FANDOM




Caro(a) leitor(a), está pagina possui todos os diálogos ditos no jogo, tanto as escolhas e até mesmo bate-bocas.

Ao iniciarmos o jogo, começamos no cenário onde Chloe está em pé, fardada de moletom preto com detalhes de caveira na manga, uma camisa por baixo da Firewalk — vermelha escura, colar, uma calça jeans azul rasgada, tênis e pulseiras, fumando um cigarro nos trilhos do trem. O trem a vê, e começa a buzinar com farol alto. Chloe vê e pula antes do trem passar. Ela olha a serraria e vai em direção a um caminho o qual possui uma cerca.

Chloe: (pensando) Nem acredito que o Firewalk tá tocando na antiga serraria. Que foda!
Minha mãe me mata se souber que eu tô aqui.

Ao olhar para a placa, ela lê: "Não pode passar? Não fode." Ela pula a cerca.

Chloe caminha, e a câmera irá abrir o cenário para visualizar maior como é a serraria. Após isto, irá focar em Chloe de volta.

Chloe: Puta merda. Este lugar é irado.

Chloe visualiza o galpão e poderá explorar o cenário.

Chloe: (pensando) Se eu quiser entrar, vou ter que passar por aquela porta.

Antiga Serraria (externo)

Objetos interativos

Chloe poderá encontrar uma segunda porta na serraria.

Olhar

Uma segunda porta pra dentro? Tão perto, e ao mesmo tão longe.

Escutar

Essa banda é foda demais. Eu tenho que entrar!

Garrafa de Gasolina

Imagino que segurança contra incêndios não seja uma prioridade por aqui.

Bilhete

Bilhete de apostas

Se eu tivesse devendo mil pratas pra alguém, taria me borrando toda.

Maquinário

Essa serra parece antiga. Há quanto tempo será que a serraria fechou?

Vagão

Um velho vagão de madeira. Deve fazer muito tempo que ninguém trabalha aqui.

Caixa p/ cães

Esse lugar virou um verdadeiro depósito de lixo com o tempo.

Motos

Eu entraria numa gangue de motoqueiros... se eu tivesse amigos.

Fogueira

(ao observar a fogueira e pensando): Alguns dizem que o fim do mundo será com fogo.
Reflexão: Minha mãe ia arrancar os pentelhos se soubesse que eu caminhei por uma hora só pra ir num show.
Esse lugar é suspeito pra cacete. Um prédio velho e abandonado no meio do nada, a quilômetros de casa?
Casa... é. Agora lembrei por que eu tô aqui. Qualquer lugar é melhor que lá em casa.

Arte na moto

Nada mais "fodão" que um desenho de florzinha.

Grafite

Chloe poderá olhar um trailer e comentar: Esse trailer tá pedindo uma arte. Mas, se eu fizer aqui, alguém vai me ver.
Ao ir na lateral oposta do trailer e olhar: Ah, uma tela perfeita pra trabalhar.

Chloe poderá pichar com dois estilos de desenhos diferentes no trailer:

Doces de graça!

Chloe: Agora, o que escrever... (ela picha)

Chloe: (pensando) "Alô, criançada! Doces de graça!"

Ao observar: Perdão, senhor policial, tá escrito o quê no meu trailer?

Não produzimos droga!

Chloe: Agora, o que escrever... (ela picha)

Chloe: (pensando) "Definitivamente não produzimos drogas aqui!"

Ao observar: Perdão, senhor policial, tá escrito o quê no meu trailer?

Área externa


Discussão entre dois caras

Primeiro argumento


Primeiro homem: Esse é exatamente o seu problema. [zomba] Significa você. Sim, seu problema. Não é meu. [burla] Eu sei o seu tipo. Conheço suas desculpas de besteira também. [burlescas] Talvez eu devesse te dar um tapa destas desculpas de você.

Segundo homem: Mas... R-realmente não é a minha culpa.

Primeiro homem: Você está sempre culpando todo mundo, menos você.

Observar a discussão


Chloe: (ao observar a discussão de dois caras) Esses caras tão prestes a dar uns pegas. Ou não. Caramba.
(ao observar novamente): É melhor eu não arrumar problemas com esse cara.

Segundo argumento


Segundo homem: Eu entendo, entendo, realmente e--e isto não vai acontecer de novo. Eu juro! Você pode confiar em mim, eu prometo. Eu realmente entendi agora, eu vou fazer.

Primeiro homem: Irá? Porque confiança pra mim é dada pelo que você faz, não por palavras. Entendeu?

Segurança do galpão

Chloe (pensando): Preciso pensar em como passar por esse cara.

Segurança: Pois não, senhorita?

Chloe: Me deixa entrar, olha! É de verdade. (Ela mostra a sua identidade ao segurança).

Segurança: (analisa) Não está mal falseado, pirralha. Mas você está abusando. Acho bom você se mandar. (ele joga no chão a sua identidade falsa)

Chloe sai frustada e pensa: Ele não manda em mim. Será que eu volto e confronto ele? Ou será que algo por aqui pode me ajudar a convencê-lo?

Chloe volta e fala novamente com o segurança.

Segurança: Caramba, de novo? O que você quer, pirralha?

A serraria

Chloe: Essa é a antiga serraria, né? Ouvi dizer que o Firewalk tá tocando aí. Essa banda é irada.

Segurança: (olha para a porta) Não.

Chloe: Tá brincando, né?

Segurança: É melhor você sumir e acabou.

Sua moto

Chloe: Aquela moto ali é sua?

Segurança: É.

Chloe: Ah, é... bem bacana.

Segurança: Puxa, obrigado... Algo mais?

Ir embora

Chloe: Deixa pra lá (Chloe sai andando)

Segurança: Isso aí, circulando.

Me deixa entrar, agora!

Ao escolher a opção "Me deixa entrar, agora", o jogador irá experimentar pela primeira vez a opção do desafio de bate boca.
[desafio 1][desafio 2]
Neste para Chloe ganhar, ela deverá responder corretamente cinco vezes.

Nota: Em alguns diálogos, se tiverem apenas a resposta de Chloe, isto é uma definição de que a mesma venceu a discussão ou perdeu.

Chloe: (pensando) Tenho que convencer esse brutamontes que não vou desistir até ele me deixar entrar.

Chloe: Não se lembra como é ser adolescente? Só quero ver a banda.

Segurança: Achei que já tivessemos falado disso. Não tá na sua hora de dormir?

Sua hora de dormir?

Chloe: Awww, pra você já tá tarde?

Segurança: Que fofa. Mas eu não conheço você.

Nada de dormir.

Chloe: Eu não durmo. Isso é pros fracos.

Segurança: Que fofa. Mas eu não conheço você.

Me quebra essa.

Chloe: Qual é, cara! Me quebra essa!

Segurança: Para de tentar ser fofinha e cai fora.

Que mal tem?

Chloe: Ah, qual é. Que mal tem?

Segurança: (irritado) Pirralha, você não entendeu. Cai fora!

"Fofinha" não é comigo.

Chloe: Olha bem pra mim. Eu pareço "fofinha"? Ou pareço que vou acabar com você?

Segurança: Tá bom, pirralha. Já saquei, você é durona.

Fofura é relativa.

Chloe: Gatinhos andando de lambretinhas são fofinhos. Eu tô mais pra... Red Sonja pilotando um Panzer.

Segurança: Tá bom, pirralha. Já saquei, você é durona.

Isso não é um parquinho?

Chloe: Talvez eu seja mesmo pirralha, porque esse lugar parece um maldito parquinho.

