max. Veio ver as manobras?

Ah, sim.
Max: Ah, sim. Manda ver.

Justin: Qual vai ser a sua primeira manobra?

Max: Hm... pular?

Justin: Você é tão poser. Se não consegue dizer o nome de um simples noseslide ou tre flip, é melhor ir embora.

Manobras.
Max: Manobras? Você quer dizer pular do palco ou...

Justin: Você é tão poser. Se não consegue dizer o nome de um simples noseslide ou tre flip, é melhor ir embora.

Vim para um noseslide (após voltar no tempo)
Max: Vim para um noseslide, mas adoraria ver alguém fazer um tre flip!

Justin: Ah, sinistro, você não é poser!

Max: Não, só sou péssima com skates.

Justin: Ah, fica olhando. Vamos destruir nas pranchas pra você. O que quer ver?

Noseslide.
Max: Eu adoraria ver um... noseslide.

Justin: Vamos ver o Trevor em ação.

Trevor consegue fazer a manobra.

Max: E aí.

Justin: Você não é bem uma maria rolamento.

Tre flip.
Max: Faz um tre flip.

Justin: Vamos ver o Trevor em ação.

Trevor falha ao fazer a manobra e Max tira uma foto dele no chão.

Max: E aí.

Justin: Tô ansioso pra ver essas fotos enquadradas e o caralho. Mas você não é bem uma maria rolamento.

Eu era.
Max: Eu era, mas gosto mais da minha câmera agora.

Justin: Dá pra ver. Precisamos de mais garotas por aqui. A Rachel Amber e a amiga punk dela adoravam andar de skate com a gente.

Não mesmo.
Max: Não mesmo.

Justin: É uma pena. É legal ter garotas andando de skate também. A Rachel Amber e a amiga punk dela adoravam andar de skate com a gente.

Você conhecia a Rachel?
Max: Você conhecia a Rachel?

Justin: Ela saía com a gente às vezes. Mas, um dia, ela sumiu do nada... Espero que ela esteja se divertindo em algum lugar. Se alguém machucá-la, vamos chamar o bando dos skatistas e bater em quem fez isso com nossas pranchas.

Amiga punk?
Max: Quem era a amiga punk da Rachel?

Justin: Não consigo lembrar o nome dela... mas ela era gata. Tatuagens. Cabelo azul. Intensa. Ela parou de andar com a gente depois que a Rachel desapareceu... ou fugiu.

Você sai com a Victoria?
Max: Você já saiu com a Victoria?

Justin: Nem fodendo! Preferiria usar patins a sair com esnobes como ela.

Conversamos depois.
Max: Conversamos depois, Justin.

Justin: Sempre que quiser tirar umas fotos de ação, estaremos aqui, Max.


Conversa Opcional com o Daniel Editar

Max: E aí, Daniel?

Daniel: Ah, olá, Max. Posso, hm, fazer uma pergunta? Você deixaria eu fazer um desenho seu? Mas eu posto meus rascunhos no Facebook...

Seria uma honra.
Max: Seria uma honra, Daniel. Faz eu me sentir uma musa.

Daniel: Engraçado você dizer isso. Agora há pouco eu estava pensando na minha verdadeira musa, Rachel Amber...

O que aconteceu com ela?
Max: Então, o que aconteceu com ela? Tem que ter alguma história.

Daniel: Ela simplesmente parou de vir à aula. Algumas pessoas dizem que ela fugiu, outras, que ela pulou de um penhasco. Só espero que ela esteja bem.

Você conhecia ela?
Max: Você conhecia ela?

Daniel: Não, mas uma vez ela pediu pra eu fazer um desenho dela. Ah, ela era tão natural...

É difícil não ver os cartazes dela.
Max: É difícil não ver os cartazes dela espalhados pelo campus.

Daniel: Me dói ver o belo rosto dela usado como foto de um crime... Ela tinha um bom coração.

Comece a desenhar.
Max: Ok, por que não começa a me desenhar? Apesar de eu estar um nível abaixo da Rachel...

Daniel: De jeito nenhum! Você é uma... ótima musa substituta.

Max senta no chão e faz uma pose.

Daniel (desenhando): Ah, esta é uma boa postura. Ótimo, ótimo...

Daniel mostra o desenho para Max.

Max (levantando): Melhor retrato de todos.

Acho melhor não.
Max: Acho melhor não, Daniel. Não que eu não queira que você faça...

Daniel: Esquece. Sabia que você ficaria muito envergonhada. Agora tenho que continuar fazendo meu desenho...


Conversa Opcional com o Evan Editar

Max: E aí, Evan. Se importa de eu dar uma olhada no seu belo portfólio?

Evan: Vamos ver se você merece, Max. Terá de responder a uma simples pergunta: quem fotografou o famoso "Soldado Caído"?

Eugene Smith.
Max: Deve ser... o Eugene Smith.

Evan: Bom, os dois foram ícones famosos dos fotógrafos de guerra, mas você deveria saber a diferença. Boa tentativa, resposta errada.

Steve McCurry.
Max: Hm... Steve McCurry?

Evan: A não ser que tenha voltado no tempo, McCurry nasceu cinco anos após a fotografia do Soldado Caído ser tirada. O McCurry também fotografa em cores. Em outras palavras, nada de portfólio.

Robert Capa.
Max: Robert Capa, é claro. Eu adoro o trabalho dele, apesar de toda a controvérsia dessa foto.

Evan: Minha nossa. Essa garota quieta sabe das coisas.

Max: É por isso que estou aqui.

Evan: Você é das minhas, Max. Poderia ver o meu portfólio com bastante atenção? Não é um privilégio que concedo a muitas pessoas...

Max: Seria uma honra, senhor.

Max abre o portfólio e o fecha depois de olhar.

Max: Olá, Evan.

Evan: Como pode ver, a Rachel Amber era minha modelo favorita aqui. Ela sabia exatamente quais ângulos eram melhores para o meu olho.

Vocês eram próximos.
Max: Vocês eram próximos.

Evan: Como irmãos. Ela me entendia, nunca me julgou. Eu odiava a panelinha dela no Clube Vortex, mas ela nunca pareceu se importar. Os amigos dela eram amigos dela.

Max: O que acha que aconteceu com ela?

Evan: Nada bom, Max. Nada bom.

Como ela era?
Max: Como ela era?

Evan: Ela era como mercúrio. Sabe o que isso significa?

Max: Claro que sei, seu esnobe. Eu sei, posso ser um pouco diva. O que acha que aconteceu com ela?

Evan: Nada bom, Max. Nada bom.

Robert Doisneau.
Max: Não é o Robert Doisneau?

Evan: Ah, por favor, você não sabe dizer nem a diferença entre fotografia de rua e fotojornalismo... Sem portfólio pra você.


Conversa Opcional com o Luke Editar

Max: Hm, olá?

Luke: Max, não quero conversar.

O que houve?
Max: O que houve?

Luke: Nathan Prescott, maldito riquinho. Ele pensa que pode mandar nas pessoas como seus pais mandam na Blackwell... Como se ele fosse dono do Clube Vortex.

Max: Sim, ele é uma desgraça.

Dedurou o Nathan
Luke: Você... você conhece ele?

Peguei ele no flagra.
Max: Peguei ele no flagra hoje com uma arma.

Luke: O quê? Sério?

Max: Eu vi ele andando com uma arma hoje e fui até o diretor... Vamos ver o que vai acontecer...

Luke: Você é minha nova heroína. Até que enfim, o carma chega à Blackwell!

Na verdade, não.
Max: Na verdade, não. Eu vi ele por aí.

Luke: Parece que você sabe muito mais que isso. Max, conte.

Peguei ele no flagra.
Max: Peguei ele no flagra hoje com uma arma.

Luke: O quê? Sério?

Max: Eu vi ele andando com uma arma hoje e fui até o diretor... Vamos ver o que vai acontecer...

Luke: Você é minha nova heroína. Até que enfim, o carma chega à Blackwell!

Na verdade, não.
Max: Não, ele é só um idiota mimado com muito dinheiro. Não faz meu tipo.

Escondeu a verdade/Não contou que dedurou o Nathan
Luke: Alguém precisa acabar com esse maldito...

Acontecerá.
Max: Vai acontecer. O carma não tem favoritos.

Ele acabará consigo mesmo.
Max: Ele acabará consigo mesmo.

Luke: Sim, a história sempre prova isso, não é? Fique esperando a justiça, maria-vai-com-as-outras...

Ah, foi mal...
Max: Ah, foi mal... Não vou incomodar você.


Dormitórios Editar

Max (pensando): Preciso ir ao meu quarto e pegar o pen drive do Warren.


Conversa Opcional com a Alyssa Editar

Alyssa: Ah, olá, Max.

Como está?
Max: Como está?

Alyssa: Fantástica. Estou sozinha lendo um romance meloso. Em breve, estarei conversando com a Victoria no Clube Vortex...

Max: Acho que você está melhor lendo seu romance meloso.

Alyssa: Bom ponto. Agora, se me der licença...

O que está lendo?
Max: O que está lendo?

Alyssa: "Ame Hoje ou Morra para Sempre"... Nem diga nada.

Max: É um best-seller. O que dizer?

Alyssa: Bom ponto. Agora, se me der licença...


Conversa Opcional com a Kate Editar

Max: Olá, Kate.

Kate: E aí, Max...

Como foi a aula?
Max: Você gostou da aula de hoje?

Kate: Não me lembro... acho que não me importei muito com nada hoje.

Você parece triste.
Max: Você parece triste. Está tudo bem?

Kate: Estou meio de saco cheio da humanidade hoje... Desculpe por fazer tanto drama.

Max: Há algo que eu possa...?

Kate: Max, eu gostaria de ficar sozinha, se não se importa. Desculpe...


Conversa Opcional com o Samuel Editar

Max: E aí, Samuel.

Samuel: Opa, e aí.

E esses cartazes?
Max: E todos esses cartazes da Rachel Amber?

Samuel: Só ela saberia o porquê, certo?

Max: ...Hm, eu acho? Isso só deixa o campus com uma aparência triste.

Samuel: Você não pode cobrir essa luz do sol...

Você parece ocupado.
Max: Você parece ocupado, Samuel.

Samuel: Ah, eu estou sempre fazendo algo. Hoje eu varro, e depois pinto as janelas.

Max: Só não pinte por cima dos cartazes da Rachel Amber.

Samuel: Você não pode cobrir essa luz do sol...

Você conhecia a Rachel?
Max: Você conhecia a Rachel?

Samuel: Como se conhece um prisma? Você apenas observa com admiração... Agora tenho que pintar as janelas.

O que aconteceu?
Max: O que acha que aconteceu com ela?

Samuel: É melhor não ficar preso ao passado. O Samuel segue em frente. Como um relógio.

Como ela era?
Max: Como ela era? Ela devia ser popular.

Samuel: Até a luz do sol projeta sombras. A Rachel fez os dois de uma só vez, sabe? Ela era como uma pilha: positiva e negativa.

Até mais tarde.
Max: Até mais tarde, Samuel.

Samuel: E veja por onde anda, Max... Depois que eu varro, eu pinto...


Conversa com a Victoria Editar

Victoria: Ah, veja só, é a Max Caulfield, a puta da selfie da Blackwell. Mas que esquema idiota. Até o Mark — Sr. Jefferson — cai nesse seu papo furado de hipster. "O processo daguerreótipo, senhor!" Você mal conseguiu falar isso direito. Acho que não tomou seu remédio. Como sabe todas as respostas, acho que terá de encontrar outro caminho para entrar no dormitório. Não vamos sair daqui. Ah, espere, não se mexa! (tira uma foto de Max com o celular) Tão original. Não se preocupe, Max, vou colocar um filtro retrô antes de postar em todas as mídias sociais. Agora, por que não vai tirar uma selfie na casa do caralho?

Max (pensando): Claro que sim, Victoria, vou tirar a sua bunda mole do meu caminho.

Max aumenta a pressão dos irrigadores. Victoria, Taylor e Courtney se levantam das escadas após ficarem molhadas.

Victoria: Mas que porra? Tá de sacanagem? Olha pra isso...

Taylor: Calma, Victoria. É só água...

Victoria: É, água no meu casaco de caxemira! Você sabe o quanto essa porra de roupa custa?

Taylor: Você está... ótima.

Victoria: Não posso nem descansar na escada.

Samuel sobe as escadas e pendura um balde de tinta em um andaime. Max volta no tempo e sabota o balde, e aumenta mais uma vez a pressão dos irrigadores. Victoria, Taylor e Courtney levantam de novo das escadas e o balde de tinta cai sobre Victoria.

Victoria: Não acredito! Não acredito nessa porra!

Courtney: Você está bem, Victoria?

Samuel: O velho Samuel pede desculpas. Tinta fresca não faz bem para o cabelo, não. Me desculpe...

Victoria: Sai de perto de mim, esquisitão!

Courtney: Espere, espere, vamos pegar algumas toalhas... Voltaremos bem depressa!

Victoria: Então se mexam, antes que a tinta seque!

Max (pensando): Funcionou! Não mexam com a Max, piranhas.

Max se aproxima de Victoria.

Max: Hm... e aí, Victoria...

Victoria: O que você quer, Max?

CAÇOAR
Victoria: Não... Não diga nada, Max.

Max: Ah, espere, não se mexa! (tira uma foto de Victoria com a câmera) E não vai ser necessário colocar filtro antes de eu postar isso. Agora, por gentileza, saia da frente. Já tive um dia bem estranho e estou indo para meu quarto..

Victoria: Faça isso... Eu sei onde você mora... Assim como o Nathan...

Max (pensando): Talvez eu não devesse ter feito isso... Agora, tenho que ir para o meu quarto e depois encontrar o Warren.

CONFORTAR
Max: Sinto muito. Esse casaco de caxemira é lindo.

Victoria: Era sim. Mas sempre terá outro.

Max: Bem, você sempre parece saber escolher as roupas certas.

Victoria: Eu tenho algum talento, sim. O Sr. Jefferson me disse--

Max: Eu vi as suas fotos. Você tem um ótimo olho, no estilo do Richard Avedon.

Victoria: Ele é um dos meus heróis... Obrigada, Max. Espero que essas vadias me tragam uma toalha antes que pendurem uma melancia no meu pescoço. Você merece uma foto melhor. Desculpe por ficar no seu caminho e... por te mandar "tirar uma selfie na casa do caralho".

Max: Foi maldoso... mas bem engraçado.

Victoria: Só um das daqueles dias, sabe?

Max: Entendo perfeitamente o que quer dizer, Victoria. Até mais tarde.

Victoria: Au revoir.

Max (pensando): A Victoria provavelmente me manipulou. Eu deveria ter feito igual... É melhor ir logo para meu quarto antes de encontrar o Warren.


Dormitório Feminino Editar

Taylor (correndo): Depressa, Courtney!

Courtney (correndo): A Victoria vai ficar chateada por termos demorado tanto...

Max vai até o fim do corredor e entra em seu quarto.


Quarto da Max Editar

Max (pensando): Lar, doce lar. Meu casulo favorito...

Max encontra um bilhete de Dana em sua mesa.

Max (pensando): Ótimo. Agora tenho que pegar o pen drive no quarto da Dana.

Max sai do quarto e vê Juliet trancando Dana em seu quarto pelo lado de fora.

Juliet: Você não pode sair agora, Dana! Então me conte a verdade ou apodreça aí!

Max: Boas-vindas ao programa "Rainhas do Drama da Blackwell"...

Dana (atrás da porta): Juliet, me deixe sair! Isso é muito idiota! Você é ridícula! Se você não me deixar sair, eu vou gritar.


Conversa com a Juliet Editar

Max: Ei, Juliet. Está tudo bem?

Juliet: Claro que sim, Max. Eu tranquei a Dana no quarto porque está "tudo bem".

O que ela fez?
Max: O que ela fez?

Juliet: O certo é o que ela não fez. A Dana estava trocando mensagens de sexo com o meu namorado.

Max: Caraca. Como você descobriu isso?

Juliet: Hm, e por que você se importa com isso? Pra que está me perguntando? Você nunca fala, só fica perambulando por aí com sua câmera.

Max: É por isso que estou falando com você agora.

Juliet: Qual é o meu sobrenome?

Juliet Patson.
Max: Juliet Pats... Juliet Patson.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Mason.
Max: Hm... Juliet... Mason.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Olson.
Max: Juliet... Juliet... Olson.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Mason.
Max: Juliet Watson. Dã!

Juliet: Estou lisonjeada. Achava que você nem sabia o meu nome.

Max: É claro que eu sei. Só porque não falo muito, não significa que não me importo. Então, como você ficou sabendo deles?

Juliet: De acordo com a Victoria, a Dana faria qualquer coisa pra namorar um quarterback.

Max: De acordo com a Victoria? Ah...

Juliet: Ela viu as mensagens de sexo. E o Zachary não atende o celular. Assim que a Dana admitir, ela pode ir. Para o inferno.

Ela é sua amiga.
Max: Ela é sua amiga.

Juliet: Amigas não trocam mensagens de sexo com o namorado da melhor amiga...

Max: Não, com certeza não... Como você descobriu?

Juliet: Hm, e por que você se importa com isso? Pra que está me perguntando? Você nunca fala, só fica perambulando por aí com sua câmera.

Max: É por isso que estou falando com você agora.

Juliet: Qual é o meu sobrenome?

Juliet Patson.
Max: Juliet Pats... Juliet Patson.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Mason.
Max: Hm... Juliet... Mason.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Olson.
Max: Juliet... Juliet... Olson.

Juliet: Isso foi péssimo. Agradeço a preocupação, "Max Caulfield." A propósito, Juliet Watson.

Juliet Mason.
Max: Juliet Watson. Dã!

Juliet: Estou lisonjeada. Achava que você nem sabia o meu nome.

Max: É claro que eu sei. Só porque não falo muito, não significa que não me importo. Então, como você ficou sabendo deles?

Juliet: De acordo com a Victoria, a Dana faria qualquer coisa pra namorar um quarterback.

Max: De acordo com a Victoria? Ah...

Juliet: Ela viu as mensagens de sexo. E o Zachary não atende o celular. Assim que a Dana admitir, ela pode ir. Para o inferno.

Juliet Watson, seja gentil (após voltar no tempo)
Max: Juliet Watson, seja gentil!

Juliet: Estou lisonjeada. Achava que você nem sabia o meu nome.

Max: Hm. É claro que sei.

Juliet: Obrigada... Eu tranquei a Dana no quarto porque ela estava trocando mensagens sensuais com o Zach, meu namorado. Inacreditável.

Como sabe disso?
Max: Como sabe disso?

Juliet: Victoria Chase. Você a conhece.

Max: Pode-se dizer que sim... Mas, por que a Dana iria atrás do seu namorado?

A Dana faria isso?
Max: A Dana faria isso?

Juliet: De acordo com a Victoria, a Dana faria qualquer coisa pra namorar um quarterback.

Max: De acordo com a Victoria? Ah...

Juliet: Ela viu as mensagens de sexo. E o Zachary não atende o celular. Assim que a Dana admitir, ela pode ir. Para o inferno.

Dana (de dentro do quarto): Max, juro que não fiz NADA! Mas aposto que a Victoria fez! Eu sei que a prova está no quarto dela!

Max vai no quarto da Victoria para procurar pistas. Lá, ela encontra um email que prova a inocência de Dana.


Quarto da Victoria Editar

Max (pensando): Ahá! Esse é o email que eu precisava mostrar à Juliet. Agora tenho que imprimir isso rápido e dar o fora daqui...

Max imprime o email e o pega da impressora.

Max (pensando): É melhor isso convencer a Juliet de que a Dana é inocente...


Max sai do quarto e entrega o email para Juliet.

Max: Juliet, leia isso.

Juliet (lendo o email): É claro... (abre a porta do quarto da Dana) Sou uma idiota. Foi mal, Dana.

Dana: Você é, e foi mal mesmo. Você realmente acha que eu faria algo do tipo com o Zachary?

Juliet: Não. Mas sou estupidamente ciumenta. Te devo um jantar. Ainda me ama?

Dana: E você lava as minhas roupas.

Juliet: Obrigada, Max. Você é tipo a Ninja da Blackwell. Agora, vamos ver o que o Zach tem a dizer sobre a Victoria...

Juliet vai embora.

Dana: Você me libertou! Obrigada. O pen drive do Warren está na minha mesa.