Segurança:: Uma garota como você... Não posso te proteger lá dentro.

Beleza. Vou entrar escondida.

Chloe: Sabe de uma coisa? Não preciso da sua permissão. Vou achar um jeito de entrar.

Segurança: Garotas como você acabam desfeitas lá dentro.
... Tá, você é engraçada. Mas não importa.

Não sou pirralha!

Chloe: Pirralha é o cacete! Outras coisas que não sou: Senhorita. Mocinha. Amor. Docinho.

Segurança:: Uma garota como você... Não posso te proteger lá dentro.

Uma garota como eu?

Chloe: Você quer dizer uma garota que não tem medo de um monte de músculos ambulante como você? É isso?

Segurança: A chefia me mata se eu te deixar entrar.

As garotas que mandam

Chloe: Garotas? São as garotas que mandam, idiota. Eu sei me virar.

Segurança: A chefia me mata se eu te deixar entrar.

Flores na sua moto?

Chloe: Uma garota como você cheia de florzinhas na moto não deveria vir de moral pra cima de mim.

Segurança: Isso é uma arte tradicional de Samoa--! (risos) Olha. Meu chefe decide quem entra, tá ok?

Não tô preocupada

Chloe: Isso é problema meu. Deixa que eu me preocupo com isso.

Segurança: A chefia me mata se eu te deixar entrar.

Quem é sua chefia?

Chloe: Sua mãe que é sua chefia? Continuação: Você mora na cave da sua "chefia"?

Segurança: Olha. Meu chefe decide quem entra, tá ok?

Faz vista grossa.

Chloe: E só fazer vista grossa. Ninguém vai saber! Além do mais, todo me adora. Eu sou engraçada.

Segurança: Gente engraçada acaba apanhando por aqui.

Que chefia, o quê.

Chloe: Que chefia, o quê. Foda-se ele e fodam-se as regras, cara!

Segurança: Olha. Meu chefe decide quem entra, tá ok?

Toc-Toc

Chloe: Toc-Toc. Quem é? (imitando uma voz de Mickey Mouse) Vira homem. Para de ser um babaca medroso e deixa essa garota super-irada aqui entrar logo.

Segurança: Essa atitude não vai funcionar comigo.

Vai se foder.

Chloe: Sabe... eu nem queria mesmo entrar. Vai se... FO-DER!

Segurança: Essa atitude não vai funcionar comigo.

Você tá muito tenso.

Chloe: Cara, relaxa aí. Você tá tão tenso que vai acabar explodindo.

Segurança: (olhando mais sério) Continua me provocando pra ver o que vai acontecer.

Sinto muito

Chloe: Desculpa, tá? É que eu quero muito entrar.

Segurança: (zombando) Não interessa. O Damon não gosta de gente nova, tá bom?

Deixa de ser fresco.

Chloe: Eu te magoei? Você vai pra casa agora comer um pacotão de biscoito e chorar no escuro em posição fetal?

Segurança: Sabe, o Damon até que era capaz de gostar de você...

É sério esse bracelete.

Chloe: Ah, olha, o Bowser ligou. Ele quer as joias dele de volta.

Segurança: Sabe, o Damon até que era capaz de gostar de você...

Quem é Damon?

Chloe ganha.

Chloe: Quem é Damon? O cara que te fez de putinha dele na cadeia?

O segurança deixa Chloe entrar.

Me ajuda aí, vai!

Chloe perde.

Chloe: Ahn... já tô ficando sem tiradas sarcásticas, então, que tal: você fede. Agora sai da minha frente!

O segurança não deixa Chloe entrar

Que se dane o Damon.

Chloe ganha.

Chloe: Damon? Será que devo me importar com o que ele acha? Vejamos... não!

O segurança deixa Chloe entrar

Chloe ganhou

Segurança: Você não vai aceitar um "não" como resposta, né?

Chloe: Não

Segurança: Você acha mesmo que pode me encarar?

Chloe: Sim

Segurança: E se eu tiver uma faca?

Chloe: Disponha.

Segurança: Uma arma?

Chloe: Não importa.

Segurança: E se eu tiver-

Chloe: Você poderia ter um lança-chamas, um exército de robôs ninjas e um puta dragão de estimação aí, e ainda assim eu acabaria com você.

Segurança: (risos)Eu desisto! (suspiro) Você venceu, pirralha. Pode entrar. (Ele deixa Chloe passar).

Chloe perdeu

Segurança: Porque não bota nessa sua cabecinha dura que você não---

Chloe: O que foi? Não sabe como--

Segurança: Se me deixar terminar, vai entender que--

Chloe: Entender o quê? Que você é patético--

Segurança: (irritado)Você não vai entrar! Agora dá o fora daqui!

Chloe sai andando e pensa: Ótimo. E agora, como faço pra entrar?

Ela pega uma caixa de transporte para cachorros e arrasta até uma segunda porta da serraria. Com isto, ele sobe e destranca. E entra na serraria.

Antiga serraria (interno)

Chloe entra na serraria após passar pelo segurança na lábia ou pela segunda porta, na lateral da principal. Ela observa ao redor e fica eufórica.

Chloe: (pensando) Que irado!

Cadela late para Chloe.

Homem estranho: Ei, Delia! Junto.

Chloe: (para o homem) Cadela fofa.

Chloe: (pensando) E só seguir as luzes e o som. Mal posso esperar para entrar lá e aloprar!

Objetos Interativos

Pichação

Chloe: (ao olhar) Damon Merrick de novo. Quem é esse cara?


Chloe poderá olhar um alvo p/ dardos e pensará: Isso me lembra como eu faço escolhas importantes na vida.

Chloe poderá olhar para uma caixa de apoio, o qual em cima desta caixa há seringas, e pensará: Não, valeu. É sempre bom evitar uma hepatite.

Chloe poderá olhar para um pôster: Quanta classe.

Chloe poderá olhar para um balde de cerveja: Cerveja gelada, dando bobeira? e pegar Beba mais, sinta menos. Pode deixar.

(Em construção)

Pessoas da serraria

Homem estranho e a cadela

Chloe poderá interagir com a cadela do homem estranho

Chloe: (olhando para a cadela) Que cadela brava.

Chloe: (ao fazer carinho) Qual o nome dela?

Homem estranho: Delia. (comenta) Ela não costuma gostar de gente.

Chloe: É, eu também não.

Garota na mesa

Chloe: (pensando) Fica sóbria, garota! Tá perdendo o show!

Ao ir para a próxima mesa, há um homem e mulher (sabe-se lá se é casal).

Chloe: (pensando) Como consegue ficar aí de boa, enquanto o Firewalk tá arregaçando ali do lado?

Vendedor de camisas

Se o jogador decidir escolher a opção, "olhar", Chloe irá pensar: Que camiseta irada.

Chloe: Ei, tá vendendo--

Vendedor: Vinte pratas!

Chloe: Que?

Vendedor: Vinte pratas pela camiseta.

Chloe: Isso é... bem caro. ela sai andando e (pensa): Babaca.

Na segunda interação novamente.

Vendedor: Se não tem vinte pratas, cai fora.

Chloe: (pensando) Que babaca.

Ao interagir novamente com o vendedor pela terceira vez.

Vendedor: Ei! Já falei que são vinte pratas. Quer tomar uma surra?

Chloe: (pensando) Que cara babaca. Se eu quiser uma camiseta, vou ter que ser criativa.

Ao caminhar um pouco a frente, Chloe nota a porta do carro aberta e o freio de mão.