Dana entra em seu quarto e senta na cama. Max entra logo depois.


Quarto da Dana Editar

Max (pensando): Quase lá... Pego o pen drive e aí vou encontrar o Warren.


Conversa Opcional com a Dana Editar

Max: E aí, Dana.

Dana: Sério, obrigada de novo. Não acredito que a Juliet me trancou no meu próprio quarto. Muito maduro da parte dela.

A Victoria não é legal.
Max: A Victoria não é legal. Eu não entendo. Ela tem tudo. E ainda faz uma armação dessas com uma amiga...

Dana: Só porque elas estão no Clube Vortex não significa que são melhores amigas. Eu estou nele e a Victoria me assusta. Max, você é esperta em evitar as pessoas por aqui. Apesar de o Warren obviamente gostar de sair com você...

Ele é um cara legal.
Max: Ele é um cara legal. Um nerd como eu.

Dana: Você viu os arquivos do pen drive dele? Várias coisas do caralho. Filmes que eu nunca tinha ouvido falar. E uma pasta especial chamada "Max"?

O que quer dizer?
Max: O que quer dizer?

Dana: Ah, nada. Quando abriu o pen drive, você não viu uma pasta especial chamada "Max"?

Max: É, ok. Já entendi.

Dana: Você está vermelha? Há! Vá em frente e pegue o pen drive quando quiser...

A Juliet ficou com raiva.
Max: A pobre Juliet ficou com raiva. Espero que ela não mate a Victoria...

Dana: O Zachary também deveria se preocupar. Até parece que eu deixaria aquele babaca egocêntrico tocar em mim. Mas aposto que a Victoria adoraria ter essa oportunidade. Ou já teve... Max, você é esperta em evitar as pessoas por aqui. Apesar de o Warren obviamente gostar de sair com você...

Ele é um cara legal.
Max: Ele é um cara legal. Um nerd como eu.

Dana: Você viu os arquivos do pen drive dele? Várias coisas do caralho. Filmes que eu nunca tinha ouvido falar. E uma pasta especial chamada "Max"?

O que quer dizer?
Max: O que quer dizer?

Dana: Ah, nada. Quando abriu o pen drive, você não viu uma pasta especial chamada "Max"?

Max: É, ok. Já entendi.

Dana: Você está vermelha? Há! Vá em frente e pegue o pen drive quando quiser...

Ouvi um boato sobre você (após voltar no tempo)
Max: Dana, não quero ser enxerida, mas ouvi um boato sobre você.

Dana: O quê? Quem te contou que eu estou grávida?

Max: Ninguém importante. A pessoa só falou como se fosse besteira. Eu só queria que você soubesse...

Dana: Isso aqui parece uma droga de reality show... Você pode guardar segredo, Max?

É claro.
Max: É claro.

Dana: Eu.. estava grávida. Estava.

Você está grávida.
Max: Você está grávida. Me desculpe, eu não devia...

Dana: É. Nem eu, mas eu fiz. Enfim.

Max: Ah. E quanto ao outro...?

Dana: O pai ausente? Você pode vê-lo na linha de 40 jardas nessa sexta. E não é o Zachary.

Então, quem?
Max: Então, quem? Você não precisa me dizer. Na verdade, acho melhor não.

Não é da minha conta.
Max: Desculpe me intrometer. Não é da minha conta. E eu não vou ao jogo de sexta. Acho que não estou com muito espírito esportivo.

Dana: Gosto do seu espírito, Max. Enfim, é melhor você pegar esse pen drive pra que o Warren tenha uma desculpa para te incomodar...

Se Max pega o teste de gravidez
Dana (pegando o teste): Hm, Max? Isso é meu, obrigada! Você não está ajudando, só está sendo enxerida. Acho melhor você ir embora...

Max (pensando): Ótimo, Max. Você feriu os sentimentos dela sendo enxerida demais de novo. Mas eu poderia voltar no tempo e compensar isso...

Max pega o pen drive da mesa.

Max (pensando): Devo proteger meu precioso para que a Max não precise ir atrás dele de novo.

Max sai do dormitório feminino.


Dormitórios Editar

Zachary (mexendo no celular): Dane-se essa merda!

Zachary joga sua bola de futebol longe e atinge Alyssa.

Alyssa: Ai! Isso dói!

Max (pensando): Droga, é melhor voltar.

Max volta no tempo e avisa Alyssa.

Max: Alyssa, mova a cabeça.

Alyssa: Se você insiste, Max.

A bola de futebol atinge uma janela.

Max (pensando): É disso que estou falando! Finalmente ajudei alguém de verdade.


Conversa Opcional com a Alyssa Editar

Alyssa: Max, isso foi demais. Obrigada!

Essa foi por pouco.
Max: Essa foi por pouco.

Alyssa: Cuzões. Se eu fizesse parte do Clube Vortex, eles não fariam isso...

Max: Você gostaria de fazer parte?

Alyssa: Você é esperta. Deveríamos sair mais... Agora tenho que terminar esse livro idiota.

Sem problemas.
Max: Sem problemas. Você tem reflexos rápidos.

Alyssa: Anos de habilidades insanas para se esquivar. Valentões nunca mudam.

Max: É por isso que você está melhor assim.

Alyssa: Você é esperta. Deveríamos sair mais... Agora tenho que terminar esse livro idiota.


Conversa de David e Kate Editar

David: ...então não pense que eu sou cego! Eu vejo tudo o que acontece na Blackwell! Você entende o que estou dizendo?

Kate: Não, me deixe em paz!

TIRAR UMA FOTO
David: ...você não me engana. Eu sei tudo o que acontece nessa escola. Estou sempre por dentro de tudo. Então é melhor você escolher de que lado está...

Kate: Por favor, me deixe em paz!

David sai e Kate vê Max.

Kate: Espero que tenha gostado do show. Obrigada por nada, Max.

Kate sai.

Max (pensando): Cara, eu deveria ter interferido entre a Kate e o David... Aquele cuzão passou muito dos limites... Eu poderia voltar no tempo e tentar algo diferente...

INTERVIR
Max: Ei, por que você não deixa ela em paz?

David: Com licença, isso é um assunto oficial do campus--

Max: Com licença digo eu, você não deveria gritar com os alunos. Nem ameaçá-los.

David: Ei, ei, ninguém está ameaçando ninguém. Só estou fazendo meu trabalho.

Max: Não, não está.

David: Você faz parte do problema, mocinha. Eu vou lembrar dessa conversa.

David sai.

Kate: Ah, Max, isso foi ótimo. Acho que você o assustou pra valer... Tenho que ir, mas obrigada. Significa muito.

Max: Não há de que, Kate.

Kate sai.

Max (pensando): Eu me senti uma heroína do cotidiano ajudando a Kate, mas agora o imbecil do David tá na minha cola. Será que devo voltar no tempo e ficar na minha?


Estacionamento Editar

Tirou uma foto
Max: Cara, eu devia ter feito alguma coisa. Aquele cara foi um babaca!

Interveio
Max: Ainda bem que eu intervim naquela hora. Não suporto ver alguém sofrendo bullying.

Juliet: Não entendo... como o Zach e a Victoria puderam fazer isso comigo?


Conversa Opcional com a Juliet Editar

Max: Olá, Juliet, como você está?

Juliet: Ah... E aí, Max. Foi mal, ainda estou chateada.

Sinto muito sobre o Zachary.
Max:Sinto muito você ter descoberto sobre o Zachary dessa forma... Ou de qualquer forma.

Juliet: Antes tarde do que nunca. Agora, a vadia da Victoria não vai ficar rindo pelas minhas costas de novo.

Max: Você já falou com o Zach?

Juliet: O Sr. Herói do Futebol é uma desgraça. Ele disse que trocou mensagens sensuais com a Victoria de brincadeira. Ha ha. Eu acho que o Warren quer sua atenção...

Max: Geralmente, sim... Segure a onda, Juliet.

Juliet: Te vejo por aí, Max.

Não vou te incomodar.
Max: Então não vou te incomodar... Tenho que ir ver o Warren antes que ele derreta. Até mais.

Juliet: É, tenho certeza que mais tarde vamos todos estar festejando com o Zach e a Victoria... e o Clube Vortex...

Max: Hm, é, com certeza.

Juliet: Te vejo por aí, Max.


Conversa com o Warren Editar

Warren: E aí, Max? Como está?

Warren tenta abraçar Max, mas ela pega seu pen drive e dá para ele.

Max: Aqui está seu pen drive. Obrigada.

Warren: Sem problemas. Saca só minha caranga nova...

Max: Maneiro. Bem velha guarda.

Warren: 1978, para ser exato. Agora podemos ir ao drive-in. Tem um em Newberg, apenas a 60 milhas daqui.

Max: Você está na época errada, Warren. Mas, ainda assim, eu também...

Warren: Você está bem?

Max: Hoje foi um dia estranho pra caralho.

Caçoou da Victoria
Warren: Cara, eu vi que a Victoria não tirou a sua foto do Facebook. Maior vadia.

Não se preocupe.
Max: Não se preocupe, Warren. Tirei uma foto maravilhosa da Victoria e mal posso esperar para postá-la...

Warren: Ah, um ponto para a equipe Max! Vai ser uma beleza para o carma ver a cara de palhaça dela em toda a internet.

Max: Acho que ela merece isso por todas as merdas que fez com as pessoas daqui...

Não quero conversar.
Max: Não quero falar sobre isso.

Warren: Caramba, você está toda sensível hoje...

Max: Eu não abusaria da sorte se fosse você, Warren. Não estou com cabeça hoje.

Confortou a Victoria
Warren: Aposto que sim. Ouvi dizer que a Victoria levou um banho de tinta. Eu pagaria alguém pra ver uma foto disso...

Sério?
Max: Sério? Uma pena eu não saber disso antes...

Warren: Você poderia ter criado um fundo no Kickstarter só com essa foto dela coberta de tinta.

Max: Se eu soubesse disso... Enfim, a Victoria também não postou uma foto minha, então, esse drama acabou bem.

Não quero conversar.
Max: Não quero falar sobre isso.

Warren: Caramba, você está toda sensível hoje...

Max: Eu não abusaria da sorte se fosse você, Warren. Não estou com cabeça hoje.

Daniel fez um desenho da Max
Warren: Falando nisso, eu vi o desenho que o Daniel fez de você na internet. Nada mal, mas eu poderia fazer um bem melhor.

O Daniel publicou na internet?
Max: O Daniel já publicou na internet? Que gentileza...

Warren: Parabéns! Você faz parte do bando de retratos online dele.

Max: Não seja ciumento. Tenho certeza de que ele vai te convidar em breve.

Warren:Ah, você é malvada, Max.

Max: É a companhia que eu tenho, Warren.

Você desenha?
Max: Você desenha? Achei que fosse "cego pela ciência", não pela arte.

Warren: Arte é ciência. Música é matemática, etc, etc. Eu colocaria o Stephen Hawking contra o Picasso qualquer dia desses.

Max: Sinistro. Então, você deve usar um computador para desenhar?

Warren: É claro. Eu adoraria mexer em uma das suas selfies com uns gráficos bem legais...

Max: Isso pode não ser tão ruim. Eu te aviso.

Warren: Então, você teve tempo de ver a variedade de filmes do meu pen drive?

Sim, obrigada.
Max: Sim, obrigada. Tinha umas coisas bem legais nele, de "Akira" até "Além da Imaginação". O que parece bem adequado hoje em dia...

Warren: Eu me considero um... pirata apreciador da cultura pop.

Max: Isso soa melhor do que "ladrão".

Estive ocupada.
Max: Não, ando muito ocupada com as aulas... e a vida.

Warren: Caramba, garota, você ficou com ele por um ano!

Max: Ou uma semana! Eu olhei todos os títulos, dramático.

Warren: Ha ha. Certifique-se de assistir a "Holocausto Canibal".

Já vi.
Max: Já vi. Eu fiquei mais incomodada com todos aqueles filmes de vampiros lá...

Warren: Um garoto sensível não pode gostar de vampiros sensíveis também?

Nem fodendo.
Max: Nem fodendo eu vou assistir isso. Minha mente já está distorcida o suficiente...

Warren: Eu ri pra caralho.

Max: Então você é sensível...

Warren: Nossa, isso soa horrível do jeito que você fala.

Como assim?
Max: Como assim?

Warren: Sensível normalmente significa, "não vou transar com você".

Max: Ah, Deus! Você precisa de uma mulher sensível pra acabar com você.

Faster, Pussycat! Kill! Kill!
Max: Não, eu fiquei impressionada por você ter "Faster, Pussycat! Kill! Kill".

Warren: Russ Meyer foi um gênio do preto e branco. Além disso, gostosas com peitões.

Max: Que acabariam com o seu caráter sensível.

Não mesmo.
Max: Não mesmo. Sensível é bom, a menos que você seja um molenga... Você tem bom gosto e mente rápida.

Warren: Obrigado por notar, Max.

Max: A garota certa também notará...

Warren: Se eu tivesse sorte. Falando em bom gosto e mente rápida, deveríamos dar uma volta no meu carro pra ver um filme juntos essa semana... Mas você parece distraída...

Preciso conversar.
Max: Preciso conversar com alguém... só pra tirar isso do meu sistema...

Warren: O Dr. Warren Graham chegou na parada. Nem vou prescrever remédios... Me conte tudo.

Não quero falar sobre isso.
Max: Não quero falar sobre isso. Esse dia foi meio louco pra mim... Quero dizer, eu acho que estou ficando literalmente louca...

Warren: Eu posso ser uma peste, mas... sou um bom ouvinte.

Max: Sério, Warren, isso é entre eu e você, sem envolver a mídia social.

Warren: Não me insulte. Max, pode falar...

Max: Eu tive uma experiência incrivelmente bizarro na aula do Sr. Jefferson hoje... Quero dizer, de mudar a vida. Você já teve um sonho tão real que parecia um filme?

Nathan se aproxima de Max e Warren com raiva.

Nathan: Max Caulfield, certo? Você é uma das tietes das fotos do Jefferson...

Max: Eu sou uma das alunas dele.

Nathan afasta Warren.

Nathan: Foda-se, tanto faz. Eu sei que você gosta de tirar fotos, especialmente quando está se escondendo em banheiros.

Dedurou o Nathan
Nathan: É melhor me contar o que disse ao diretor. Agora!

Eu disse a ele a verdade.
Max: Eu disse a ele a verdade. Um aluno tinha uma arma.

Nathan: Não, você disse a ele que eu tinha uma arma! É por isso que ele me arrastou para o escritório dele.

Max: E fez o quê? Te deu um sermão?

Nathan: Ninguém... Ninguém me dá sermão. Mas todos tentam... eles tentam...

Max: Você deveria conversar com alguém, Nathan.

Do que você está falando?
Max: Do que você está falando?

Nathan: Eu sei que você é nova aqui, mas não se faça de tonta comigo.

Max: Não sou nova, morei aqui por anos.

Nathan: Então você deve saber que os Prescott mandam nessa bosta de lugar.

Max: Então você não tem que se preocupar comigo, se preocupe consigo mesmo.

Escondeu a verdade
Nathan: É melhor me contar o que viu. Agora!

Do que você está falando?
Max: Do que você está falando?

Nathan: Eu sei que você é nova aqui, mas não se faça de tonta comigo.

Max: Não sou nova, morei aqui por anos.

Nathan: Então você deve saber que os Prescott mandam nessa bosta de lugar.

Max: Então você não tem que se preocupar comigo, se preocupe consigo mesmo.

Nada.
Max: Nada além de uma borboleta.

Nathan: Para de conversa fiada! Eu a respeitaria mais se dissesse a verdade.

Max: Eu não preciso do seu respeito.

Nathan: Você é quem pensa.. Você não sabe quem eu sou ou do que sou capaz!

Max: Na verdade, eu tenho uma ideia bem formada de quem você é.

Nathan: Não me analise! Eu pago pessoas pra isso. Se preocupe consigo mesma, Max Caulfield.

Chegue pra trás.
Max: Chegue pra trás, Nathan Prescott.

Nathan: Ah, cara, você está me dizendo o que fazer?

Eu poderia chamar a polícia.
Max: Eu poderia chamar a polícia.

Nathan: Vá em frente! Os Prescotts mandam nos pés de porco daqui.

Warren: Sai de perto dela, cara!

Nathan dá uma cabeçada em Warren. Ele cai no chão e põe a mão na testa com dor.

Max: Ei, deixa ele em paz!

Max toca em Nathan e ele se vira e agarra o pescoço dela.

Nathan: Ninguém me diz o que fazer. Nem os meus pais, nem o diretor, nem aquela puta no banheiro!

Max: Para com isso! Agora!

Max arranha a bochecha de Nathan e ele a empurra no chão. Uma caminhonete bege aparece na frente de Max. Ela levanta e olha para o pára-brisas, vendo a garota do banheiro sentada no assento do motorista.

Chloe: Max?

Max: Chloe?

Nathan: Ah, não... Você de novo?

Warren se avança em Nathan e o joga no chão.

Max: Warren!

Warren:Vá, vá! Eu cuido disso!

Nathan começa a socar o rosto de Warren. Chloe abre a porta do carro para Max.

Chloe: Entra, Max!

Max entra no carro. Nathan se levanta e chuta a porta, fechando-a.

Nathan: Saiam daí agora, suas idiotas! Nem tentem fugir! Ninguém mexe comigo! NINGUÉM!

Max e Chloe vão embora. Ao fundo, David aparece correndo para apartar a briga.

Caminhonete da Chloe Editar

Max: Cara, o Nathan Prescott é maluco. E perigoso... Esse dia nunca termina...

Chloe: "Ah, e obrigada, Chloe..." Depois de cinco anos, você ainda é Max Caulfield.

Max olha para baixo e se mexe de maneira desconfortável em seu assento.

Chloe: Não me faça essa cara de culpada. Pelo menos finja que está feliz em me ver.

Max: Eu estou realmente feliz em vê-la. Ah, e obrigada, Chloe. Faz todo o sentido eu te ver hoje.

Chloe: Sim, foi um dia e tanto. Então, o que aquele maldito queria com você?

Nada, espero.
Max: Depois de hoje, nada, eu espero. Então, como você conhece o Nathan?

Chloe: Ele é só outro cuzão de Arcadia... Seu amigo levou muita porrada por você...

Não faço ideia.
Max: Não faço ideia. Eu sei que ele é um Prescott...

Chloe: E um cuzão. Seu amigo enfrentou mesmo ele por você...

Max: O Warren? É, eu devo muito a ele.

Chloe: Você não é a única com dívidas. E já está causando problemas.

Max: Achei que seria calmo aqui. É tão estranho estar de volta...

Chloe: Então, Seattle foi uma merda?

Eu acho.
Max: Acho que sim. Foi legal, mas... eu me senti meio sozinha, deslocada.

Chloe: Achei que você se daria bem com os hipsters da escola de artes.

Max: Certo. Você parece a capa do site garotahipster.com.

Chloe: Pelo menos você ainda é esperta.

Max: É por isso que estou aqui.

Não.
Max: Não, parecia uma verdadeira cidade para artistas. Grande e brilhante. Ótima para tirar fotos.

Chloe: É, deve ser difícil voltar para uma cidade de caipiras como Arcadia Bay...

Max: Não depois de ver você.

Chloe: Por favor, garota. Você voltou pela Academia Blackwell.

É claro.
Max: É claro, é um dos melhores programas de fotografia do país... E tem o meu professor favorito, Mark Jefferson.

Chloe: Então você voltou para Arcadia Bay por causa de um professor, não pela sua melhor amiga.

Só por causa do Mark Jefferson.
Max: Só por causa do Mark Jefferson. Ele foi um fotógrafo muito famoso nos anos 90. Eu sempre adorei seu trabalho.

Chloe: Quem não sabe fazer, ensina. Que bom que você encontrou um bom motivo para voltar.

Max: Não acha que estou feliz em te ver?

Chloe: Não. Você ficou feliz em esperar cinco anos sem ligar, nem mesmo mandar uma mensagem.

Eu queria.
Max: Eu queria ter ligado. Só estava muito abalada por deixar Arcadia...

Chloe: Ah, por favor. Tenho certeza de que seu celular e laptop ficaram congelados no tempo.

Max: Você é cruel...

Dá um tempo.
Max: Dá um tempo! Eu estava passando por mudanças... como você...

Chloe: Acho que essas mudanças incluíam me excluir da sua vida.