Chloe: (pensando) Se eu soltar o freio de mão, o carro vai começar a descer. Será que eu quero uma camiseta do Firewalk tanto assim? Acho que sim.

Chloe: (indo soltar o freio de mão) Lamento, cara. Talvez não devesse cobrar em demasia.

Após soltar, o carro começa a andar e o vendedor nota e lamenta.
Vendedor: (ao notar, que seu carro começou a andar)Ah, caralho, não, não, não, não, não! (suspiro) Qual é!

Chloe: (pensando) Obrigado por tudo. Babaca.

A partir disto, Chloe poderá pegar a camisa do Firewalk.

Chloe: (pensando) Isso aí. O doce sabor da vitória.

Ao notar uma caixa com dinheiro, ela comenta Isso é tipo... duzentas pratas!

Roubar

Puta merda. Tô rica!

Não roubou

Não vale a pena. É capaz desses caras me queimarem viva.

'Interação alternativa com o vendedor'

Se o jogador decidir escolher a opção, "olhar", Chloe irá pensar: Que camiseta irada.
Caso Chloe for direto tentar pegar a camisa, o vendedor irá bater na sua mão e irá falar.

Vendedor: Vinte pratas, boneca.

Chloe: (com a mão esquerda sob a sua mão direita) Vinte pratas! Que roubo. E não me chama de "boneca".

Vendedor: Beleza. Vinte pratas, ladra.


Frank Bowers

Chloe: (ao olhar) Frank Bowers? O que ele tá fazendo aqui?

Chloe: (ao interagir) E aí, Frank!

Frank: (Não muito surpreso) Oi...

Chloe: Chloe.

Frank: Eu sei o seu nome, idiota. Eu te vendi maconha todo mês durante um ano.
E esse visú? Tachinha? Acho que tá forçando a barra.
O que cê tá fazendo aqui?

Chloe: (eufórica) Vim ver o Firewalk, cara. Eles são foda.

Frank: Como cê ficou sabendo dessa parada?

Chloe: (surpresa) Ué, pela internet. Não é óbvio?

Frank: Sério? Maldita criançada...

Tem uma erva aí?

Chloe: Então, tem algum aí? Seria ótimo ter uma brisa agora pra relaxar.

Frank: Claro. Assim que você pagar as 175 pratas que me deve.

Aqui tá a grana

Caso você tenha pego o dinheiro do vendedor
Chloe tira do bolso o dinheiro fazendo com que Frank se espante.

Chloe: Me descola uma erva, e ficamos quites?

Frank: Pra que você tá andando com tanto dinheiro assim? Você não pensa antes de fazer as coisas, né?

Chloe: Não. Cadê minha ganja?

Frank dá para a ela.

Frank: E chega de fiado. Não faço trabalho de caridade.

Chloe: (alegre) Você é gente boa, Frank.

Frank: (discorda de cara fechada) Não sou, não.
Agora cai fora, Price. Tá queimando meu filme.

Chloe: Te vejo depois.

Frank: Que se dane.

Faz fiado?

Chloe: (esperançosa) Não dá pra me fazer fiado? Você sabe que eu pago.

Frank: Sem essa. Eu já aprendi da última vez. A grana primeiro.

Você vem sempre aqui?

Chloe: Então... você vem sempre aqui ou...

Frank: (seco) Sim.

Chloe: É, bacana.

Frank: (seco) Que bom que você aprova.

Deixa pra lá

Chloe: Te vejo depois.

Frank: Que se dane.

Acesso ao palco

Chloe: (ao observar e pensar) Cacete, tem muita gente aqui.

Chloe: (ao acessar) Lá vamos nós

Ao tentar entrar, Chloe não consegue e acaba sendo empurrada e esbarrando em dois caras estranhos.

Caras estranhos

Chloe: (pensando) Ah, merda

Cara estranho: Ei, você tá bem?

Chloe: Tô de boa.

Chloe tenta sair mas o cara estranho a impede.

Cara estranho: Relaxa. Você que trombou em mim, lembra?

Insultar

Chloe: Cai fora, cara.

Cara estranho: Você não sabe quem eu sou, né?

Chloe: Ahn, não. E tô cagando pra isso.

Chloe vai caminhando e o cara estranho vira para trás.

Cara estranho: Vamos ver se tá com essa moral toda, então.

Segundo cara estranho: Vaca.

Chloe mostra o dedo do meio e sai do tumulto.

Chloe: (pensando) É, já vi que não vai rolar bate-cabeça pra mim. Beleza.

Desculpar-se

Chloe: É, foi mal, cara.

Cara estranho: Você não sabe quem eu sou, né?

Chloe: Não. E nem quero saber.

Chloe vai caminhando e o cara estranho vira para trás.

Cara estranho: Vamos ver se tá com essa moral toda, então.

Segundo cara estranho: Vaca.

Chloe mostra o dedo do meio e sai do tumulto.

Chloe: (pensando) É, já vi que não vai rolar bate-cabeça pra mim. Beleza.

Chloe: (pensando) Talvez eu consiga uma visão melhor do show lá de cima.

Um novo dialogo é desbloqueado, ela poderá usar para obter alguma informação extra com Frank Bowers

Segunda interação com Frank Bowers

Quem é o cara que eu irritei?

Chloe: Viu aquele cara com quem eu trombei? Ele achou que eu devia saber quem ele é.

Frank: Ah, sim. Eu conheço ele. Trabalha pro Damon.

Chloe: Damon Merrick?

Frank: Então já ouviu falar nele. É o dono daqui. O Damon é... um amigo meu.

Onde essas escadas vão dar?

Chloe: (pergunta) Onde essas escadas vão dar?

Frank: (irônico) Ahn... lá em cima?

Chloe: Puxa, obrigada, Frank. Quero dizer, será que dá pra ver a banda lá de cima?

Frank: Como que eu vou saber?
O piso de cima tá todo fodido, tá? Ninguém sobe lá.

Chloe: (se despede) Deixa pra lá.

Frank: (se despede) Que se dane.

Chloe começa a subir as escadas, após pisar em uns dos degraus, ela verifica o piso podre mas ignora.

Chloe: Isso aí! Finalmente consegui, não acredito!
Chloe começa a curtir o show, ela dança, se senta e depois deita. Mas logo em seguida, ela é interrompida pelos mesmos dois caras estranhos.

Segunda interação com os caras estranhos

Cara estranho: (Apontando o dedo na cara de Chloe e irritado) Você derramou a minha cerveja. Vaca.

Chloe se levanta e vai em direção aos dois caras estranhos.

Chloe: Você devia ter mais cuidado. O lugar tá cheio.

Cara estranho: Não gosto dessa sua atitude.

Ir embora

Chloe tenta ir embora mas o cara estranho não deixa.

Cara estranho: Ah, não acabamos ainda.

Pedir desculpas

Chloe: Ei, me desculpa pela cerveja, tá?

Cara estranho: Isso não basta.

Insultar

Chloe insulta e aponta o dedo para o cara estranho.

Chloe: Então que tal eu dizer o quanto vocês são patéticos, fazendo essa ceninha por causa de uma cerveja derramada?

Segundo cara estranho: Acho que ela tá desafiando a gente, cara.

Cara estranho parte lentamente pra cima de Chloe, fazendo ela recuar lentamente e o segundo cara estranho o acompanha.

Cara estranho: Ela vai engolir cada palavra. Cada. Palavra.

Segundo cara estranho: Isso vai ser bom.

Cara estranho: (apontando o dedo para Chloe) Vou ensinar boas maneiras pra essa pirralha.

Chloe vai recuando e olha para trás e vê que está sem saída.

Chloe: (Insegura) Falando sério! Vai querer me ver zangada aqui? Por que eu tô ficando. E não vai ser legal. Não vai!

Segundo cara estranho: (botando pilha) Ela acha que pode contigo!

O cara estranho quebra a garrafa, e pronto para apunhalar Chloe com a garrafa quebrada, quando de repente é interrompido por uma garota.

Garota estranha: Ei, Otário!
Agora entramos na primeira escolha de maior impacto do jogo.

Atacar

Chloe irá aproveitar a distração dos caras estranhos e pegará a garrafa da mão e baterá com a mesma na testa do cara. O segundo cara estranho acerta um soco em cheio no seu olho direito (da perspectiva de Chloe) e ela coloca a mão no local atingido e vai para a garota estranha.

Chloe: Rachel?
Rachel olha zangada pros dois caras e puxa Chloe pela mão, descendo as escadas rapidamente.

Fugir

Chloe irá aproveitar a distração dos caras estranhos e irá correr para a Rachel. Ela irá jogar uma garrafa na testa do cara estranho, acertando-o em cheio e derrubando-o. Chloe corre em direção a garota estranha.

Chloe: Rachel?
Rachel olha zangada pros dois caras e puxa Chloe pela mão, descendo as escadas rapidamente.

Ambas começam a correr, rapidamente, até a entrada da platéia. Frank, sentado no sofá, irá notar e verá que teve um tumulto lá em cima. Ele impedirá dos caras estranhos irem atrás delas.

Os caras estranhos tentam passar por Frank.
Cara estranho: (com pressa) Me solta, Frank!

Frank: Não vai rolar. Se acalma!

Cara estranho: Qual é, cara!

Chloe e Rachel ficam observando a cena.

Frank: Vai embora.

Cara estranho: Que merda. (levanta a mão pra cima) Não fode.

Frank: Dá o fora daqui.

Elas esboçam um sorriso, e num ato de sarcasmo, Rachel manda um beijo e Chloe manda um beijo e logo em seguida mostrando o dedo do meio. Elas vão para a plateia e começam a curtir, dançar a noite inteira do concerto da Banda Firewalk.

Casa dos Price (2º andar)

Quarto da Chloe

O alarme da Chloe toca e começa a tocar música e ela acorda. Ela se vira na cama para pegar seu cinzeiro, coloca sob o peito e começa a fumar. Após alguns momentos ela para de fumar, coloca o cinzeiro onde estava e senta em sua cama.

Chloe: (pensando) Às vezes... eu só queria fechar os olhos e mandar o mundo todo pro inferno.

Chloe: (olhando seu diário) Rituais diários são importantes, mesmo quando envolvem escrever cartas ignoradas para amigas que se esqueceram de você...

Chloe: (olhando para uma foto dela com William e Max) Ei, Max. Ei, pai. Mais um dia no paraíso, né?

Joyce: (do térreo) Chloe! Hora de acordar e vir papar!

Chloe: (pensando) Noite passada... O show do Firewalk... Aqueles caras escrotos... Aquela... garota... Será que era mesmo a Rachel Amber?

Chloe levanta da cama.

Chloe: (pensando) Tô cheirando a cigarro e cerveja. Melhor trocar de roupa.
Chloe vai até sua cômoda e troca de roupas.

Chloe: (pensando) Não posso sair sem minhas vitaminas.

Chloe vai até uma bandeja ao lado de sua cama e pega a maconha, guardando no bolso da calça.

Chloe: (bocejando) Eu preciso ir logo.

Chloe vai abrir a porta mas para.

Chloe: (pensando) Porra, cadê meu celular? Não tá aqui. Eu fiquei tão bêbada assim ontem?

Joyce (do térreo) Chloe! Já te chamei!

Chloe: (pensando) Melhor eu ligar pro meu celular do telefone da minha mãe.

Chloe sai de seu quarto.

Quarto da Joyce

Chloe: (pensando) Tá, o telefone da minha mãe deve estar no quarto dela. Posso usar pra ligar pro meu e descobrir onde diabos deixei ele.

Chloe entra e explora o quarto de Joyce. Ela pega o celular de sua mãe do criado-mudo e desbloqueia a tela.

Chloe: (vendo a foto de fundo de Joyce com David) Como a minha mãe consegue olhar pra isso todo dia e não perceber que tá saindo com um idiota?

Chloe liga para seu celular e ouve ele tocando, e coloca o celular de sua mãe de volta no criado-mudo.

Chloe: (pensando) Parece que meu celular tá por perto...

Banheiro

Chloe segue o som e encontra seu celular no chão do banheiro, debaixo de uma toalha, ao lado da privada.

Chloe: (pegando o telefone) Prontinho. Quantas ligações será que eu perdi?

Chloe poderá ver uma mensagem de sua mãe e outra de Eliot em seu celular.

Joyce: (do térreo) Chloe, vem tomar café! E traz a minha bolsa, por favor!

Chloe: (guardando o celular no bolso) Tá bom, tá bom. [pensando] Acho que vi a bolsa da minha mãe no quarto dela.

Chloe volta para o quarto de Joyce e pega a bolsa dela.

Joyce: (do térreo) Ah, pode trazer meu celular também? Chega de enrolar, preciso falar com você!

Chloe: (pensando) É, agora sim estou com pressa.

Chloe coloca o celular de Joyce dentro de sua bolsa e sai do quarto. Ela começa a descer as escadas.

Chloe: Tô indo, mãe!

Casa dos Price (Térreo)

Sala de Estar

Joyce: Finalmente! Deixa a bolsa em cima da mesa de jantar. Se correr, ainda dá tempo de comer alguma coisa.

Chloe: (pensando) Mesa de jantar, aí vou eu.

Chloe vai até a mesa de jantar e coloca ali a bolsa de Joyce.

Joyce: Chloe, não tenho o dia todo. Dá pra você vir logo aqui?

Chloe: (pensando) É melhor eu ver o que minha mãe quer, antes que ela tenha um treco.

Cozinha

Diálogo com Joyce

Chloe: Oi, mãe. Queria falar comigo?

Joyce: Chloe! O que aconteceu com você?

Chloe: Não foi nada. Trombei numa porta.

Joyce: Você parece estar trombando em muitas portas ultimamente.

Joyce: Sabe quando te mando uma mensagem de texto? Tipo ontem à noite? Eu espero uma resposta.

Chloe: É só falar "mensagem". Não precisa falar "mensagem de texto".

Joyce: E espero uma resposta sem essa atitude.

Chloe: Foi mal. Entendi. Vou tentar responder sempre.

Joyce: Obrigada.

Chloe: Eu tava dormindo. Só recebi suas mensagens agora.

Joyce: Assim fica difícil confiar em você.

Chloe: É sobre isso que você queria falar?

Joyce: Por que você e o David são assim? Sempre direto ao assunto. Por que não podemos ter uma conversa agradável antes de você ir pra escola?

Chloe: Ah, tá. Escola. Meu lugar favorito.

Joyce: Você adorava aprender.

Chloe: É. E eu falava mal de quem usava drogas.

Joyce: Não brinca com essas coisas.

Chloe: Você percebe que odeio seu namorado com todas as minhas forças, não?

Joyce: Chloe! Você não odeia ele.

Chloe: Ele me chama de "mocinha". É um babacão.

Joyce: Ele é meio antiquado.

Chloe: É. Um babacão antiquado.

Chloe: Achei que você odiava carne assada.

Joyce: Você não é obrigada a comer se não quiser.