Max: Isso não é verdade, Chloe...

Chloe: Besteira. Você achou que ia se dar bem com aqueles artistas imbecis de Seattle. Mas não foi isso o que aconteceu.

Max: Você é cruel...

Desculpe...
Max: Me desculpe. Eu sei que as coisas foram difíceis pra você quando eu fui embora...

Chloe: Como você sabe? Nem estava aqui.

Max: Eu não mandei meus pais se mudarem especificamente para ferrar com a sua vida, Chloe.

Chloe: Você está na Blackwell há quase um mês sem me avisar. Já falei o suficiente.

Max: Eu só queria me estabelecer primeiro e não ser uma nerd tímida tão clichê. É claro que eu ia entrar em contato com você...

Chloe: Aposto que você não usa essas desculpas patéticas com o Sr. Jefferson. Não as use comigo, Max.

Max se encosta no assento. Ela observa Chloe por um momento e se abaixa para pegar sua câmera, e descobre que ela foi quebrada durante a confusão no estacionamento.

Max: Quebrada. Ah, cara, tá de zoação?

Chloe: Uau, fazia tempo que não ouvia essa...

Max: Nem tudo muda. Exceto a minha câmera, que levou oficialmente um cacete.

Chloe: Meu merdrasto tem uma tonelada de ferramentas. Talvez você consiga consertá-la na minha casa.

Max: Preciso de ferramentas pequenas muito específicas.

Chloe: Alerta de nerd! Meu padrasto tem uma garagem com estoque completo. E a ferramenta dele é bem pequena mesmo. Bem-vinda de volta, Max.

Max e Chloe chegam até a casa de Chloe e ela estaciona na garagem. Elas saem do carro e Chloe começa a destrancar a porta de casa.

Chloe: Pode entrar, não seja tímida.

Max: A casa ainda é... bonita.

Chloe: Lar, merda de lar.

Chloe entra na casa e Max vai atrás.

Casa da Chloe Editar

Quarto da Chloe Editar

Chloe e Max entram no quarto.

Chloe: Meu quarto está um pouco diferente desde a última vez que você o viu.

Chloe senta em sua cama.

Max: Tudo bem. Pelo menos podemos relaxar.

Chloe: Essa não é exatamente minha "área de relaxamento", meu Führerdrasto garante isso. Entre e feche a porta.

Max fecha a porta.

Chloe: Ponha alguma música enquanto eu uso meu remédio.

Chloe começa a fumar.


Conversa Opcional com a Chloe Editar

Chloe: Então, me conte, o que Max Caulfield faz para se divertir agora que é adulta?

Festa a noite inteira.
Max: Festa a noite inteira.

Chloe: Não, senhorita certinha. Aposto que você nunca foi à uma festa.

Max: Ah, tá bom. Eu fui na sua festa de aniversário.

Chloe: Max, você tinha 12 anos. Isso é... triste. Você devia continuar tirando fotos.

Não me sinto adulta.
Max: Eu não me sinto adulta. Só mais confusa a medida que fico mais velha. Especialmente depois de hoje...

Chloe (sarcástica): Nossa, obrigada. Eu esperava ouvir algo positivo.

Max: Sobre mim?

Chloe: Não, sobre mim. Dã! Eu achei que você gostasse pelo menos de tirar fotos... Esquece.

Nada demais.
Max: Nada demais. Você me conhece. Eu gosto mais de observar o mundo do que participar dele...

Chloe: Não posso mais dizer que te conheço. Talvez você goste de sair para uma festa diferente todas as noites.

Max: Você consegue me ver numa boate?

Chloe:

Eu tiro fotos. (após voltar no tempo)
Max: Eu tiro fotos. De mim, do mundo... de tudo. Pode parecer triste, mas eu me divirto.

Chloe: Não parece tão triste.

Max: Fico feliz quando tenho uma bela imagem na frente da minha lente. Não me sinto sozinha, nem com medo.

Chloe: Eu doparia aqueles idiotas drogados e assistiria eles se contraírem em uma dança da morte com o DJ... Tira uma foto disso.

Max acende as luzes apertando um botão na régua de tomadas. Max abre uma caixa de metal embaixo da cama e pega um CD de dentro. Ao perceber uma foto de Rachel Amber, ela tira da caixa e a desdobra, revelando o outro lado da foto que mostra Chloe. Chloe percebe isso e arranca a foto das mãos de Max.


Conversa com a Chloe Editar

Chloe: Ei, me dá isso!

Max: Foi mal. Não queria ser tão enxerida. Obviamente, ela era uma boa amiga...

Chloe: Pra não dizer mais...

Max senta na cama ao lado de Chloe.

Essa é a Rachel Amber...
Max: Essa é a Rachel Amber... Os cartazes dela de desaparecida estão espalhados pela Blackwell.

Chloe: É, fui eu quem coloquei. Ela era o meu anjo.

Então, quem é ela?
Max: Então, quem é ela? Você se importa de falar sobre ela?

Chloe: Rachel Amber. Ela era... o meu anjo.

Chloe: Depois que o meu pai morreu e você se mudou, eu me senti abandonada. A Rachel salvou minha vida.

Max: Cara, eu não fazia ideia...

Chloe: Bom, você nunca se esforçou muito para descobrir. Eu tinha 14 anos, nós éramos melhores amigas.

Então, a Rachel pegou o meu lugar.
Max: Então, a Rachel pegou o meu lugar... Fico feliz por ela ter estado ao seu lado.

Eu nunca esqueci.
Max: Eu nunca esqueci. Mesmo sendo uma idiota e não me mantendo em contato. Mas você tinha a Rachel...

Chloe: A Rachel cuidava de mim. Nós íamos acabar com o mundo. Você acharia engraçado como éramos diferentes... Ela queria ser uma estrela.

Max: Ela parece uma modelo.

Chloe: Esse era o plano dela. O nosso plano. Dar o fora da vila do Pé-grande e partir para Los Angeles.

E o que aconteceu?
Max: E o que aconteceu? Seus pais, sua mãe, tentou te deter?

Chloe: Minha mãe estava muito ocupada com o Sargento Mongoloide.

Entendo o porquê...
Max: Entendo o porquê... Aposto que a sua mãe não estava muito feliz...

Chloe: Ela estava feliz o bastante pra se casar com um nazista. Motivo número 356 pra fugir.

E a sua mãe?
Max: E a sua mãe? O que a Joyce achava disso tudo?

Chloe: Ela mal podia esperar pra se casar de novo. O imbecil do meu padrasto é um dos motivos de eu querer me mandar.

Max: Dá pra sentir o amor... Agora, quando foi que a Rachel realmente desapareceu?

Chloe: Seis meses atrás. Ela simplesmente deixou Arcadia. Sem dizer nada. Sem.. mim.

Como você sabe?
Max: Como você sabe que ela desapareceu? Talvez ela quisesse começar uma vida nova...

Chloe: Diferente de você, ela teria me avisado, tá bom? Algo aconteceu com ela.

Max: Eu acredito em você. Só estou tentando encaixar as peças...

E os pais dela?
Max: E os pais dela? Estão a procurando?

Chloe: Eles não acreditam. Max, eu sei que ela está desaparecida.

Max: Acho que você sabe mais do que isso.

Chloe: Antes de a Rachel sumir, ela disse que conheceu alguém que mudou a vida dela... Depois, puf.

Max: E você não teve nenhuma notícia dela desde então?

Chloe: Como todo mundo na minha vida. Meu pai, você... e a Rachel... Se foram... Você pode colocar uma música agora?

Max levanta e coloca o CD no rádio. "Santa Monica Dream" de Angus & Julia Stone começa a tocar. Chloe deita na cama, com uma expressão triste no rosto, e começa a fumar.

Chloe: Enfim... Você pode encontrar as ferramentas pra consertar sua câmera na garagem...

Max: Chloe, você está bem?

Chloe: Claro, estou ótima. Só quero queimar um e ficar um pouco sozinha.

Max sai do quarto da Chloe e desce as escadas.


Térreo Editar

Max (pensando): Não via esse lugar há cinco anos... parece uma eternidade.

Max entra na garagem do David.

Garagem do David Editar

Max (pensando): Eu devo conseguir encontrar as ferramentas que preciso aqui.

Max encontra ferramentas pequenas em cima de algumas caixas.

Max (pensando): Bum! Chaves de fenda de precisão! O problema é que eu não alcanço...

Max liga a máquina de lavar e as ferramentas caem em um lugar inalcançável no chão.

Max (pensando): Muito inteligente, idiota. Não dá pra alcançar.

Max volta no tempo e empurra um pedaço de papelão para debaixo das gavetas. Ela liga a máquina de lavar de novo e dessa vez consegue pegar as ferramentas puxando o papelão de volta.

Max (pensando): Isso! Você é demais, Max.

Max sai da garagem e sobe as escadas.


Segundo Andar Editar

Quarto da Chloe Editar

Max entra no quarto com as ferramentas.

Chloe: Você encontrou as ferramentas? Ótimo. Pode sentar na minha mesa pra consertar sua câmera.

Max senta na mesa e tenta consertar sua câmera, mas as ferramentas não adiantam.

Chloe: E aí?

Max: Não consigo consertar essa coisa.

Chloe: Essas são suas fotos novas?

Max: Sim... Eu tirei todas hoje.

Chloe: Deixe-me ver...

Caçoou da Victoria
Chloe pega a foto de Victoria coberta de tinta.

Chloe: Peguei você, vadia! O carma é uma desgraça. Ótimo enquadramento também.

Não interveio entre a Kate e o David
Chloe pega a foto do David ameaçando a Kate.

Chloe: Tá de sacanagem? Esse cuzão tá em todos os lugares.

Chloe pega a foto da borboleta azul.

Chloe: Espera... eu já vi isso antes.

Max: Hm...

Chloe: Sem essa! Quando você tirou essa foto? VOCÊ tirou essa foto, maldita! No banheiro, hoje... você disparou o alarme! É por isso que o Nathan ficou com raiva de você... Faz todo o sentido. Porra, você salvou a minha vida... Agora me conte a verdade, Max.

Eu estava lá...
Max: Eu estava lá... Escondida no canto.

Chloe: Caramba. Você é uma ninja.

Max: Um ninja teria cortado a cabeça do Nathan fora. Eu só tirei a foto de uma borboleta...

Eu não estava lá...
Max: Eu não estava lá...

Chloe: Qual é! Mesmo depois de cinco anos eu ainda sei dizer quando você está mentindo.

Max: Tá bom, eu estava lá, Sherlock.

Chloe: Isso é tão foda.

Max: Ah, sim, eu quase me mijei quando vi a arma...

Chloe: Então, você me reconheceu?

Não tinha certeza.
Max: Não tinha certeza...

Chloe: Eu sei que estou muito diferente.

Max: Eu estava assustada, também. Não conseguia ver direito.

Chloe: Não culpo você, Max.

Não mesmo.
Max: Não mesmo. Seu cabelo e roupas mudaram tanto...

Chloe: Espero eu. Tenho certeza que isso tudo é muito estranho pra você desde que voltou.

Max: Como você disse, foi um dia e tanto.

Chloe: Então você deve ter ouvido a nossa conversa...

Só um pouco...
Max: Só um pouco...

Chloe: Impossível você não ter ouvido cada palavra.

Na verdade, não...
Max: Eu estava em pânico! Só conseguia ouvir o Nathan esbravejando...

Chloe: Foi aí que você nos ouviu?

Max: Ok, eu ouvi algo sobre dinheiro... drogas... e só.

Chloe: Agora, a pergunta principal: você contou a alguém?

Dedurou o Nathan

Com certeza.
Max: Com certeza. O Nathan Prescott apontou a porra de uma arma pra você.

Chloe: Maldito covarde... isso foi assustador. Pra quem você contou?

Tipo quem?
Max: Tipo quem?

Chloe: Tipo qualquer pessoa! Pare de enrolar, colega.

Max: O diretor... mas eu acho que ele não acreditou em mim.

Chloe: O diretor? Você tem o que, doze anos? Esse idiota bêbado só se importa com dinheiro pra Academia Blackwell... Não confie nele.

Max: Eu não falei de você. Juro.

Escondeu a verdade

Eu queria...
Max: Eu queria ter falado... E se ele enlouquecer de novo?

Chloe: O Nathan aparenta ser um valentão, mas é só uma menininha ridícula e mimada.

Max: Ele teria atirado em você, Chloe. Isso é um fato. Eu devia falar com o diretor...

Não.
Max: Não, eu não sabia o que fazer...

Chloe: Não te culpo... Essa merda é bem intensa.

Max: Talvez eu devesse ter falado com o diretor...

Chloe: O diretor? Você tem o que, doze anos? Esse idiota bêbado só se importa com dinheiro pra Academia Blackwell... Não confie nele.

Max: Sério, eu não contei pra ninguém. Juro.

Chloe: Graças a Deus... Te conto mais um dia desses. E eu devo muito a você, Max.

Chloe vai até uma pequena estante no canto e se abaixa. Ela pega uma câmera e fica de costas para Max.

Chloe: Eu, hm, sei que foi o seu aniversário mês passado...

Chloe se vira para Max e entrega a câmera.

Chloe: Essa câmera era do meu verdadeiro pai... Quero que fique com ela.

Max: É tão gentil você lembrar do meu aniversário. Mas não posso ficar com isso.

Chloe: É claro que pode. Meu pai ficaria chateado se eu nunca a usasse. E agora eu sei que ela será usada incrivelmente. E eu vou pegar essa foto como símbolo da nossa reunião. Fechado?

Chloe pega a foto da borboleta e guarda em seu bolso.

Max: Sim, fechadíssimo! Obrigada... Essa câmera é tão legal.

Chloe: Agora que terminamos esse papo emocional, estou pronta pra arrasar! Vamos mandar ver!

Chloe vai até o rádio, coloca uma música e aumenta o volume. Piano Fire de Sparklehorse começa a tocar.

Max: Você é louca.

Chloe (dançando): Sim, sim, sou louca pra caralho! Vamos dançar! Balança esse bundão branquelo! Ou tire uma foto minha com sua câmera nova!

Max ri enquanto Chloe sobe em sua cama e começa a dançar e fumar.

Max (pensando): Esse dia não poderia ficar mais estranho...

Max tira uma foto de Chloe.

Chloe (dançando): Essa música é do caralho! Não sabe dançar, hippie? Vamos lá! Manda ver, garota!

Max começa a fazer movimentos de dança.

Chloe: Isso aí! Bota pra quebrar, Max!

Max e Chloe dançam até que David chega em casa.

David (do térreo): Chloe, você está aí em cima.

As duas param de dançar e Chloe apaga seu cigarro.

Chloe: Ou, desliga, desliga!

Max desliga o rádio e Chloe senta na cama.

David (do térreo): Quantas vezes eu disse pra você parar de ouvir essa merda de punk?

Chloe (gritando): Cara, a música nem tá ligada! (falando baixinho) Cuzão.

David (do térreo): Estou subindo, precisamos conversar!

Chloe: Puta que pariu! Você precisa se esconder. Agora! Meu padrasto vai me matar se te encontrar aqui.

Chloe põe o cigarro em um cinzeiro e vai até a porta do quarto, ficando na frente para impedir que David entre.

David (do outro lado): Chloe, o que está acontecendo? Abra a porta, por favor.

Chloe: Calma, estou trocando de roupa, tá bom? (sussurrando) Max, encontre um lugar pra se esconder, AGORA!

Conversa de Chloe e David Editar

David: Chloe... o que está fazendo?

Chloe: Estou indo!

David: Chloe, você está enrolando.

Chloe: Estou trocando de roupa! Me dá um minuto.

David: Não dê uma de espertinha, só me deixe entrar. Agora. Por favor.

Chloe: Um segundo, meu sutiã está preso.

David: Não estou de brincadeira, soldado. Chloe. Abra essa porta. Eu vou te dar três segundos para abrir a porta. Um... dois... três...

Max não se esconde
Chloe: Porra!

Chloe abre a porta. David entra e vê Max.

David: O que está acontecendo aqui? Por que ela está aqui?

Chloe: Não é da sua conta.

David: Eu não gosto de estranhos aqui.

Chloe: Para de aloprar, ela não é uma estranha. É minha amiga.

David: Ótimo, mais uma "amiga".

Max mexeu nos arquivos
David: Eu mandei você nunca mexer nos meus arquivos. Você claramente mexeu.

Chloe: Eu não mexi nos seus arquivos, David. Estou pouco me lixando pra eles.

David: Para confusão você não fica "se lixando", Chloe. E isso já está ficando chato.

Chloe senta na cama e David caminha para perto da mesa.

David: Uma das minhas armas sumiu. Você pegou?

Chloe: Caramba, eu não peguei a sua arma idiota. Você sabia que eu acredito em desarmamento?

David percebe maconha no cinzeiro em cima da mesa.

David: Espere um pouco, isso é erva? Você andou fumando aqui de novo?

Chloe: Ah, sim, armas, maconha... Você tá viajando.

David: Estou cansado de você me desrespeitando! Diga a verdade, isso é uma ordem!

Chloe: A maconha não é minha, é da Max!

David se vira para Max.

David: Isso é verdade?

CULPAR A CHLOE
Max: Não mesmo. Isso não é meu.

David: Claro que não. Tenho certeza de que a Chloe sempre tem a melhor parada, não é? Aposto que ela a considera uma "boa amiga"...

Chloe: Por que você não me deixa em paz? Pare de descontar sua raiva na guerra em estudantes.

David: Você ainda não viu o que é raiva, sua...

Chloe: Vá se foder, porco.

David dá um tapa no rosto de Chloe. Max se aproxima dela e a abraça.

Interveio entre a Kate e o David
David: Eu... Ouça, você pediu isso. Você sabe exatamente o que está fazendo. Já posso dizer a partir de hoje que você é um problema, Max. Espero que isso não afete sua situação na Blackwell. Nunca mais volte aqui.

Chloe: Escute, idiota, se encostar em mim de novo, vou mandar você para a cadeia. E lá, você poderá se proteger a noite inteira...

David: Vocês é que acabarão na cadeia. Você só se acha esperta e durona. Isso também irá passar... Agora, limpe esse chiqueiro.

Tirou uma foto
David: Eu... Ouça, você pediu isso. Você sabe exatamente o que está fazendo. Max, para o seu próprio bem, fique longe da Chloe. Ela é uma otária e só vai acabar com você. Vá fazer seu dever de casa.

Chloe: Escute, David, eu tenho provas de que você estava ameaçando a Kate Marsh hoje... Provas de vigilância.

David: Do que está falando?

Chloe: Você sabe do que estou falando.

David: Você só se acha esperta e desordeira. Isso também irá passar... Agora, limpe esse chiqueiro.

David sai do quarto.

Max: Desculpe, Chloe... Eu não sabia o que fazer.

Chloe se afasta de Max e senta na cama.

Chloe: Tanto faz. Todos furam comigo. Até a minha "melhor amiga" Max, não é mesmo? Estou de saco cheio de todos nessa cidade... Queria nem ter visto você. Como se você se importasse. Vou dar o fora daqui.

Chloe levanta e sai pela janela.

Max (pensando): O David foi tão babaca com a Chloe... E se eu tivesse intervindo para ajudar?

ASSUMIU A CULPA
Max: Hm, sim. A maconha é minha...

David: Então você está trazendo drogas para a minha casa. Que tal eu chamar a polícia?

David se aproxima de Max e gesticula para Chloe se afastar.

David: Isso acabaria com a sua reputação impecável na Blackwell... Você está sempre metida em problemas... "Max". Estou cansado de vocês perdedores acabando com a Chloe.

Interveio entre o David e a Kate
David: Garota, você adora aparecer e começar problemas. Como nessa tarde. Você não tem nada inteligente pra dizer agora, tem? Hein?

Tirou uma foto
David: Você está atiçada hoje. Antes, o alarme de incêndio. Agora, isso... Você não tem nada inteligente pra dizer agora, tem? Hein?

Chloe intervém e puxa David pelo ombro.

Interveio entre o David e a Kate
Chloe: Sai de perto dela, cara! Pare de ameaçar os meus amigos!

David: Você não tem amigos.

Chloe: Como se você soubesse. Você nem é um policial de verdade, é só um segurança de merda!

David: Eu fui um soldado, Chloe. E, Max, se eu a ver aqui de novo... Você descobrirá o que é problema de verdade.