Chloe: Não, você odeia carne assada. Pra mim, tanto faz.

Joyce: Eu não odeio. E o David gosta. E não diga que pra você tanto faz.

Chloe: Então agora é assim? Você faz tudo que seu namorado gosta?

Chloe: Vai vender seu anel de noivado?

Joyce: Chloe, há muitos motivos para avaliar joias. Pra fazer um seguro, por exemplo.

Chloe: Bela resposta.

Joyce: Que tal você não entrar no meu quarto quando eu não estiver lá?

Chloe: Que tal não me pedir para pegar sua maldita bolsa, então?

Joyce: Não vamos brigar. Fiz café da manhã pra você!

Chloe: Não, depois... eu como alguma coisa.

Joyce: Ah, você vai rir dessa. Outro dia eu fiz quatro ovos, dois pro David, dois pra mim. E aí quando eu ia servir, ele pergunta "O que você vai comer?"

Chloe: Era pra eu rir, é?

Joyce: Firewalk. Foi dessa banda que você falou semana passada?

Chloe: Ainda tô chateada por você não ter me deixado ir.

Joyce: Uhum.

Chloe: O quê?

Joyce: Cansada, é? Isso é pra você aprender a chegar cedo.

Chloe: O quê?

Joyce: Eu sei a hora que você chegou ontem. E não pense que vai matar aula só porque perdeu o ônibus outra vez.

Chloe: Por que você acha que--

Joyce: Pra quem você acha que o diretor liga quando você mata aula? Acha que gosto de mentir, dizendo que você tá doente, pra não ser expulsa?

Joyce: E fique sabendo que eu conheço o cheiro de maconha.

Joyce: Vejo suas notas e seu desdém pelas minhas regras... Está cada vez pior. Fico preocupada.

Chloe: Mas, mãe... Meu objetivo é baixar as expectativas pra que você nunca mais se decepcione comigo.

Joyce: Você está feliz com essa vida? Ótimo. Continue assim. Só me avise para eu parar de lutar com a Blackwell pra manter a sua bolsa. Já estamos sem dinheiro, de qualquer forma.

Chloe: Eu acho que só preciso ficar sozinha.

Joyce: Eu acho que você tem dezesseis anos e não sabe do que precisa.

Chloe: Eu acho que o David podia pagar aluguel. Ele tem dormido bastante aqui.

Joyce: Como você sabe? Nunca está aqui.

Joyce: O David acha que você precisa de disciplina.

Chloe: O David devia tomar conta da vida dele.

Joyce: Eu acho ótimo o David se interessar. Ele é uma boa pessoa. Talvez possa ajudar.

Chloe: Meu pai era uma boa pessoa.

Joyce: Isso não é justo. Eu... fico feliz que seu pai ainda tenha um lugar no seu coração. Mas temos que abrir espaço para novas pessoas.

Chloe: E, às vezes, quando estamos incrivelmente desesperadas e solitárias, escolhemos abrir espaço pro tipo mais errado de pessoas... Mãe.

Chloe: Seu namorado é um babaca.

Joyce: Ele tem sido bom pra mim. Talvez vocês não tenham se entendido porque você tem sido rude.

Chloe: Ele ainda tá vivo. Então não tem do que reclamar.

Joyce: O David também já teve momentos difíceis. Se ele decidir compartilhar isso com você, espero que escute--

Chloe: Como se eu fosse deixar ele chegar perto de mim.

Joyce: ...quando ele te levar pra escola hoje.

Chloe: Muito engraçado.

Joyce: Você vai ser gentil. Vai agir com respeito. E vai agradecer.

Chloe: Tá falando sério? Isso é a maior...

Joyce: O quê, Chloe? A maior o quê?

Chloe: (pensando) Urgh! Ela tá tentando, né. Talvez eu também devesse tentar. Mas de que adianta ficar de boa tendo que fingir que tá tudo bem, se não tá?

Chloe: Mãe, eu sei que você lida com muita coisa.

Joyce: Obrigada. Entendo que você não precise mais de mim. Mas eu preciso de você.

Chloe: Eu preciso de você, sim. Você é minha mãe.

Joyce: Tenho orgulho da sua autossuficiência. Mas nem todo mundo é seu inimigo.

Chloe: Diz isso pro mundo.

Joyce: Você é impossível! Mas eu te amo.

Chloe: Eu também te amo.

Joyce: Uhum. Ok, o David está esperando. Leva as chaves dele que estão no cinzeiro. Tentem não se matar.

Chloe: Tá bom. A não ser que ele tente me dar conselhos. Ou me olhe esquisito.

Joyce: Chloe!

Chloe: Ou só olhe pra mim.

Joyce: Chloe.

Chloe: Mãe.

Joyce: Tenha um bom dia.

Chloe: Você também.

Chloe: Você quer que eu finja que gosto do David, que tá tudo bem? Não tá. Ele é um chauvinista merdalhão, francamente, e--

Joyce: Chloe! Se o seu pai te ouvisse agora...

Chloe: Não, tem razão. O papai e o Bigode iam se dar muito bem. A cama é grande. Tem espaço suficiente pra vocês três.

Joyce: Já chega! Eu só peço um pouco de respeito. Por que isso é pedir demais? Eu amo você, Chloe. E sinto sua falta. Ninguém poderia substituir seu pai. Eu fiz o melhor que pude.

Chloe: Mãe...

Joyce: Eu não sei quando perdi você.

Chloe: Você não me perdeu.

Joyce: Ok. O David tá esperando. Ele vai precisar das chaves. Estão no cinzeiro que você fez. Vai lá dar trabalho pra ele.

Chloe: (pensando) Levar a chave do carro pro David é a coisa mais humilhante que a minha mãe poderia me pedir.

Chloe olha para trás pra ver se Joyce não está vendo e rapidamente coloca o dinheiro na bolsa dela.

Chloe: De nada.

Chloe vai até o cinzeiro e, hesitando um pouco, pega as chaves que estão nele.

Chloe: (pensando) Melhor levar isso pro David, aí ele pode ir embora. Não adianta tentar evitar a tortura de ir pra escola com o David. Melhor eu ir logo.

Garagem com David

Chloe sai da casa e vê David.

Chloe: (pensando) Mas que merda. O carro também.

Ela dá um salto no chão e David percebe a presença dela.

David: Por que as mulheres sempre demoram tanto para se arrumar?

Chloe: A gente espera que vocês desistam de esperar.

Chloe joga as chaves para David e ele consegue pegá-las a tempo, guardando-as em seu bolso. Ele faz um sinal para que ela venha até onde ele está.

Chloe: (pensando) Não, mãe, juro que ele mesmo se espancou com uma chave de roda. Até a morte.
Ela se aproxima dele.

David: Chloe, isso é um olho roxo?

Chloe: Não.

David: Insubordinação. Não é à toa que sua mãe está preocupada com você.

Chloe: Ah, que beleza.

David: Quando eu tinha sua idade, também me metia em problemas. Mas isso não é responsável. Você deve à sua mãe um comportamento melhor.

Chloe: (pensando) Por que acha que devo algo à ela, seu nojento?

David: (analisando o carro) O isolador do eletrodo deve ter partido. Você sabe o que uma vela de ignição faz?

Chloe: Sim.

David: Ela liga a--

Chloe: Não me ouviu? Eu disse que sei o que ela faz.

David: Então pega meu jogo de chaves de soquete na garagem pra gente agilizar isso.

Chloe: (pensando) Ele acha que vai ser divertido? Melhor eu trazer a ferramenta dele e acabar logo com isso.