Tirou uma foto
Chloe: Sai de perto dela, cara! Tenho provas de você ameaçando a Kate Marsh hoje!

David: O quê? Do que está falando?

Chloe: Tenho provas de vigilância. Agora, por favor, nos deixe em paz.

David: Ok, Chloe. Você sabe de tudo. E, Max, se eu a ver aqui de novo... Será a última vez.

David sai do quarto e Chloe levanta o dedo do meio das duas mãos.

Chloe: Obrigada por assumir a culpa. Acabamos com aquele otário, Max. Ele não é páreo pra nós agora... Essa vitória foi épica. Enfim. Vamos sair pela janela... Tem um lugar legal que podemos ir nesse fim de mundo.

Max (pensando): Cara, não acabou nada bem para o meu lado. Se eu não quiser perder minha bolsa na Blackwell, não deveria mentir por ninguém, nem pela Chloe. Tenho que pensar no meu próprio futuro...

Max se esconde no armário
Chloe: Merda...

Chloe solta a porta e David entra no quarto.

David: O que está acontecendo aqui?

Chloe: Caramba, eu só estou experimentando roupas. Você é tão paranoico.

David: Sim, o combate faz isso com você.

Max mexeu nos arquivos
David: Eu mandei você nunca mexer nos meus arquivos. Você claramente mexeu.

Chloe: Eu não mexi nos seus arquivos, David. Estou pouco me lixando pra eles.

David: Para confusão você não fica "se lixando", Chloe. E isso já está ficando chato.

Chloe senta na cama e David caminha para perto da mesa.

David: Uma das minhas armas sumiu. Você pegou?

Chloe: Caramba, eu não peguei a sua arma idiota. Você sabia que eu acredito em desarmamento?

David percebe maconha no cinzeiro em cima da mesa.

David: Espere um pouco, isso é erva? Você andou fumando aqui de novo?

Chloe: Ah, sim, armas, maconha... Você tá viajando.

David: Estou cansado de você me desrespeitando! Diga a verdade, isso é uma ordem! De quem é isso?

FICAR ESCONDIDA
Chloe: Pare de tratar eu e a minha mãe como se fôssemos o seu pelotão familiar.

David: Ei, deixe a Joyce fora disso.

Chloe: Eu queria que você deixasse a Joyce. Tipo, agora.

David dá um tapa em Chloe.

David: Chloe, foi mal. Eu me importo muito com a sua mãe, mas... você testa a minha paciência.

Interveio entre a Kate e o David
Chloe: Nunca mais encoste em mim, cuzão. Essa foi a última vez. Na próxima, a polícia chegará aqui bem depressa...

David: Você não é tão idiota assim.

Chloe: Seria inteligente denunciar você.

David: Chloe... Um dia você vai crescer.

Tirou uma foto
Chloe: Falando nisso, eu tenho provas de que você ameaçou a Kate Marsh. Provas de vigilância.

David: O quê? É melhor você ficar longe do meu trabalho.

Chloe: Então fique longe da minha vida.

David: Chloe... Um dia você vai crescer.

David sai do quarto e Chloe se senta na cama, cabisbaixa. Max sai do armário e vai até ela.

Max: Ei, você está bem?

Chloe: Bem-vinda ao programa "Os Piores Padrastos de Arcadia Bay".

Max: Sinto muito...

Chloe: Pelo o quê? Ele seria muito pior se encontrasse você aqui.

Max: É difícil de acreditar.

Chloe: Enfim, vamos sair pela janela... Tem um lugar legal que podemos ir nesse fim de mundo...

Max (pensando): O David foi tão babaca com a Chloe... E se eu tivesse intervindo para ajudar?

INTERVEIO
Max (saindo do armário): Desculpe... Esse baseado é meu.

David: Ora, ora. Eu não gosto de estranhos na minha casa. Principalmente drogados. Então você está trazendo drogas para a minha casa. Que tal eu chamar a polícia?

David se aproxima de Max e gesticula para Chloe se afastar.

David: Isso acabaria com a sua reputação impecável na Blackwell... Você está sempre metida em problemas... "Max". Estou cansado de vocês perdedores acabando com a Chloe.

Interveio entre o David e a Kate
David: Garota, você adora aparecer e começar problemas. Como nessa tarde. Você não tem nada inteligente pra dizer agora, tem? Hein?

Tirou uma foto
David: Você está atiçada hoje. Antes, o alarme de incêndio. Agora, isso... Você não tem nada inteligente pra dizer agora, tem? Hein?

Chloe intervém e puxa David pelo ombro.

Interveio entre o David e a Kate
Chloe: Sai de perto dela, cara! Pare de ameaçar os meus amigos!

David: Você não tem amigos.

Chloe: Como se você soubesse. Você nem é um policial de verdade, é só um segurança de merda!

David: Eu fui um soldado, Chloe. E, Max, se eu a ver aqui de novo... Você descobrirá o que é problema de verdade.

Tirou uma foto
Chloe: Sai de perto dela, cara! Tenho provas de você ameaçando a Kate Marsh hoje!

David: O quê? Do que está falando?

Chloe: Tenho provas de vigilância. Agora, por favor, nos deixe em paz.

David: Ok, Chloe. Você sabe de tudo. E, Max, se eu a ver aqui de novo... Será a última vez.

David sai do quarto e Chloe levanta o dedo do meio das duas mãos.

Chloe: Por ter sido tão sinistra, Max... vou te mostrar meu novo brinquedinho.

Chloe se agacha e pega algo de baixo da cama. Ela se aproxima de Max com as mãos para trás.

Chloe: Meu nome é Price... Chloe Price. Bang!

Chloe aponta uma arma para Max.

Max (empurrando a mão de Chloe): Caramba, abaixe essa coisa!

Chloe: Relaxa, mulher. Nem está carregada. Ainda.

Max: Eu pensei que você acreditasse em desarmamento.

Chloe: Sim, eu acredito que eu devo desarmar os outros. São os homens quem precisam ser revistados. Você confia no Nathan ou no David? Obrigada por assumir a culpa. Acabamos com aquele otário, Max. Ele não é páreo pra nós agora... Essa vitória foi épica. Enfim. Vamos sair pela janela... Tem um lugar legal que podemos ir nesse fim de mundo.

Chloe senta na cama.

Max (pensando): Cara, não acabou nada bem para o meu lado. Se eu não quiser perder minha bolsa na Blackwell, não deveria mentir por ninguém, nem pela Chloe. Tenho que pensar no meu próprio futuro...

Max sai pela janela com/sem a Chloe.

Farol Editar

Assumiu a culpa/Saiu do esconderijo
Chloe: Esse lugar não é demais? Me lembra muito de quando éramos crianças... (acenando para Max) Vamos logo, sua lesma!

Max: Espere um pouco!

Chloe segue o caminho até o farol.

Max (pensando): Não venho aqui há muito tempo... Então por que sinto que estava aqui agora há pouco? Caraca, esse é exatamente o mesmo caminho que eu fiz durante o meu pesadelo hoje...

Max chega no farol. Ela se aproxima de um pássaro e o observa voar para longe.

Max (pensando): Os pássaros têm tanta sorte, podem sempre fugir...

Max se senta no banco ao lado de Chloe.


Conversa com a Chloe Editar

Max: Tem certeza de que não quer ficar sozinha?

Assumiu a culpa/Saiu do esconderijo
Chloe: Sente aí, rapá.

Você está bem-humorada.
Max: Você está bem-humorada.

Chloe: Ver meu merdrasto se ferrar me alegra.

Seria um prazer.
Max: Com prazer. É bom estar aqui depois de todo esse drama...

Chloe: Você fez um ponto pra nossa equipe.

Culpou a Chloe/Ficou escondida
Chloe: Sente aí, se quiser.

Está chateada comigo?
Max: Você está... chateada comigo?

Chloe: Eu só... queria cobertura.

Me desculpe.
Max: Me desculpe por amarelar.

Chloe: Não se preocupe. Eu sei que o meu esquisidrasto pode ser assustador.

Max: Não sou tão valente quanto você. E o David é de fato um "merdrasto".

Chloe: Me desculpe por ter que passar por isso de primeira.

Max: Você tem que morar com ele. Ele foi sempre assim?

Chloe: Desde que minha mãe desesperada trouxe esse bundão pra nossa casa! Eu nunca confiei no David.

Interveio entre a Kate e o David

Ele pirou com a Kate.
Max: Ele pirou com a coitada da Kate Marsh hoje.

Chloe: Eu conheço ela. Ela é tranquila. Só aquele babaca mexeria com ela.

Eu devia ter tirado uma foto.
Max: Eu devia ter tirado uma foto quando ele enlouqueceu com a Kate hoje.

Chloe: Isso seria uma ótima forma de chantagem. Vamos acabar com ele.

Tirou uma foto

Ainda bem que eu tirei uma foto.
Max: Ainda bem que tirei uma foto dele com a Kate. Nunca se sabe...

Chloe: Por que ele estava interrogando ela?

Me senti estranha tirando uma foto dele.
Max: Me senti estranha tirando uma foto dele com a Kate. Mas ele foi muito covarde.

Chloe: Sim, ele é. Mas por que ele estava mexendo com a Kate? Ela é meio chata.

Max: Ele tem um plano bem estranho.

Chloe: Ele tem vários arquivos secretos. O Rambo ainda acha que ele está coletando inteligência do inimigo. Você deu uma olhada?

Viu e não leu os arquivos

Eu queria...
Max: Você sabe que eu queria, mas... Cheguei à conclusão de que já tenho mistério suficiente na minha vida.

Chloe: Eu gostaria de descobrir. Aposto que ele tem algum pornô naqueles arquivos.

Max: Eca.

Eu não.
Max: Eu não.

Chloe: Não a Max, Senhorita Certinha!

Max (rindo): Cala a boca.

Chloe: Ainda bem que você não olhou.

Viu e leu os arquivos

Bem, sim...
Max: É, sim. Não consegui evitar.

Chloe: Não muda nunca. O que você encontrou?

Arquivos?
Max: Hm... Arquivos?

Chloe: Conheço esse olhar. Você deu uma olhada. Então, me conte tudo. Alguns vídeos de assassinato?

Max: Fotos bizarras da Kate Marsh... outros alunos da Blackwell...