Chloe poderá pegar o chave de soquete que está ao lado direito de David.

David: Você é surda ou só preguiçosa?

Chloe: (irônica) Você disse que queria sua chave de soquete.

David: Essa é de 5/8. Preciso da extensão de 13/16. Que está dentro da caixa. Na garagem, como eu disse. Não é possível.

Chloe poderá falar com David antes de entrar na garagem.

Chloe: Onde tá o jogo de chaves de soquete mesmo? Só achei coisas da família na garagem. Sabe? Nada seu?

David: Não é hora de fazer onda. Está na caixa de ferramentas. Na garagem. Não vou deixar você se atrasar para a aula.

Chloe entra na garagem e vê algumas coisas de David guardadas lá.

Chloe: (pensando) Por que o David tá deixando as coisas dele na nossa garagem? Ele acha que já mora aqui ou algo assim?

Ela vai até a caixa de ferramentas dele e se abaixa para abri-la. De lá, ela pega a chave de soquete.

Chloe: (pensando) Cinquenta por cento de chance de eu tacar isso na cara dele. Talvez 60%. Ou 90%.

Chloe volta para David e mostra a ele a chave de soquete.

David: Não custava nada ter um pouco mais de pressa.

David estende a mão para pegar a chave de soquete mas Chloe move a mão para o lado. David franze as sobrancelhas para ela e ela dá a ele a chave de soquete. Ele pega e começa a consertar o carro.

David: Tá vendo essa sujeira bem aqui? Isso é um sinal de--

Chloe: Acúmulo de fuligem? Não brinca.

David: Sabe, você poderia ser boa de verdade nisso se melhorasse essa atitude.

Chloe: Minha atitude é o que me torna especial, David.

David: Prontinho.

David termina de consertar o carro e fecha o capô. Ele estende seu punho para Chloe em forma de cumprimento.

Chloe: Tá, que se dane.

Ela dá um soquinho no punho dele e depois limpa sua mão nas calças.

Chloe se afasta mas David pega o pulso dela e dá um soquinho no punho dela.

Chloe: Que por--

David: Suas ações são o que constroem o seu caráter.

Chloe: (pensando) Agora eu preciso de um banho.

David vai para a garagem e coloca a chave de soquete de volta em sua caixa de ferramentas. Ele pega a caixa de ferramentas do chão e vai em direção à uma mesa no canto.

Chloe: Ei, você vai levar essas ferramentas embora, né?

David: (colocando a caixa de ferramentas na mesa) Toda casa precisa de uma boa caixa de ferramentas.

Chloe: (suspira) Já temos uma. Mas obrigada.

David olha para Chloe e para a pequena caixa de ferramentas ao lado da sua na mesa e ri. Logo depois, ele e Chloe entram no carro.

David: Pronta pra ir?

Chloe: (pensando) Por favor, não tente puxar conversa. Por favor, não tente puxar--

David: Queria falar com você sobre um assunto.

Chloe: (pensando) Porra!

David: Não temos que gostar um do outro, mas você vai ter que me respeitar. Você já passou muito tempo sem uma figura paterna. Então eu queria muito esclarecer algumas coisas...

Chloe: Uhum.

David: A Joyce... sua mãe... está magoada, Chloe. Sofrendo por você. Entendo que você passou por maus bocados. Mas isso de passar a noite fora, ignorar o que ela diz, beber... usar drogas? Você tá dificultando tudo. Pra ela. Você precisa melhorar, tomar jeito e começar a pensar nos outros, não só em você mesma, pra variar. Estou sendo claro?

Chloe: (pensando) Seria doideira admitir que parte do que o David tá dizendo faz sentido?

Chloe: Entendi. Obrigada. Temos que ir agora.

David: (levemente surpreso) Que bom que nos entendemos.

Chloe permanece em silêncio.

David: Você não sabe como é sortuda por ter uma mãe como a Joyce. Ela é uma mulher incrível. Ela te mima, é verdade. Mas só porque ela te ama. O problema é que ninguém aprende a ter disciplina assim. Me dê uma chance de mostrar a ela como as coisas podem ser, e você vai mudar rapidinho. Escreva o que estou dizendo...

Chloe: (pensando) Respeitar? Vou ter que mostrar pra esse cuzão que não tô interessada em nada que ele tem a dizer.

Chloe: Quero esclarecer também: vá se foder.

David: Olha a linguagem! Você precisa de limites, mocinha.

Chloe: Linguagem?

Chloe: Je m'appelle cagué e andé!

David: Você é metida a espertalhona, não é?

Chloe: Olha só, deixa eu falar numa língua que você entenda: Vaia. Sentado. Fuligem.

David: Você é metida a espertalhona, não é?

Chloe: Desculpa, não dá pra te levar a sério com esse bigode.

David: Você é esperta. Pena que não sabe com quem está lidando aqui.

Chloe: Não me acho esperta. Só acho que você é idiota. Tipo, é óbvio.

David: Ei! Olha essa -- A minha merda é maior que você, entendeu?

Chloe: Você não me ameaça. Sabe como eu sei? Porque você acabou de tentar e vá se foder.

David: A minha merda é maior que você. Não se esqueça.

Chloe: Deixa eu simplificar pra você. Quer dizer... foi mal. A palavra "simplificar" é muito grande?

David: Ei! Olha essa -- A minha merda é maior que você, entendeu?

Chloe: Aaah, então isso explica o cheiro. Um monte de merda.

David: Você--! Sua mãe... Você tá partindo o coração dela!/blockquote>

Chloe: Espero que você desentupa privadas melhor do que conserta carros.

David: Você--! Sua mãe... Você tá partindo o coração dela!

Chloe: Pode me dar logo um tiro e acabar com meu sofrimento? Ou em você mesmo, pelo mesmo motivo?

David: Partiria o coração da sua mãe ver você falando assim.

Chloe: Pode parar de fingir que se preocupa e vai se foder.

David: Se você falasse assim no exército, teria que lavar latrinas por um mês.

Chloe: Deixa minha mãe fora disso. O lance é entre nós dois, e você ser um cuzão.

David: Eu estive no exército! Você vai me respeitar!

Chloe: Pelo menos ela tem coração. Você só tem... Nem sei explicar, um bigode de ator pornô e zero noção?

David: Eu estive no exército! Você vai me respeitar!

Chloe: Não me lembro de ter me alistado. Então não me trate como sua nova recruta.

David: Escuta. Nessa casa -- Eu tenho um trabalho pra fazer e... você também!

Chloe: Você não é meu pai. Você nem vive no mesmo planeta que o meu pai.

David: Meu trabalho é garantir que você e sua mãe tenham um lar seguro e tranquilo.

Chloe: A constituição não impede que soldados ocupem a casa de civis sem consentimento? Porque, que eu me lembre, não te dei consentimento.

David: Escuta. Nessa casa -- Eu tenho um trabalho pra fazer e... você também!

Chloe: Por que não vai embora e finge que nada disso aconteceu? Finge que "você" nunca aconteceu.

Chloe perde.

Chloe: Que tal manter nosso lar seguro à distância? Tipo, a gente aqui, e você lá na Flórida.

Chloe vence.

Chloe: Por acaso, eu passo no seu trabalho e -- ah, verdade, você não trabalha.

Chloe vence.

Chloe: Se o seu trabalho é foder com a minha vida, você merece um aumento. E uma porra de uma sala melhor.

Chloe vence.

David: Se você fosse homem, eu...

Chloe: Tudo bem. Se você fosse homem, eu também não pegaria tão leve.

David: Nem sei por que eu ainda tento.

Chloe: (pensando) Missão cumprida.

David: Já chega! Não vou tolerar seu desrespeito. O respeito à autoridade nos une, nos dá dignidade. E somos melhores unidos, não divididos.

O diálogo da parte Ignorar e Resistir terminará a cena.

Chloe se encosta no banco e dorme.

Primeiro Sonho

Chloe acorda no carro de William.

Chloe: (pensando) Música... country? O papai adorava essa música... [balançando a mão pela janela e cantando] Eu liguei para dizer que sinto sua falta, meu velho amigo. Acordado até tarde de novo. [pensando] Que dia lindo.

Primeira conversa com William

Chloe: Aumenta o som, pai!
William aumenta a música.

Segunda conversa com William

Chloe: Pra onde a gente tá indo, pai?

William não responde.

Chloe olha para a chave de soquete em sua frente.

Chloe: (pensando) Eu sei o que uma vela de ignição faz, imbecil.

Chloe olha para a bolsa ao seu lado.

Chloe encontra a mesma foto de família, com David no lugar de William.

Chloe: (pensando) Isso... Isso tá zoado...

Chloe não encontra nada na bolsa.

Chloe: (pensando) Será que a minha mãe deixou a bolsa aqui?

William: (cantarolando) Buscando meu amorzinho do mercado.

Chloe ouve uma buzina três vezes e se aproxima de William em pânico.

Chloe: (gritando) PAI!

Um caminhão bate no lado esquerdo do carro atingindo William, e tudo fica preto.

Blackwell

Carro do David

David: Ei!

Chloe: (acordando) ...que porra?

David: Sai do carro, Chloe. Você vai se atrasar.

Chloe abre a porta, sai do carro e fica parada segurando a porta e olhando para David.

Chloe: Que se dane.

David: De nada!

Chloe: Merda. Valeu.

David: Não me venha com esse tom sarcástico, mocinha. Eu vi você girando os olhos.

Chloe: Mas hein? Eu só tava agrad--

David: Você não me engana.

Chloe: Eu aviso, não engano.

Chloe fecha a porta do carro e David vai embora.

Campus Principal

Chloe: Oi, BlackHell.
Chloe entra no campus. Eliot vê ela, fecha o livro que está lendo e chama ela.

Conversa com Eliot

Eliot: Oi, Chloe.

Chloe: E aí, Eliot.

Eliot: Ei, o que houve com o seu rosto? Precisa ir no médico ou algo do tipo?

Chloe: Isso aqui? Você precisava ver o outro cara.

Eliot: Ah, então é verdade.

Eliot: Fiquei sabendo que você teve uma noite e tanto. Digo, as pessoas tão comentando.

Chloe: E quem exatamente tá falando mal de mim?

Eliot: Ah... os invejosos. Nas redes sociais.

Chloe: Que ótimo. Todo mundo tinha que ir cuidar da própria vida.

Chloe: As pessoas podem ir chupar uma pica. Nenhum troll pode estragar uma noite incrível como a de ontem.

Eliot: E o que você acha da Tempestade... cúmulo da pretensão do Teatro da Blackwell.

Chloe: (olha para um cartaz da Tempestade em um quadro de notícias ali perto) Total.

Eliot: Eu sei que vai ser ridículo, mas tava pensando... quer ir ver junto comigo amanhã?

Chloe: De jeito nenhum. Prefiro que arranquem os meus olhos com um garfo enferrujado.

Eliot: É, pois é. Acho que eu também.

Chloe: Eu tento seguir uma regra de não ir à escola mais que o necessário. Mas ficar zoando esses atorezinhos da última fileira pode ser divertido.

Eliot: Não é? Era nisso que eu estava pensando.

Chloe: Certo, te vejo na aula de química.

Eliot: Ah, com certeza!

Chloe dá tchau pra ele antes de se afastar e Eliot volta a ler seu livro.

Chloe: (pensando) Preciso achar a Steph pra pegar o meu DVD. A aula não começou ainda.

Conversa Opcional com Justin

Justin: Caraca, garota. Esse olho tá bizarro! O que houve?

Justin: Ei, Price! Se meteu em alguma furada ultimamente?

Chloe: Noite passada, eu fui numa festa irada naquela serraria antiga, no norte. Uma parada tipo "faça você mesmo".

Justin: Caraca, sério? Achei que lá fosse tipo o paraíso da metanfetamina. O meu primo conheceu uma puta lá e--

Chloe: Cara, esquece. Foi legal, falou? Você não vai entender.

Chloe: Ei, uma pergunta aleatória... o que você acha da Rachel Amber?

Justin: Ela é foda, principalmente se você gosta de menina que é gostosa, inteligente e gostosa. Digo, ela me ajudou há um tempo, quando eu tava me ferrando em álgebra.

Chloe: Acredito.

Justin: Pois é. Tomei bomba no último outono, e ela me deu aula particular até o final do semestre. Aí eu detonei! Tirei 8.

Chloe: Hum.

Chloe: Cara, esse teu cheiro tá tenso.

Justin: Tá dizendo que eu tô fedendo a maconha?

Chloe: Exatamente.

Justin: Falou. Muito bem notado, Price. Quer um trago?

Chloe: Tipo, aqui?

Justin pega um desodorante e borrifa em si mesmo e depois na Chloe.

Chloe: (balançando a mão em frente do rosto) Valeu.

Chloe: Beleza, a gente deve se ver na aula.

Justin: Falou.


Conversa Opcional com Skip

Chloe: Ei, Skip. Tem impedido muita guerra de gangues ultimamente?

Skip: Hoje não.

Skip: Você, por outro lado, parece que sim!

Chloe: Ahn? Ah, tá. Tanto faz.

Skip: Eu pedi pra mãe do Justin Williams tirar a Mercedes da vaga de deficientes.

Chloe: Irado.

Skip: É, você me conhece.

Chloe: Então, noite passada eu fui na serraria, vi o Firewalk ao vivo.

Skip: É, tô vendo... Peraí, você foi na serraria ontem à noite?

Skip: Você foi na serraria? Peraí, você viu o Firewalk?

Chloe: Foi maneiro.

Skip: Uau! Irado. Não sabia que você curtia esse tipo de música.

Chloe: Que tipo? Música boa?

Skip: (risos) Pode crer, maninha.

Chloe: Não se deve julgar uma garota pela escola elitista e fascista que ela é forçada a ir pela mãe, ok?

Skip: (risos) Eu sei.

Skip: Eu tenho uma banda, aliás.

Chloe: Tá zoando... sério?

Skip: O nome é PissHead. N-não é nada de mais. Digo, eu tô tentando promover a nossa demo, mas é dureza.

Chloe: PissHead, é?

Skip: Quer ouvir? A nossa demo, d-digo.

Chloe: Sim, ok.

Skip: Legal!

Skip pega seu celular e toca a demo para Chloe. Ao término da música, ele guarda o celular em seu bolso.

Skip: E aí... o que achou?

Chloe: Pô, cara, é bom pra cacete! Se tocarem PissHead na rádio, eu ponho o volume no máximo.

Skip: Pô, Chloe, que da hora! Valeu mesmo!

Chloe: Cara, acho que não é muito a minha.

Skip: Ah. É meio bizarro, mesmo. A gente ainda tá se descobrindo.

Chloe: Boa sorte aí.

Chloe: Olha, Skip, eu tô com pressa. Talvez depois.

Skip: Ah, sim, não esquenta. Tudo bem. Depois é tranquilo, não tem pressa. Bem, valeu aí, Chloe.