Chloe: Esse cara leva o trabalho muito a sério. Ele ainda acha que está na guerra ou algo assim.

Não viu os arquivos

Queria eu.
Max: Queria eu. Você sabe que eu os teria lido.

Chloe: Eu adoraria lê-los. Eles devem ser importantes, ou o David não os esconderia no bunker dele na garagem.

Que arquivos?
Max: Que arquivos?

Chloe: O David guarda os arquivos X dele lá. Eu já os vi uma vez, mas ele esconde bem os arquivos agora.

Max: Ele me assusta um pouco. Aposto que a verdade está nos arquivos dele.

Chloe: Provavelmente, mas é bom você não ter encontrado os arquivos dele. Ele ia pirar de vez.

Chloe: Ele tem um fetiche bizarro por segurança. Me preocupo que haja câmeras espalhadas pela casa.

Abriu o armário na garagem
Max: Eu sabia que você não sabia! Chloe, a sua casa está sob vigilância.

Chloe: Do que está falando?

Max: Há câmeras espalhadas por toda a casa. Eu vi em uma televisão na garagem.

Chloe: Eu sabia! Ele é paranoico pra caralho. Vou manter isso em segredo por enquanto...

Max: Às vezes, a ignorância é uma bênção.

Chloe: Faz sentido eu ser tão infeliz. Todo mundo nessa cidade sabe os segredos de todos...

Qual é o segredo do Nathan?
Max: Qual é o segredo do Nathan?

Até os seus?
Max: Até os seus?

Chloe: Não mais.

Max: E o que você tem para usar contra o Nathan?

Chloe: Ele é um cuzão da elite que vende uma merda misturada com laxante... e ele me dopou com alguma droga no quarto dele.

Max: O quê?

Chloe: Eu conheci ele em um bar sujo que não me barrou. Ele era rico demais para o lugar e estava muito bêbado. E não parava de mexer no dinheiro dele...

Max: Só me diga o que aconteceu, Chloe. Agora.

Chloe: Fui uma idiota. Achei que ele estava tão chapado que seria um alvo fácil.

Max: Você precisava tanto assim de dinheiro?

Chloe: Na verdade, sim. Eu devo bastante. E eu achei que teria o suficiente para mim e para a Rachel, se ela aparecesse...

E o Nathan?
Max: E você e o Nathan?

Chloe: Nós fomos para o quarto dele na Blackwell. Bebemos e eu ri da besteira de riquinho dele. Ele estava um passo a frente e colocou algo na minha bebida...

Quanto você deve?
Max: Quanto você deve?

Chloe: Três mil mais juros. E, antes de eu conseguir arrancar algo do Nathan... ele batizou a minha bebida com alguma merda...

Max: Nossa, Chloe, não consigo acreditar... Quer dizer, eu acredito. E aí?

Chloe: Eu sei que desmaiei. Eu acordei e aquele pervertido estava rindo, andando na minha direção com uma câmera...

Max: Continue...

Chloe: Tudo estava escuro... Tentei chutá-lo no saco e quebrei um abajur. O Nathan pirou, e aí eu consegui correr para a porta e cair fora. Max, foi uma loucura.

Isso é fodido.
Max: Chloe, isso é tão fodido. O que você fez depois?

Estou furiosa.
Max: Estou tão furiosa que nem consigo falar... O que você fez depois?

Chloe: Eu decidi fazer ele me pagar para ficar quieta. E aí, nós nos encontramos no banheiro.

Max: E ele levou uma arma.

Chloe: Esse foi o último erro do Nathan...

Ele ainda é perigoso.
Max: Ele ainda é perigoso, Chloe. Não só para você.

Dedurou o Nathan
Chloe: Ah, que bom que você informou o diretor. Já me sinto bem mais segura...

Escondeu a verdade
Chloe: Que bom que você não contou a ninguém. É melhor o Nathan Prescott ficar atento agora...

Vamos chamar a polícia.
Max: O que você vai fazer? Meter bala na bunda dele? Vamos chamar a polícia...

Dedurou o Nathan
Chloe: Que se foda. Você já contou ao diretor e eu tenho certeza que não vai adiantar.

Escondeu a verdade
Chloe: Que se foda. Que bom que você não contou a ninguém. Agora eu vou dar uma de Walter White e partir pra cima dele.

Max: Não estarei aqui para salvá-la sempre...

Chloe: Você estava aqui hoje, Max. Você me salvou! Ainda estou passada com isso... Ver você de novo depois de todos esses anos parece ser...

Max: Destino?

Chloe, ainda sentada, se apoia nos joelhos e Max passa a mão em suas costas. Ela se levanta do banco e se aproxima do desfiladeiro. Max segue ela.

Chloe: Se isso for o destino, espero que possamos encontrar a Rachel. Eu sinto falta dela, Max. Essa merda de lugar tirou de mim todos que amo... Queria largar uma bomba em Arcadia Bay e transformar a cidade em cacos de vidro.

Max começa a ficar com dor de cabeça e dá alguns passos para trás. Ela se abaixa com as mãos na cabeça e possui uma visão.

Pesadelo Editar

Max (pensando): Ah, não! De novo não... Por que isso está acontecendo comigo? Por que estou aqui de novo? A Chloe ainda está lá em cima? Tenho que descobrir!

Max segue o fantasma do cervo até o topo da colina enquanto um pedregulho é arremessado no caminho ao lado dela. Um forte trovão derruba uma árvore, fazendo-a cair na frente de Max. Ela volta no tempo e passa pelo caminho antes que a árvore caia. Max continua a seguir o cervo até o farol.

Max (pensando): Nunca vi uma tempestade como essa em Oregon...

Uma pilha de troncos desliza pelo caminho que Max percorre. Ela volta no tempo e fica na área ao lado do caminho e espera que os troncos caiam. Ela continua o caminho até o farol.

Max (pensando): Meu Deus! O tornado voltou! Isso é real...?

Um barco é arremessado pelo tornado e colide no farol.

Max: Nossa, caralho!

Detritos caem e puxam consigo para o mar abaixo uma árvore caída que bloqueava o caminho. O topo do farol cai e fica balançando na ponta do penhasco. Lentamente, ele desliza e cai na água, levando junto pedaços do chão do penhasco, impossibilitando a passagem de Max. Ela volta no tempo e atravessa para o outro lado após os detritos tirarem a árvore do caminho. O telhado do farol cai uma vez atrás dela. Max se abaixa para pegar um jornal preso a uma cerca e o lê.

Max: 11 de outubro? Nessa sexta-feira? Só faltam quatro dias!

O vento arranca o jornal das mãos de Max. Ela olha para o tornado.

Max: Ah, não... (pensando) Esse tornado está indo direto para a cidade...

A mão de Chloe toca o ombro de Max e a visão termina.

Farol Editar

Max se encontra de volta ao desfiladeiro junto com Chloe. Max cai no chão e Chloe se ajoelha ao seu lado.

Max: Chloe! Você está aqui! Eu voltei. Minha nossa, isso é real... é real. Ah, cara, mas que merda...

Chloe: Max, o que houve? Você apagou do nada.

Max: Eu não apaguei... Eu tive outra visão. A cidade vai ser destruída por um tornado...

Chloe: Oregon recebe cerca de cinco tornados a cada 20 anos. Você está pirando.

Max pega o pulso de Chloe.

Max: Não, não, eu vi! Eu podia sentir até a eletricidade no ar...

Chloe: Qual é, respira fundo, tá bom?

Max: Chloe, não estou maluca. Mas tenho algo que preciso te contar... Algo... intenso.

Chloe: Fale comigo, Max.

Max: Eu tive essa mesma visão mais cedo na aula... E quando acordei, descobri que podia voltar no tempo. Como eu disse: não estou maluca.

Chloe: Mas, chapada, né?

Max: Me ouça. Como você acha que eu te salvei no banheiro?

Chloe: Voltando no tempo? Ah, claro.

Max: Eu vi você sendo baleada, Chloe... Vi você... morrer. Eu consegui voltar no tempo e disparar o alarme de incêndio...

Chloe: Ok, tô vendo que você é uma nerd com muita imaginação, mas isso não é um anime nem jogo. As pessoas não têm esses poderes, Max.

Max: Eu não sei o que eu tenho, mas eu tenho... E estou me cagando de medo.

Chloe: Você precisa fumar um. Hoje foi um dia bizarro pra caralho...

Max balança a cabeça. Um floco de neve cai em seu rosto e ela leva a mão ao nariz. Max e Chloe veem a neve começando a cair ao seu redor.

Chloe: O que diabos é isso?

Max: Flocos de neve?

Chloe levanta.

Chloe: Tá, tipo, uns 25°C... Como?

Max se levanta.

Max: Mudança climática. Ou uma tempestade à caminho.

Chloe: Max... comece do início. Me conte tudo...

Max e Chloe começam a conversar e a tela se afasta delas e começa a escurecer.

Editar

David se apoia em uma escada consertando uma das câmeras de vigilância da casa. Ele para um momento para olhar para a nevasca.

Joyce está limpando um balcão no Two Whales. Ela para e olha pela janela para a neve.

Warren está no Laboratório de Ciências mexendo em seu computador. Ele percebe a neve e para de usá-lo para ver a neve caindo pela janela.

Kate está chorando em um canto em seu quarto; ela aparentemente não percebe ou não dá importância à neve caindo.

Pompidou está ao lado do trailer e começa a latir. Frank abre a porta do trailer, segurando um bong na mão direita, e aquieta ele. Pompidou balança sua cabeça e se coça com sua pata enquanto Frank observa a neve.

Victoria arranca um dos cartazes de desaparecida de Rachel de um quadro de avisos no Campu Principal. Ela olha para o cartaz e o joga no chão. Ela olha para cima e percebe a neve.

Diretor Wells aparece em frente à janela de seu escritório e observa a neve. Ele toma um gole do copo de uísque em sua mão direita.

Jefferson está sentado em sua mesa na Sala de Artes mexendo em seu computador e escrevendo algo. Ele olha para a janela e percebe a neve.

Nathan está sentado em uma mesa no Campus Principal. Ele possui uma câmera em suas mãos e parece ignorar a nevasca ao seu redor.

Uma série de fichários vermelhos são mostrados, com cada um deles possuindo um nome feminino escrito na frente. O último fichário da prateleira possui "RACHEL" escrito."