Chloe: E aí, se divertindo muito com a mãe do Justin?

Skip: Haha. Não, mas se você encontrar com o Justin, fala que eu não vou poder ignorar aquele cheiro de maconha dele por muito tempo.

Chloe: Fala você, Skip. Não é problema meu.

Skip: Eu tô tentando fazer um favor pra ele.

Skip: Falando em favores...

Chloe: Ah, sim. Acho que passei muito tempo com o Justin hoje cedo. Acho que o cheiro dele ficou impregnado em mim.

Skip: Aham. É bom ver os alunos de alto risco andando juntos.

Skip não comenta sobre o cheiro da Chloe.

Skip: Achei que os alunos de alto risco sempre andassem juntos.

Chloe: Alto risco?

Skip: Ai, cacete. Foi mal. Esquece que eu falei isso.

Chloe: (pensando) Hum. "Alto risco". Acho que dá pra aprender coisa útil na escola, afinal.

Chloe: Ei, quanto aquela demo... Se ainda tiver um tempinho, eu posso ouvir um pouco.

Skip tocará a demo e Chloe poderá dizer se gostou ou não (aba Show do Firewalk).

Chloe: Preciso ir pra aula. Depois a gente se fala, Skip.

Skip: Beleza, Chloe.

Conversa Opcional com a Srta. Grant

Chloe: Bom dia, Srta. Grant.

Srta. Grant: Chloe! Você está bem?

Chloe: Tô sim.

Srta. Grant: Hum.

Srta. Grant: Me diz o que acha desta hipótese: você vai estar sentada na sua cadeira quando a aula de química começar hoje.

Chloe: Não perderia a aula por todo o manganês do mundo, Srta. Grant.

Srta. Grant: Sua sinceridade é impressionante.

Chloe: O charme da ciência é a descoberta, Srta. Grant. Vai ter que esperar pra ver.

Srta. Grant: Com todas as últimas mudanças na Blackwell, acho que tenho que me contentar com a consistência do seu senso de humor, Chloe.

Chloe: De que mudança você tá falando?

Srta. Grant: Bem... os Prescott fizeram uma doação extremamente generosa para a escola, o que é bom... Mas, em vez de financiar ciências e matemáticas, todo o dinheiro vai ser investido em arte.

Chloe: E você acha que não se deve investir dinheiro em arte?

Srta. Grant: Não é bem isso. Recentemente, eu andei defendendo que os programas das exatas precisam de mais apoio, mas parece que os nossos doadores discordam. Acho que é a vida.

Chloe: (pensando) A Srta. Grant parece triste mesmo.

Chloe: Tenta ver por outro lado, Srta. Grant. Mais aulas de arte vão manter os tipinhos esnobes e egocêntricos longe da sua aula de ciências.

Srta. Grant: Articulada como sempre.

Chloe: Talvez em seis meses, apareça outro doador com dinheiro pra, sei lá, mais lasers.

Srta. Grant: Mais lasers?

Chloe: A gente não tem laser?

Srta. Grant: Infelizmente, não.

Chloe: Que triste.

Conversa Opcional com a Victoria

Victoria: Kari Price!

Chloe: É Chloe.

Victoria: Ah... verdade. Tava só brincando. Estão me levando tão a sério desde que eu ganhei o Prêmio de Jovem Artista do Beacon pela minha fotografia.

Chloe: Não me diga.

Victoria: Com isso e o Clube Vortex, é difícil evitar que me coloquem num pedestal ou algo do tipo. Mas você, que anda com a Rachel Amber, deve saber disso tudo, né?

Chloe: Você é do Clube Vortex?

Victoria: Tipo, tecnicamente, não sou membro, mas tô sendo visada.

Chloe: Não sei se eu--

Victoria: O clube deveria ser um grupo da elite da Blackwell, mas, não, é alguma merda hippie antibullying. Espera só até eu ser veterana.

Chloe: Nossa. Prêmio de Jovem Artista.

Victoria: Não é nada de mais. Tipo, umas cem pessoas mandaram trabalho, e a minha fotografia ganhou, sabe?

Chloe: Parabéns, eu acho?

Victoria: Então o Beacon vai me botar na capa do caderno de Cotidiano. E daí?

Chloe: Peraí, o que que tem a Rachel Amber?

Victoria: A Rachel postou uma foto maneiríssima de vocês duas curtindo feito doidas. Conta tudo!

Chloe: Contar o quê, Victoria? É só uma foto, nada de mais.

Victoria: Mas tá no Face! Cara, é óbvio que você e a Rachel são, tipo, bests.

Chloe: Foi uma noite bem normal pra gente. A gente ouviu música, dançou um pouco, matou um cara...

Victoria: Você é tão engraçada! Mas, sério, não sabia que você e a Rachel eram bests.

Chloe: A gente não é.

Victoria: Mas do que ela gosta? Sabe? Qual é a dela? Drogas? Não tô julgando, não. Eu pensei que, se ela tá andando contigo, deve curtir umas paradas meio sinistras, né?

Victoria: Tipo, olha só pra sua cara.

Chloe: Sério mesmo, não sei por que você tá falando comigo sobre a Rachel.

Victoria: Todo mundo adora ela. Senhorita Perfeitinha.

Chloe: Ah, então você tem inveja da Rachel Amber. Entendi, já saquei tudo.

Victoria: Ai, eu não tenho tempo pra isso, não. Nem terminei o dever de química ainda, e você tá... sendo você mesma. Argh.

Chloe: Foi mal, Victoria. Não quis ser grossa. Olha, eu já terminei o dever. Quer ajuda?

Victoria: Você... me ajudar?

Chloe: Claro! A última questão era difícil, né? Se eu me lembro bem, a resposta era... vanádio, enxofre, flúor... ahn... Não pode ser isso, né?

Victoria: Perfeito. Poxa, obrigada, Kari.

Chloe: Disponha.

Chloe move sua mão em direção à porta de entrada para que Victoria saia.

Victoria: (indo embora) Por que a Rachel Amber ia querer andar com a Kari Price?

Chloe: É Chloe.

Conversa Opcional com Samantha

Samantha: Oi, Chloe.

Chloe: E aí, Samantha. Tá lendo o quê?

Samantha: Quem Tem Medo de Virginia Woolf?

Chloe: Li ano passado na aula de inglês da Sra. Hoida.

Samantha: Nunca... pensei que você fazia dever de casa.

Chloe: Não costumo, mas essa peça até que é boa.

Samantha: Do que exatamente você gostou?

Chloe: A história é sobre como os relacionamentos só dão certo se as pessoas estiverem dispostas a mentir umas pras outras.

Chloe: Ela é engraçada. Ahn, o título é uma brincadeira com a música "Quem Tem Medo do Lobo Mau".

Samantha: E isso é engraçado?

Chloe: É, se você for o lobo mau.

Samantha: Não sei se você tá brincando. Desculpa, às vezes sou meio lerda.

Chloe: Às vezes, sou meio escrota, então tá de boa.

Samantha: Todo mundo sempre fala isso, mas eu acho que você é... Desculpa, Chloe! Ninguém fala nada assim de você. Não sei do que eu tô falando.

Chloe: (pensando) Até parece.

Bate boca

  1. De acordo com a citação do desafio de bate boca: No bate-boca, você usa argumentos e insultos para convencer alguém a fazer o que você quer.
  2. É mostrado um status de argumentos, o qual Chloe poderá pontuar se argumentar bem ou o seu oponente pontuar, em caso de errar.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.